Verdão usa amarelo em homenagem a 50 anos do jogo em que foi Brasil

William Correia - São Paulo,SP

09-08-2015 08:00:52

Para homenagear um dos momentos mais marcantes de sua história, o Palmeiras readotará sua camisa amarela para enfrentar o Cruzeiro neste domingo. A ação comemora os 50 anos em que o time representou a Seleção Brasileira em evento de inauguração do Mineirão, em 7 de setembro de 1965, vencendo amistoso sobre o Uruguai por 3 a 0.

O modelo verde e amarelo poderia ser usado no jogo de volta diante do Cruzeiro, no dia 26, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, por ser uma data mais próxima a do 50º aniversário daquela partida histórica. Mas a opção da diretoria foi por usar o uniforme em compromisso por um torneio de pontos corridos em vez de uma decisão em mata-mata.

A camisa foi lançada no segundo semestre de 2013 e usada somente duas vezes, nunca em vitórias do time. Estreou em empate sem gols diante do São Caetano, em 26 de outubro de 2013, que garantiu a volta do clube à Série A do Brasileiro, mas que rendeu vaias da torcida no Pacaembu. Em 28 de maio do ano passado, o amarelo reapareceu em derrota por 2 a 0 para o Botafogo, pelo Brasileiro, em Presidente Prudente.

Mas fica a homenagem a um momento histórico do Verdão. A camisa similar à da Seleção é uma alusão ao esquadrão que também era conhecido como Academia de Futebol e representou o Brasil no evento de inauguração do Mineirão, em 7 de setembro de 1965.

Naquele ano, o Palmeiras foi convidado pela Confederação Brasileira de Desportos, antecessora à Confederação Brasileira de Futebol, para atuar com a camisa da Seleção Brasileira, cedendo, inclusive, toda a sua comissão técnica. Com isso, o argentino Filpo Nuñes foi um raro caso de técnico estrangeiro a comandar a Seleção.

O amistoso terminou com vitória por 3 a 0 sobre o Uruguai. A escalação do Palmeiras/Brasil teve: Valdir de Moraes (Picasso); Djalma Santos, Djalma Dias, Valdemar Carabina (Procópio) e Ferrari; Dudu (Zequinha) e Ademir da Guia; Julinho Botelho (Germano), Servílio, Tupãzinho (Ademar Pantera) e Rinaldo (Dario). Rinaldo, aos 27, e Tupãzinho, aos 35 minutos do primeiro tempo, e Germano, aos 29 da etapa final, sentenciaram o placar diante de aproximadamente 80 mil pagantes.

Deixe seu comentário