R. Oliveira admite novo pênalti mal batido, e posto de batedor fica sob análise

Do correspondente Tiago Salazar - Santos,SP

03-09-2015 23:27:35

Se o Santos tiver um pênalti a seu favor nos próximos jogos, quem baterá? Hoje, ninguém pode responder esta questão. Ricardo Oliveira fez dois dos três gols que garantiram a vitória do Peixe sobre a Chapecoense nesta quinta, Porém, mais uma vez o centroavante falhou ao bater um pênalti. Pela terceira vez seguida, o experiente jogador optou pelo mesmo canto e viu o goleiro espalmar. Já é o quatro desperdiçado por ele na competição.

“Certamente, eles também observam os batedores de pênalti e falta. Acho que eu tenho que continuar trabalhando. Tem que valorizar o trabalho que eles fazem. Eu bati muito mal o pênalti”, analisou o próprio Ricardo Oliveira, admitindo que talvez seja a hora de dar a oportunidade para outro atleta do elenco.

“São sequências negativas. Acreditei que deveria bater ali novamente, o goleiro foi feliz, defendeu, mas a gente continua treinando. Continuo à disposição. Sempre que tiver pênalti vou estar à disposição. Mas, se tiver que dar a bola para um companheiro, eu darei sem problemas”, avaliou.

Aliás, o lance que culminou na penalidade também foi alvo de muitos questionamentos. O time de Santa Catarina ficou revoltado com a marcação do árbitro carioca Bruno Arleu de Araújo. O lance envolveu o centroavante do Peixe e o zagueiro Neto, que é ex-jogador do Santos.

“Não fiquei na dúvida. Ali sempre tem um 'agarra-agrara'. Quando joguei para dentro, teve o contato. Não posso te garantir que o cara me agarrou, mas teve o contato”, explicou o camisa 9.

Questionado se vai manter seu capitão como o cobrador oficial de pênaltis do time, Dorival Júnior despistou e relembrou um caso parecido ocorrido quando também era treinador do Peixe, em 2010.

“Acho que primeiro você tem que entender que isso aconteceu com Neymar, naquele momento lá atrás. Depois, vamos conversar. As coisas se ajeitam com naturalidade, desde que o jogador aceite”, ponderou o comandante santista, ainda tentando aliviar a barra de seu artilheiro. “De todos eles (perdidos), nenhum foi para fora”.

Deixe seu comentário