Familiares de vítimas da Chape emitem nota de repúdio à gozação

São Paulo , SP
05/02/2018 17:52:07 — 05/02/2018 17:56:24

Em: Chapecoense, Escolha do editor, Futebol, Nacional (URU)
Um torcedor que fez gesto de avião na Arena Condá já foi excluído do quadro de sócios do Nacional (foto: Nelson Almeida/AFP)

A Associação dos Familiares e Amigos das Vítimas do Voo da Chapecoense (AFAV-C) emitiu uma nota de repúdio à provocação de dois torcedores do Nacional em jogo da Copa Libertadores da América, na semana passada, na Arena Condá. Os uruguaios fizeram gestos em alusão a um avião no decorrer da partida, com referência ao acidente fatal que vitimou a delegação do clube catarinense em meio à decisão da Copa Sul-Americana de 2016.

“Além do profundo mau gosto, foi um ato de desprezo pela vida humana e pela dor eterna dos familiares, uma violência à memória das vítimas por parte desses covardes fantasiados de torcedores”, recrimina um trecho do texto.

A Chapecoense também agiu. Derrotada por 1 a 0 pelo Nacional no jogo de ida da pré-Libertadores, solicitou à Conmebol a exclusão imediata do adversário do torneio continental. Os dois times irão se reencontrar nesta quarta-feira, em Montevidéu.

Leia a nota de repúdio da AFAV-C:

AFAV-C, Associação dos Familiares e Amigos das Vítimas do Voo da Chapecoense, vem a público, manifestar o seu total repúdio, indignação e inconformidade, com os fatos ocorridos no dia 01/02/2018, na Arena Condá, em Chapecó, quando do jogo da Copa Libertadores, de responsabilidade da CONMEBOL( Confederação Sul-Americana de Futebol), entre Associação Chapecoense de Futebol e o Club Nacional de Football, do Uruguai.

É intolerável que parte da torcida do Nacional, por meio de explícitos e repetitivos gestos que fizeram alusão à tragédia com o voo da Chapecoense, ofendam a DIGNIDADE DAS FAMÍLIAS DAS VÍTIMAS QUE ESTAVAM NO AVIÃO QUE CAIU EM SOLO COLOMBIANO, NO DIA 29/11/2016.

ALÉM DO PROFUNDO MAU GOSTO, FOI UM ATO DE DESPREZO PELA VIDA HUMANA E PELA DOR ETERNA DOS FAMILIARES, UMA VIOLÊNCIA À MEMÓRIA DAS VÍTIMAS POR PARTE DESSES COVARDES FANTASIADOS DE TORCEDORES.

Atitude que, sobretudo, atentou contra a CONSTITUIÇÃO FEDERAL DO BRASIL, ao PRINCÍPIO DA DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA, bem como afronta a DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS, referendada pela ONU, em dezembro de 1948.

Desde já, em nome dos familiares e amigos das vítimas do VOO DA CHAPECOENSE, a AFAV-C declara que encaminhou o assunto ao seu Departamento Jurídico, que já está tomando as medidas cabíveis, em prol da MEMÓRIA DAS VÍTIMAS E DO RESPEITO A ETERNA DOR DE SEUS FAMILIARES.

Fabienne Belle
Diretora Presidente AFAV-C”.