Arsenal

Stanford Bridge | 18/08/2018

Futebol/Campeonato Inglês

Em grande jogo, Chelsea vence Arsenal e mantém invencibilidade no Inglês

São Paulo , SP
18/08/2018 15:25:19

Em: Arsenal, Chelsea, Futebol, Futebol Inglês, Futebol Internacional

Dois jogos e duas vitórias. Esse é o retrospecto de Maurizio Sarri à frente do Chelsea nas duas primeira rodadas do Campeonato Inglês. Neste sábado, atuando pela primeira vez diante de sua torcida, seus comandados tiveram um início avassalador e a rápida construção da vantagem por 2 a 0 com Pedro e Morata. Porém, engana-se quem pensa que a vitória contra o Arsenal foi fácil, já que o empate foi alcançado pelos Gunners, que não impediram, porém,  Marcos Alonso de marcar o gol da vitória por 3 a 2.

Os primeiros 45 minutos de Chelsea e Arsenal foram daqueles em que ficou bem definido o período de domínio de ambos os times. Apoiado pela torcida e pelo treinador Maurizio Sarri, os Blues começaram a partida com o total controle das ações, abriram o placar aos oito minutos com Pedro, ampliaram aos 19 com Morata e seguiram criando até os 31 minutos, quando Mkhitaryan perdeu chance incrível, assim como Aubameyang anteriormente.

A oportunidade do armênio representou a mudança completa de panorama da partida, com os Gunners tomando para si o domínio. A prova disso foi o empate, com o mesmo Mkhitaryan aos 36 e com Iwobi aos 40 minutos. Tudo isso apenas na primeira etapa.

O primeiro tempo aberto deu lugar a um segundo tempo fechado, truncado, de menos chances. Porém, quando ela foi dada pelo Arsenal, o Chelsea soube aproveitar. Já com Hazard em campo, o time comandado por Sarri foi melhor na parte final e coube a Marcos Alonso, aos 34 minutos, marcar o gol da vitória.

Marcos Alonso marcou o gol da vitória do Chelsea (Foto: Daniel LEAL-OLIVAS/AFP)

O JOGO

Quem esperava um grande jogo e permeado por emoção ficou satisfeito apenas com os primeiros 45 minutos de Chelsea e Arsenal. Os Blues, jogando em casa, começaram melhores e criando as melhores chances. Aos oito minutos, uma delas foi bem concluída por Pedro, que abriu o placar. Jorginho fez grande lançamento para Marcos Alonso, que apenas tocou para o espanhol estufar a rede de Peter Cech.

Apesar do domínio completo do jogo nos primeiros minutos e uma série de oportunidades criadas, o Chelsea deu uma chance para o time do Arsenal, que só não empatou pela incompetência de Aubameyang. Sozinho, o gabonês recebeu cruzamento de Bellerin e perdeu um gol inacreditável debaixo dos postes.

Enquanto lamentava o gol perdido, o atacante do Arsenal viu Morata fazer a valer a lei do “quem não faz, toma”. Exatamente no lance seguinte, o atacante espanhol recebeu um lindo lançamento do compatriota Azpilicueta, driblou Mustafi e arrematou de perna esquerda para bater mais uma vez Cech e ampliar a vantagem do Chelsea para 2 a 0.

Foram 30 minutos do time de Maurizio Sarri antes da entrada em campo dos comandados de Unai Emery. Isso porque, depois de sofrer um domínio absoluto, foi o Arsenal que tomou para si o controle da partida e colocou o adversário “para correr”. Antes, porém, aos 31, Mkhitaryan perdeu mais uma chance incrível, que só não foi mais lamentada pelo lance do mesmo Mkhitaryan cinco minutos depois.

Aos 36 minutos, o armênio decidiu testar Kepa e obteve sucesso. Com um forte chute de perna esquerda, superou o arqueiro espanhol, que ainda tocou na bola, mas não evitou o tento que representou o início da reação. Quatro minutos depois, o autor do primeiro gol do Arsenal iniciou a jogada do segundo, terminada com a conclusão de Iwobi e o placar em igualdade antes do intervalo.

Diferentemente do primeiro tempo, o segundo foi desde o início mais equilibrado, até pelas diferentes propostas de cada time. Enquanto Emery optou pela entrada de Torreira no lugar de Xhaka, fortalecendo o setor de marcação, Sarri escolheu Hazard e Kovacic, estreante do dia, para buscar a retomada da vantagem no placar.

A primeira grande chance do período foi do Chelsea, aos 11 minutos, quando Barkley aproveitou o rebote do chute de Marcos Alonso e obrigou Peter Cech a fazer grande intervenção. A resposta foi de Aubameyang no minuto seguinte. Quando o atacante balançou a rede, porém, foi marcado o impedimento e o gol anulado.

Em busca de vencer jogando dentro de Stanford Bridge, o Chelsea manteve o ímpeto ofensivo e consegui fazer valer a superioridade aos 34 minutos. Marcos Alonso que havia parado em Cech anteriormente, conseguiu superar o arqueiro após cruzamento rasteiro de Hazard, que o lateral completou rasteiro para o fundo da rede. A vantagem, aliás, não ficou maior porque Cech espalmou o chute de Giroud aos 41.