Principal jornal da Espanha rebate declarações de pai de Neymar

São Paulo, SP

20-11-2015 15:57:37

Após o pai de Neymar declarar que seu filho poderia deixar de atuar no futebol espanhol caso a justiça local não deixasse ambos trabalharem com tranquilidade, o principal jornal da Espanha, o El País, replicou as declarações de Neymar pai em um editorial nesta sexta-feira. Segundo o veículo, não só Neymar e seu pai, mas também quem não se adaptar ao fisco do país, deve deixar a Espanha e procurar novos rumos.

Nesta semana, Neymar pai reclamou das diversas barreiras e acusações que vem enfrentando sob sua gestão nos contratos de imagem de seu filho, jogador do Barcelona, além de sonegação de impsotos. Eles também enfrentam dois processos, um em Madrid e outro em Barcelona referentes a transição do Santos para o clube catalão.

Para o jornal espanhol, a tentativa de Neymar pai por um alívio nos tributos que devem ser pagos na Espanha é um retrocesso cívico e se ele não está satisfeito deveria deixar o país.

“Se não estiverem você, seu filho e sua empresa (de imagem) dispostos a acatarem as normas fiscais espanholas, o que implica em inspeções, perguntas e contradições, o melhor é irem embora. E é preciso dar a mesma resposta a quem puser sobre a mesa a ameaça de ir embora se não tiver conforto fiscal. Os impostos não estão concebidos, nem na Espanha nem em nenhum outro país, como fatores de comodidade. O contribuinte tem que aceitar os desconfortos fiscais e pronto”, relata o editorial escrito por Jesús Mota.

O texto ainda coloca em cheque as intenções das reclamações de Neymar pai, temendo que suas declarações possam surtir efeito e que as cobranças possam ser amenizadas para o lado dos brasileiros. “Além disso, que significa confortável? É possível que Neymar pai esteja pedindo impunidade tributária ou que a empresa dos Neymar não seja submetida a inspeções de agora em diante, mesmo que existam razões objetivas para isso”.

A publicação ainda aproveita para criticar algumas atitudes do ex-presidente do Barcelona, Joan Laporta, que foi a favor de Neymar e sua família, afirmando que a fiscalização tributária no país era exagerada. “Se seguir o balbucio conceitual de Laporta, qualquer cidadão pode se autodeclarar “crivado de impostos” e, em razão disso, dedicar-se sem mais à evasão fiscal”.

Deixe seu comentário