Presidente de Confederação Africana de Futebol é preso em Paris

São Paulo, SP

06-06-2019 11:09:27

O presidente da Confederação Africana de Futebol (CAF) Ahmad Ahmad foi preso na manhã desta quinta-feira no Hôtel de Berri, em Paris, onde ele estava hospedado para participar do Congresso da FIFA, segundo o jornal The Africa Report. Agora, ele será interrogado pela polícia francesa no Escritório Central de Combate à Corrupção e Crimes Financeiros e Fiscais.

Ainda de acordo com o periódico, a prisão está vinculada ao contrato quebrado unilateralmente pela CAF com a fabricante de equipamentos alemã Puma para entrar em um acordo com a Technical Steel, sediada em La Seyne-sur-Mer.

Esse contrato teria sido facilitado, segundo o ex-secretário-geral do órgão continental Amr Fahmy, pela proximidade entre Ahmad Ahmad e um dos gerentes da empresa francesa. O custo adicional chegaria a 830 mil dólares. Em abril, o mandatário se defendeu. "Todas as decisões foram tomadas de maneira coletiva e transparente", disse na ocasião.

A Fifa se pronunciou por meio do seu site oficial dizendo que não tem conhecimento dos detalhes que cercam a investigação, portanto, "não está em posição de fazer qualquer comentário especificamente sobre ela". Além disso, a entidade máxima do futebol disse que "está totalmente comprometida a erradicar todas as formas de irregularidades em qualquer nível do futebol".

A notícia da prisão do presidente da Confederação Africana de Futebol vem dias depois de o presidente da Fifa, Gianni Infantino, indicar que a entidade obteve sucesso no processo de limpeza após anos de corrupção.

Confira abaixo a nota completa:

A Fifa tomou nota dos eventos relativos a Ahmad Ahmad, que está sendo questionado pelas autoridades francesas em relação a alegações relacionadas ao seu mandato enquanto presidente da CAF.

A FIFA não tem conhecimento dos detalhes que cercam esta investigação e, portanto, não está em posição de fazer qualquer comentário especificamente sobre ela.

A FIFA está solicitando às autoridades francesas qualquer informação que possa ser relevante para as investigações em andamento dentro de seu Comitê de Ética.

Como um processo devido, todo mundo tem o direito à presunção de inocência, mas como o presidente da FIFA reiterou ontem, a FIFA está totalmente comprometida em erradicar todas as formas de irregularidades em qualquer nível do futebol. Qualquer pessoa que tenha cometido atos ilícitos ou ilegais não tem lugar no futebol.

A FIFA está agora limpa dos escândalos que mancharam sua reputação e essa mesma determinação deve prevalecer em órgãos como confederações. A FIFA estará na vanguarda de garantir que isso seja aplicado por todos os envolvidos no futebol.

Deixe seu comentário