Árbitra argentina pede intervenção judicial após ser agredida em campo por jogador

AFP - São Paulo,SP

01/08/22 | 19:52

A árbitra argentina Dalma Cortadi pediu nesta segunda-feira que a Justiça intervenha devido à agressão que sofreu no domingo de um jogador que a atingiu no pescoço durante uma partida do campeonato regional.

Cortadi, de 30 anos, denunciou o futebolista Cristian Tirone, zagueiro do Deportivo Garmense, na liga de Tres Arroyos (450 km ao sul de Buenos Aires) que a atacou após reagir a uma decisão e nocauteá-la, fazendo com que o jogo entre Deportivo Independencia e Garmense fosse suspenso e o agressor imediatamente preso.

Além disso, o jogador de 34 anos foi banido para sempre pelo seu clube.

"Caí e não me lembro de mais nada. Quando me levantei, estava tonta e com ânsia de vômito. Nunca havia acontecido nada parecido comigo", disse Cortadi, que precisou ser levada para um hospital, onde ficou em observação durante várias horas.

A agressão ocorreu durante o segundo tempo, quando Cortadi mostrou um cartão amarelo a Tirone após cometer uma falta, ao qual o jogador reagiu indignado. Nesse momento, a ábitra se virou para advertir também o goleiro, e então Tirone lhe deu um soco na nuca, derrubando Dalma.

A árbitra também afirmou que "aqui não importa o gênero (...) Queremos que a justiça seja feita e que este homem pague pelo que fez. Isso é o importante", disse ao jornal esportivo Olé, a quem confirmou que apresentou uma denúncia na delegacia.

Liga sai em defesa da árbitra

"Infelizmente, um louco violento nos colocou na mira de todo o país", disse o presidente da Liga Tres Arroyos, Ricardo Fernández, que também observou que esta liga tem arbitragem feminina há quatro anos e que Cortadi "é uma das árbitras mais experientes e com mais personalidade, com atuações muito boas".

O clube Deportivo Garmense suspendeu Tirone para sempre. "É um fato lamentável, dói muito. Foi tomada automaticamente a decisão de sancioná-lo, porque o que ele fez não tem nome", disse o presidente da entidade, José Luis del Río.

O dirigente destacou que Tirone havia chegado ao clube este ano, mas "não tinha histórico dessa magnitude, pelo menos não o víamos assim na instituição. Ninguém achava que ele iria acabar assim".

Tirone foi transferido para uma unidade policial no âmbito do caso descrito como "lesões leves e infração à lei de eventos esportivos", à espera de uma investigação sobre os fatos.

Deixe seu comentário