Futebol

Ex-árbitro e vistoriador lança livro sobre estádios de futebol

São Paulo , SP
24/05/2019 13:10:13 — 24/05/2019 15:06:31

Em: Futebol, Notícias
‘A Fifa e os Estádios Brasileiros – quando o padrão é ser fora do padrão’ traz histórias sobre futebol e conta como os estádios do Brasil podem (ou não) se aproveitar do intitulado ‘padrão Fifa’ (Foto: Divulgação)

É o sonho de muita gente conhecer o futebol mais de perto e não é preciso ser jogador ou técnico para isso. Ansel Lancman, engenheiro de formação mas árbitro e vistoriador da Federação Paulista de Futebol, conheceu esse universo e, em junho, lança o livro “A Fifa e os Estádios Brasileiros – quando o padrão é ser fora do padrão”, um livro independente com um assunto inédito na bibliografia do futebol brasileiro.

“A ideia deste livro surgiu na época da Copa do Mundo Brasil 2014. Eu queria escrever, mas não sabia exatamente o quê. Quando teve a Copa do Mundo, com a história do padrão Fifa, as coisas ficaram mais claras. Foi nessa época que deu para formatar mais ou menos o que eu queria com isso”, disse Lancman.

Segundo ele, o padrão Fifa impõe uma série de exigências que não atendem ao mercado interno brasileiro, principalmente nos centros menores. “Então fiz o livro pensando em discutir o padrão Fifa e trazer pra realidade do Brasil”, observou.

Abordando todas as áreas dos estádios, dentro e fora do campo, a produção de Ansel faz um detalhamento sobre os palcos que recebem os jogos no país: o gramado e seu entorno, como as placas de publicidade e bancos de reservas, segurança da arquibancada, entrada e saída do estádio, iluminação e energia elétrica, vestiários e higiene, quiosques de alimentação, além do conceito de hospitalidade e o formato multiuso que estádios e arenas podem e devem ter. O livro será lançado no dia 18 de junho no SP Tap House, em São Paulo.

Trajetória de Ansel Lancman

Há cerca de 40 anos, o então recém-formado engenheiro Ansel decidiu levar a carreira de árbitro em paralelo à engenharia, apitando e bandeirando partidas em todo o Brasil entre 1980 e 1996. Neste meio tempo, em 1991, Ansel recebeu um convite de Eduardo José Farah, presidente naquela época da FPF, para trabalhar como vistoriador de estádios. A meta principal naquele momento era identificar a capacidade real de cada estádio paulista, se tinha condições de receber jogos e público condizente com a divisão à qual pertencia.

Ao longo da carreira de árbitro, Ansel foi ainda diretor do Sindicato dos Árbitros e, quando parou, trabalhou como avaliador de arbitragem da FPF por cerca de 5 anos. O fato mais marcante foi que o final da carreira de árbitro coincidiu com o crescimento da profissão de vistoriador de estádios. Uma pós-graduação em Avaliações e Perícias de Engenharia e o fato de ser referência entre clubes e prefeituras do País, alavancou a carreira de Ansel.