COPA DO MUNDO 2018 RÚSSIA

A primeira vitória da Seleção Brasileira na Copa do Mundo da Rússia foi conquistada com muita dedicação dos jogadores, que apenas nos acréscimos conseguiram furar o forte sistema defensivo da Costa Rica e marcar os dois gols que deram a Tite mais tranquilidade após uma estreia ruim, com empate. Uma imagem logo em seguida ao apito final, entretanto, chamou atenção: a comoção de Neymar, que usou as redes sociais para se explicar e desabafar.

“Nem todos sabem o que passei pra chegar até aqui, falar até papagaio fala, agora fazer… poucos fazem!! O choro é de alegria, de superação, de garra e vontade de vencer. Na minha vida as coisas nunca foram fáceis, não seria agora né !!! O sonho continua, sonho não … OBJETIVO! Parabéns pela partida rapaziada, vocês são F*”, escreveu Neymar em sua conta no Instagram.

Assim que o árbitro holandês Bjron Kuipers decretou o fim do jogo, o camisa 10 caiu no gramado muito emocionado e aos prantos. Depois de uma lesão no pé que fez da sua presença na Rússia uma incógnita, a estreia ruim diante da Suíça rendeu novas críticas, corroboradas depois de sua atitude nesta sexta-feira, apesar do gol marcado.

Durante a semana, o craque correu riscos de não atuar no duelo diante da Costa Rica por conta de dores no tornozelo, que lhe tiraram de parte do treinamento da última terça-feira. Porém, o processo de recuperação foi intensivo, a fim de promover sua presença sem restrições. Agora, Neymar volta a campo na próxima quarta, quando a Seleção mede forças com a Sérvia, na Arena Spartak.




A primeira vitória da Seleção Brasileira na Copa do Mundo, conquistada na manhã desta sexta-feira, teve contornos dramáticos. Escolhido pelo técnico Tite para atuar como capitão em São Petersburgo, o zagueiro Thiago Silva destacou a persistência da equipe para buscar o gol após o lance mais polêmico da partida.

Neymar recebeu na cara do goleiro Keylor Navas, mas, ao invés de finalizar, preferiu cavar pênalti de Giancarlo Gonzalez, marcado e anulado pelo árbitro Bjron Kuipers após observar o lance em vídeo. Persistente, o Brasil manteve a pressão até marcar com Philippe Coutinho e Neymar.

“Em um momento do jogo, ficamos preocupados, porque, quando você martela, martela e o gol não sai, vem aquele sentimento: ‘pô, não é hoje’. Mas nunca deixamos de acreditar. Mesmo depois do pênalti, não deixamos de querer o jogo. Foi premiada a equipe que mais quis jogar futebol”, disse Thiago Silva, que evitou reclamar do lance em campo.

“Faltavam poucos minutos. Se fôssemos argumentar, levaria isso adiante e, de repente, não teríamos tempo para fazer o gol. A decisão foi tomada, ele não mudaria. Isso só agravaria ainda mais com cartão amarelo. Nessas horas, acho que devemos ter tranquilidade para saber falar, por mais que a cabeça esteja quente”, disse o capitão.

Com quatro pontos ganhos, o Brasil lidera o Grupo E da Copa do Mundo, já que supera a Suíça no saldo de gols. Na última rodada da fase classificatória, precisando de um empate para avançar às oitavas de final, a Seleção pega a Sérvia às 15 horas (de Brasília) de quarta-feira, no Estádio do Spartak.

“Vamos tentar seguir nessa linha, de jogar e buscar a vitória, mas sem ficar descoberto atrás. Tanto eu quanto o Miranda fizemos uma excelente partida nesse aspecto. Os dois laterais, também. O caminho é continuar acreditando, por mais que seja difícil”, declarou o zagueiro.

Confira o boletim do jogo:



O técnico Tite se mostrou satisfeito com o desempenho da Seleção Brasileira nesta sexta-feira, embora o time tenha garantido a vitória por 2 a 0 apenas nos acréscimos. Antes disso os pentacampeões mundiais tiveram a oportunidade de abrir o placar, mais precisamente aos 32 minutos, em cobrança de pênalti, no entanto, com o auxílio do VAR, o árbitro Bjorn Kuipers anulou a penalidade marcada. Ao contrário da estreia contra a Suíça, o treinador do Brasil, desta vez, não contestou a decisão do juiz.

“Eu assisti ao lance. Tanto pode dar, como pode não dar. Estou falando eu, Adenor. Se sou eu o árbitro, cal. Mas respeito, porque é passivo de interpretação. Não precisamos de arbitragem para vencer o jogo, só queremos que ela seja justa”, afirmou Tite em entrevista coletiva após o triunfo sobre a Costa Rica por 2 a 0.

O treinador traçou um paralelo do episódio ocorrido nesta sexta-feira com a postura do árbitro do primeiro jogo, o mexicano César Ramos. Em ambos os lances considerados capitais para a comissão técnica brasileira contra a Suíça, o juiz sequer foi à beira do gramado conferir sua decisão revendo o vídeo. Com o holandês Bjorn Kuipers foi diferente.

“Tal qual foi olhado agora, que tivesse sido olhado antes. Interpreta da forma que quiser, mas olhe para todos. Não queremos auxílio. O Brasil quer ganhar sendo mais competente”, prosseguiu o comandante do time canarinho.

Apesar de ter saído com a vitória, Neymar reclamou bastante com o árbitro pelo pênalti anulado e chegou, inclusive, a receber cartão amarelo. A postura do principal jogador da Seleção Brasileira contrariou as orientações do ex-árbitro Wilson Seneme, que chegou a palestrar para o elenco antes do início da Copa do Mundo.

“O técnico é ético e nunca vai falar publicamente o que ele vai falar para os atletas. Mas, ele tem a noção exata daquilo que deve ser feito. Aliás, com todos os componentes que tiveram esses dois jogos, fiquei contente que ninguém reclamou”, afirmou Tite, parecendo se esquecer de Neymar. “Tivemos uma reunião com o Seneme e ele falou ‘não reclame, deixa com a arbitragem’”.

A Seleção Brasileira agora retorna a Sochi onde dará prosseguimento aos trabalhos para o seu último jogo no Grupo E da Copa do Mundo, na próxima quarta-feira, às 15h (de Brasília), no Spartak Stadium, em Moscou.

Confira o boletim do jogo:



Depois de uma campanha histórica em 2014 e a classificação entre as oito melhores equipes, a Costa Rica deixa a Copa do Mundo da Rússia eliminada ainda na fase de grupos, com duas derrotas nas duas primeiras rodadas. Nesta sexta-feira, o potencial defensivo se sobressaiu por 90 minutos diante da Seleção Brasileira, mas os seis minutos de acréscimo foram suficientes para um segundo de desatenção e o revés fatal.

Após a partida, com a eliminação na bagagem e um jogo ainda a ser disputado, coube ao capitão Keylor Navas dar explicações sobre o desempenho de sua seleção. O goleiro lamentou o revés, mas exaltou a vontade e a dedicação do time, que em nenhum momento deixou de lutar pela vitória e pela vaga na segunda fase.

“Perder é difícil, mas da forma como foi é ainda mais complicado de aceitar. Fizemos muito esforço, lutamos demais, mas o futebol tem dessas coisas, é assim, uma fatalidade. Saímos de cabeça erguida. É triste, mas é assim que o futebol vive”, disse o arqueiro e capitão da Costa Rica.

Depois de um primeiro tempo de muitas dificuldades impostas ao Brasil, a Costa Rica viu o domínio da posse de bola  nos pés do adversário durante a metade final. Isso tem a ver, segundo o goleiro do Real Madrid, com a qualidade dos jogadores, que se sobressaiu no momento mais importante da partida.

“Tentamos dar o máximo por nosso país, nos esforçarmos até onde tínhamos força. Ninguém pode dizer que não demos tudo de nós, que não nos dedicamos. Perder dói muito, é claro. Nem sempre a gente ganha, mas às vezes é preciso reconhecer que o adversário é muito qualificado e possui grandes jogadores que podem desequilibrar em um lance. Foi isso que fizeram”, ressaltou Navas.

Antes de se despedir da Rússia, a Costa Rica volta a campo na próxima quarta-feira, quando enfrenta a Suíça em Nizhny Novgorod, às 15h (de Brasília). No mesmo horário, a Seleção Brasileira mede forças com a Sérvia, na Arena Spartak.

Confira o boletim do jogo:




Quem vê o placar em 2 a 0 acredita que a Seleção Brasileira não teve grandes dificuldades para derrotar a Costa Rica. No entanto, a partida se mostrou bastante dura para o Brasil, que lutou muito para conseguir os gols e acabou sendo recompensado com dois já nos minutos finais da partida.

No entanto para conseguir chegar a estes dois gols, a equipe precisou finalizar 23 vezes ao gol adversário. Destes, apenas nove tiveram a direção correta do gol adversários, além de uma na trave, com Gabriel Jesus numa cabeçada no segundo tempo.

Apesar da dificuldade em marcar gols, o Brasil foi muito superior em todas as estatísticas em relação ao seu adversário. Se o Brasil finalizou 23 vezes, a seleção da Costa Rica chutou ao gol em apenas quatro oportunidades e nenhuma com a direção correta ao gol de Alisson.

Na posse de bola, o Brasil foi também muito melhor, já que esteve com ela em 66% do tempo. Com essa posse, a equipe buscou furar o bloqueio costa riquenho através do passe, por isso tocou a bola 742 vezes, contra apenas 274 da equipe adversária.

A demora para fazer o gol também rendeu um problema de nervosismo a nossa Seleção. Tanto que apesar das duas equipes terem cometido 11 faltas, apenas o Brasil recebeu cartão amarelo, sendo para dois jogadores do ataque: Neymar e Philippe Coutinho. Além disso, os dois cartões foram por reclamações contra a arbitragem.

Confira o boletim do jogo:



O árbitro holandês Bjorn Kuipers voltou atrás do pênalti marcado em cima de Neymar (Foto: Gabriel Bouys/AFP)

O Brasil ia empatando por 0 a 0 com a Costa Rica quando Neymar foi puxado e caiu dentro da área. O juiz holandês Bjorn Kuipers, sem hesitar, marcou pênalti, causando revolta nos jogadores costa-riquenhos. Após revisar a jogada pelo reucurso de árbitro de vídeo, ele voltou atrás e esta se tornou a primeira vez em que houve anulação de pênalti na Copa do Mundo.

Em todas as outras ocasiões, o recurso do árbitro de vídeo foi utilizado para mostrar algum lance não visto em campo e, então, reforçar a marcação. No entanto, com o Brasil, esta é a segunda vez que há polêmica na utilização do VAR.

No jogo de estreia, houve reclamações por parte dos brasileiros em lance do gol da Suíça, quando Miranda foi deslocado da jogada e não pôde cortar a bola, que acabou no fundo das redes de Alisson. Na ocasião, o juiz resolveu não rever o lance pois havia sido avisado que não existiu falta e a partida terminou em 1 a 1.

Contra a Costa Rica, a jogada aconteceu perto dos 30 minutos da segunda etapa. O camisa 10 recebeu a bola pela esquerda e recebeu um toque do zagueiro Gonzalez, da Costa Rica. O árbitro marcou o pênalti e, após ser alertado, consultou o VAR e anulou a penalidade.

Mesmo com esta polêmica, o Brasil venceu por 2 a 0, com gols de Philippe Coutinho e Neymar, e eliminou a Costa Rica da Copa do Mundo. Na próxima rodada, a Seleção de Tite enfrenta a Sérvia, pela última rodada da fase de grupos.

Confira o boletim do jogo:



O atacante Douglas Costa teve atuação decisiva no triunfo do Brasil sobre a Costa Rica, alcançado na manhã desta sexta-feira. Responsável pela assistência para Neymar fechar o placar em São Petersburgo, o atleta da Juventus entende que o lance é fundamental para a Seleção.

Colocado por Tite no lugar do apagado Willian no intervalo, Douglas Costa deu trabalho pelo lado direito do ataque brasileiro. Pouco depois do gol de Philippe Coutinho, o veloz ponta recebeu de Casemiro e cruzou para Neymar completar com sucesso.

“Fico contente de poder entrar dessa maneira: dando assistência, ajudando meus companheiros, ajudando o Neymar a fazer gol. É muito importante não só para ele, como para nós. Fico contente de poder colocar o nível que tive na Juventus dentro da Seleção Brasileira”, afirmou Douglas Costa à TV Globo.

Principal jogador da Seleção Brasileira, Neymar disputa a Copa do Mundo cercado por grande expectativa. Antes de marcar seu primeiro gol na Rússia e chorar, o camisa 10 tentou cavar um pênalti, marcado e em seguida anulado pelo árbitro holandês Bjron Kuipers.

Douglas Costa, questionado sobre a dificuldade para sair na frente, citou o empenho defensivo do rival. “As equipes estão realmente se cuidando quando jogam contra o Brasil. Eles defendem bastante e mantêm uma linha bem fechada. Precisávamos de jogadas rápidas e, quando entrei em campo, tentei ajudar minha equipe assim”, afirmou.

Com quatro pontos ganhos, o Brasil lidera o Grupo E da Copa do Mundo, já que supera a Suíça no saldo de gols. Na última rodada da fase classificatória, precisando de um empate para avançar às oitavas de final, a Seleção pega a Sérvia às 15 horas (de Brasília) de quarta-feira, no Estádio do Spartak.

 



O meia Philippe Coutinho voltou a ser protagonista na Copa do Mundo da Rússia durante a manhã desta sexta-feira. Com uma atuação inspirada do jogador do Barcelona, a Seleção Brasileira conquistou sua primeira vitória no torneio sobre a Costa Rica, em São Petersburgo.

O time comandado por Tite se lançou ao ataque no segundo tempo e pressionou em busca do gol. Aos 46 minutos, Marcelo cruzou da esquerda e Firmino ajeitou para Gabriel Jesus. O centroavante tentou dominar e Philippe Coutinho apareceu para completar diante de Keylor Navas, lance que abriu caminho para Neymar ampliar pouco depois.

Philippe Coutinho e Willian, escalados pelo técnico Tite em 21 dos 23 jogos de sua gestão na Seleção Brasileira, são os dois mais utilizados no período. Na primeira Copa do Mundo, aos 26 anos de idade, o meia do Barcelona já acumula dois gols em duas partidas.

Com quatro pontos ganhos, o Brasil lidera o Grupo E da Copa do Mundo, já que supera a Suíça no saldo de gols. Na última rodada da fase classificatória, precisando de um empate para avançar às oitavas de final, a Seleção pega a Sérvia às 15 horas (de Brasília) de quarta-feira, no Estádio do Spartak.