Futebol/Bastidores

Coronel Marinho assume Comissão de Arbitragem prometendo mudanças

São Paulo , SP
28/09/2016 16:47:29

Em: Bastidores, Brasileiro Série A, Brasileiro Série B, Brasileiro Série C, Brasileiro Série D, Futebol
Com experiência na FPF, Coronel Marinho minimiza pressão com o novo cargo (Foto: Divulgação/CBF)
Com experiência na FPF, Coronel Marinho minimiza pressão com o novo cargo (Foto: Divulgação/CBF)

 

A nova Comissão Nacional de Arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) foi anunciada oficialmente nesta quarta-feira. Após Sérgio Corrêa da Silva pedir o desligamento da função, Marcos Cabral Marinho de Moura, o Coronel Marinho, foi o nome escolhido para exercer o cargo e já adiantou que promoverá mudanças, principalmente na escala de arbitragem.

“O sorteio vai ser reavaliado. Estamos discutindo. Não é fácil fazer a escala. Estamos estudando a melhor forma de atender árbitros, interesses da competição, do momento da competição. Temos que ter muito cuidado. Temos bons árbitros, uns 20 que podem participar de qualquer jogo”, avaliou.

Tenente-coronel da reserva da Polícia Militar de São Paulo, Marinho acumula experiência no comando da arbitragem da Federação Paulista de Futebol (FPF), onde ficou por 10 anos. O agora presidente da Comissão Nacional de Arbitragem da CBF minimizou a pressão sobre os árbitros e ressaltou o compromisso de sua gestão na busca por melhorias.

“Estamos acostumados com pressão. Fiquei 10 anos na Federação Paulista, estou acostumado. Polêmica de arbitragem faz parte. Mas ninguém está aqui para esconder nada. Temos que buscar sempre o melhor. A pressão vai sempre existir. Nossa preocupação é buscar uma melhoria continua em relação à arbitragem. Já houve um avanço extraordinário. Temos 20 câmeras vendo um lance. Tem gente que critica sem nunca ter pisado no campo. Mas às vezes foge, somos humanos. A equipe se equivoca. O árbitro erra sozinho e é quem vai receber a porrada. Mas repito que estamos sempre preocupados em melhorar a arbitragem”, disse.

Uma das palavras de ordem da gestão de Marinho será transparência. De acordo com o dirigente, ele e sua equipe, formada pelos ex-árbitros Cláudio Cerdeira, Alício Pena Júnior e Ana Paula Oliveira, estará aberta ao diálogo para receber possíveis reclamações contra a arbitragem.

“A transparência é um fator importante. Vou continuar sendo assim. Ouvir reclamação de dirigente faz parte, ele está no direito dele. Mas eu também estou no direito de analisar. O árbitro tem sempre que se aprimorar. Temos que ter respeito com o clube e isso se faz com atuações dignas, primorosas”, afirmou.

Coronel Marinho fez questão de destacar que seu antecessor, Sérgio Corrêa, será bastante consultado pela nova gestão, que vai reavaliar todos os procedimentos antes de propor mudanças.

“Minha comissão vai reavaliar todos os processos, ver onde está falhando, porque não surtiu o resultado. Vou conhecer ainda, vou conversar com o Sérgio (Corrêa). O Sérgio vai continuar conosco. Ele tem uma missão importante. Vai me ajudar bastante. Tudo vamos reavaliar. Se for coisa boa, permanece. Estamos em fase de estudos”, finalizou.