Futebol

Mattos vê rival em campeonato à parte: “Virtual campeão”

São Paulo, SP

14-07-2017 20:26:16

Cobrado pelos maus resultados do Palmeiras em 2017, o diretor de futebol Alexandre Mattos apontou o grande rival e último algoz como um exemplo a ser seguido. Para ele, o Corinthians já “é o virtual campeão brasileiro”.

“São dois campeonatos. Se o Corinthians não oscilar, há o Campeonato Brasileiro e há o Corinthians. Está equilibrado do Grêmio para baixo. Ganhando no domingo (do Vitória, no Palestra Itália), o Palmeiras chegará aos 22 pontos e ficará no bolo. Mas tem o Corinthians”, diferenciou Mattos, lembrando que o rival está disparado na ponta da tabela de classificação, com os seus 35 pontos.

O homem forte do departamento de futebol palmeirense abordou de maneira mais breve as diferentes políticas de contratações dos clubes paulistas. Enquanto o Palmeiras, turbinado pelos investimentos da Crefisa, gastou bastante em reforços, o Corinthians economizou e apostou em suas categorias de base.

“Vi o Carille falando que nem ele esperava isso. Ninguém esperava”, comentou Mattos. “E não é no futebol brasileiro, não. É no mundo. Em algum torneio do mundo, há um time com 11 vitórias e dois empates em 13 rodadas? Bayern de Munique, Real Madrid? Aplaudimos. É um importante exemplo para o futebol brasileiro”, reverenciou.

Alexandre Mattos só fez a ressalva que a prioridade absoluta do Corinthians é o Campeonato Brasileiro, enquanto clubes como o Palmeiras voltam as suas atenções à Copa Libertadores da América.

“Quem está destoando no campeonato é quem tem um pouco mais de tempo para treinar”, apontou. “O Corinthians tem tempo por não estar na Copa Libertadores e na Copa do Brasil, mas também há um mérito próprio absurdo. Temos que valorizar e bater palmas. É impressionante. Disse isso para as pessoas do Corinthians”, enfatizou.

“As pessoas do Corinthians” ainda serviram para Alexandre Mattos lembrar que ele próprio poderá voltar a ser elogiado na sequência da temporada. O Corinthians do presidente Roberto de Andrade também foi alvo de protestos de torcedores antes de se sobressair nacionalmente.

“Em 2015, com o time campeão brasileiro, era Deus no céu e o presidente Roberto na terra. Aí, em 2016, quando todo o mundo saiu, queriam o impeachment e diziam que ele não servia para nada. Isso mostra que precisamos ter discernimento. Ele está trabalhando, fazendo as coisas com calma, honestidade e tranquilidade. Aqui, é a mesma coisa”, equiparou Mattos.

Deixe seu comentário