Justiça determina condução coercitiva de Coronel Nunes à CPI do Futebol

São Paulo, SP

08-03-2016 23:24:28

O presidente da CBF, Coronel Nunes, terá de comparecer obrigatoriamente à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Futebol para depor no próximo dia 16. Foi o que determinou nesta terça-feira a Justiça Federal do Pará, acatando pedido do senador Romário realizado na semana passada.

A reclamação do Baixinho surgiu depois de o mandatário da CBF deixar de comparecer a uma sessão da CPI na última quarta-feira. A justificativa utilizada por Nunes foi a de que, no dia seguinte, o técnico Dunga divulgaria a convocação da Seleção Brasileira para os confrontos contra Uruguai e Paraguai pelas Eliminatórias.

"Numa atitude bem ao feitio do grupo dos 7x1, que se apoderou da CBF, que só pensa em ganhar salários milionários, sem qualquer contrapartida relevante para o futebol brasileiro, o Coronel sorrateiramente fugiu da convocação", disse o senador antes de entrar com um processo no TRF (Tribunal Regional Federal) da 1ª Região, no Distrito Federal.

A condução coercitiva ocorre quando o réu se recusa a contribuir com as investigações e deixa de comparecer quando convocado a depor. A medida ficou famosa na última semana no caso do ex-presidente Lula, que teve de ser conduzido coercitivamente pela Polícia Federal para depor na Operação Lava-Jato.

Deixe seu comentário