Corinthians supera lambança da arbitragem e quebra jejum em Derby

Helder Júnior e Bruno Ceccon - São Paulo , SP
22/02/2017 23:52:02 — 23/02/2017 01:20:20

Em: Campeonato Paulista, Corinthians, Futebol, Palmeiras

O árbitro Thiago Duarte Peixoto roubou a cena naquele que foi divulgado como o Derby centenário – o clássico de maior rivalidade em São Paulo completará 100 anos em 6 de maio. A injusta expulsão do ex-palmeirense Gabriel no final do primeiro tempo ameaçou os rumos da partida disputada em Itaquera, na noite desta quarta-feira. Ainda assim, o Corinthians chegou à vitória por 1 a 0 sobre o Palmeiras com gol de Jô, aos 42 minutos do segundo tempo.

Com bom volume ofensivo no primeiro tempo, o Corinthians chegou a acertar o travessão com o próprio Gabriel, que deixaria o campo por causa de um equívoco cometido aos 45 minutos. Keno (outro que tinha mandado a bola no poste) avançou pela esquerda e foi puxado por Maycon antes de Pablo dar um carrinho para afastar. Para o árbitro, no entanto, quem cometeu a falta foi o ex-volante palmeirense, punido com mais um cartão amarelo e o vermelho.

Em desvantagem numérica, o Corinthians foi pressionado pelo Palmeiras durante boa parte do segundo tempo – assustou só vez ou outra, impulsionado também pelo ímpeto de Kazim – e precisou se desdobrar defensivamente para segurar a igualdade no marcador. No final, em um erro de Guerra, Jô recebeu a bola de Maycon e concluiu rasteiro para fazer a festa da Fiel.

Os três pontos assegurados com muito sofrimento fizeram o Corinthians subir a 12 no grupo A do Campeonato Paulista, enquanto o Palmeiras permaneceu com 9 na chave C. O jejum de vitórias diante do rival também foi encerrado. Já eram dois empates e quatro derrotas desde 8 de fevereiro de 2015, quando o veterano meia Danilo garantiu um triunfo por 1 a 0 no primeiro Derby realizado no reformulado Palestra Itália.

Corinthians e Palmeiras voltarão a campo no sábado de Carnaval. Desfalcado de Gabriel, o time comandado por Fábio Carille visitará o Mirassol, enquanto a equipe dirigida por Eduardo Baptista receberá a Ferroviária em busca da reabilitação.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

O jogo – Os jogadores de Corinthians e Palmeiras estavam acelerados antes mesmo de o Derby começar. Enquanto a torcida única de Itaquera pulava e gritava freneticamente sob as luzes de sinalizadores, Dudu corria em direção ao banco de reservas e jogava no chão, sem qualquer cuidado, a flâmula que recebera do rival.

Quando a bola rolou, foi o Corinthians que tomou a iniciativa de tentar fazer cair o favoritismo do Palmeiras. Em sua primeira participação ofensiva, o ex-palmeirense Gabriel arriscou um chute de longa distância e fez a bola beliscar o travessão. Depois, virou-se para as arquibancadas e brandiu os braços para levantar ainda mais o público.

Os torcedores, que pediam “sangue no olho” e “tapa na orelha” desde a véspera do clássico, logo viram os ânimos se exaltarem também no gramado. Dudu provocava Fagner e Romero na ponta esquerda, passando o pé sobre a bola, e era marcado com firmeza. Felipe Melo foi ainda mais vigoroso quando dividiu com Gabriel. Levou o cartão amarelo.

Na tentativa de dar uma resposta também ao volume ofensivo do Corinthians, e não só às demonstrações de vontade, o Palmeiras começou a se lançar ao ataque pelos lados do campo. A intenção era explorar principalmente a velocidade de Keno, que ganhou a vaga de Guerra, pela direita.

Em um raro momento na esquerda, dentro da área, Keno acertou o travessão após sobra de bola em um lateral cobrado por Jean. Em outro avanço do atacante, já de volta ao lado direito, Cássio saiu estabanado do gol, mas ficou com a bola.

Dois jogadores do Palmeiras foram ainda mais atrapalhados no campo defensivo. Felipe Melo e Mina chocaram as cabeças em uma disputa pelo alto e foram ao solo aos 28 minutos – o volante levou a pior, precisando enfaixar a cabeça.

Após a paralização da partida para que os palmeirenses recebessem atendimento médico, o Corinthians se preocupou em não deixar o esfriar o ritmo intenso do Derby. Romero se empolgou ao aplicar um chapéu sobre o ex-corintiano Willian do lado direito. E Léo Jabá, até então tímido na vaga de Marlone, que contraiu uma virose, soltou o pé de longe e mandou a bola por cima da meta.

O Corinthians só não contava com uma baixa imposta pela arbitragem. Em uma nova investida pela esquerda, aos 45 minutos, Keno recebeu um puxão de Maycon e viu Pablo dar um carrinho para afastar a bola. O árbitro Thiago Duarte Peixoto resolveu punir Gabriel, que estava longe do lance, com um segundo cartão amarelo e consequentemente o vermelho.

Obviamente revoltados, os jogadores do Corinthians solicitaram o auxílio do quarto árbitro e do auxiliar para tentar reverter a decisão. O presidente Roberto de Andrade e o diretor de futebol Flávio Adauto se enervaram no túnel que dá acesso ao campo. Gabriel ouviu gritos de “fica” e ameaçou não sair. Nada adiantou.

Com a expulsão do volante confirmada, o Corinthians retornou para o segundo tempo apoiado por sua torcida, com Maycon mais recuado e sem abrir mão de atacar. O Palmeiras, agora em vantagem numérica, trocou Raphael Veiga por Guerra na esperança de envolver o rival.

Nos primeiros minutos da etapa complementar, o clássico seguiu equilibrado, embora o Corinthians tivesse um atleta a menos. Por isso – e também receoso em relação a uma possível compensação da arbitragem –, o técnico Eduardo Baptista sacou o polêmico Felipe Melo e mandou Thiago Santos ao gramado.

O Palmeiras colocou a bola na rede pouco depois, mas não valeu. Guerra cruzou da esquerda, e Mina colocou para dentro. O zagueiro colombiano, no entanto, estava em posição de impedimento – e a arbitragem, desta vez, conseguiu visualizar.

O gol anulado foi a senha para o Palmeiras passar a tirar proveito da ausência de Gabriel e pressionar o Corinthians. Aos 14 minutos, Willian quase surpreendeu Cássio com um chute forte de longa distância, que bateu no travessão e saiu. Aos 19, Keno fez o goleiro trabalhar com uma cabeçada à queima-roupa, bem defendida.

Querendo ainda mais do Palmeiras, que vez ou outra vacilava e expunha-se a contra-ataques, Eduardo Baptista trocou Willian por Alecsandro. Já Fábio Carille esperou até os 35 minutos para também agir, quando tirou o desgastado Léo Jabá para recompor o seu meio-campo com Moisés. Mais tarde, Kazim, outro esgotado fisicamente, cedeu lugar, ovacionado, a Jô.

E coube ao centroavante revelado pelo Corinthians acabar com o protagonismo de Thiago Duarte Peixoto na noite. Aos 42 minutos, Guerra foi desarmado na direita da defesa palmeirense por Maycon, que acionou Jô no meio. O prata da casa teve tranquilidade para finalizar rasteiro diante de Fernando Prass e garantir uma vitória heroica e histórica no Derby quase centenário.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 1 X 0 PALMEIRAS

Local: Estádio de Itaquera, em São Paulo (SP)
Data: 22 de fevereiro de 2017, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Thiago Duarte Peixoto (SP)
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (SP)
Público: 30.727 pagantes
Renda: R$ 1.535.887,00
Cartões amarelos: Gabriel e Jô (Corinthians); Felipe Melo, Raphael Veiga, Jean, Vitor Hugo e Alecsandro (Palmeiras)
Cartão vermelho: Gabriel (Corinthians)
Gol: CORINTHIANS: Jô, aos 42 minutos do segundo tempo

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel, Maycon, Romero (Paulo Roberto), Rodriguinho e Léo Jabá (Moisés); Kazim (Jô)
Técnico: Fábio Carille

PALMEIRAS: Fernando Prass; Jean, Mina, Vitor Hugo e Zé Roberto; Felipe Melo (Thiago Santos), Michel Bastos, Raphael Veiga (Alejandro Guerra), Keno e Dudu; Willian (Alecsandro)
Técnico: Eduardo Baptista




  • Dario Alves

    Que piada jogo medíocre dois times de segunda divisão só chutao horrível

    • SÉRIEBSÓPARAOSPEQUENINOS

      KKKKKKKK BOA VELHO! ALGUÉM QUE REALMENTE ENTENDE UM POUCO DE FUTEBOL E, SOBRETUDO, COM O MÍNIMO DE BOM SENSO…

    • SÉRIEBSÓPARAOSPEQUENINOS

      JOGO FEIO, TIMES HORRÍVEIS E DECIDIDO EM UM UM ERRO (BIZARRO) INDIVIDUAL (E TAMBÉM DE SORTE…) O [email protected]@ É TÃO RUIM QUE NO MOMENTO DO PASSE PARA O ESCRAVO DE JÓ KKKK ELE ERRA, CHUTA NO ZÉ ROSBERTOS APOSENTADOS PORÉM, A BOLA BATE NO ZÉ E VOLTA PARA ELE…. ENFIM, UM JOGO DIGNO DA TRANSMISSÃO DA REDE TTTTTT AOS SÁBADOS A TARDE…

  • VeioBanguela

    Quá…quá…quá…
    Meus fiii…quandu u meu Santus numbate nas porcada é o Tolintia qui dá tapa nas bunda das leitoa…

    AI qui Vregonha alieia.

  • Agnaldo Malheiro

    Chupa cambada de porcada desmoralizada, nós queremos mais, queremos ganhar de vocês no chiqueirinho arrendado pela seguradora, é muito mais gostoso, e sem falar, nós queremos ganhar dos pequenos times chamados de são paulo e santos, que são times de sexta divisão e sem nenhuma utilidade nenhuma, chora porcada, sem mundial de clubes da FIFA!!!!

    • Dario Alves

      Vamos ver quando o tricolor encontrar os gambas

  • Realista na terra de ninguém

    MÁÁÁÁ NEM COM DINHEIRO DA CREFISA PRO JUIZZZZ NÃO CONSEGUIRAM ???? KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK OOOO TIME FRACO ESSE PARMERINHA

  • Dario Alves

    Times das tristeza para quem assiste é claro pergunta quantas bola chutado a gol alguém pode me responder?

  • Ariel santos

    O Ducu ficou pianinho kkkkkkkkkk

  • Ariel santos

    Chupaaaaa Peppas Pig!

  • Dario Alves

    A MAIOR VÍTIMA DO JOGO A BOLA SAIU QUADRADA DO JOGO DE TANTO APANHAR QUE VERGONHA E AINDA TEM GENTE ACHANDO QUE SÃO TIMES KKKKKK SÓ PODE SER PIADA

  • Alexandre Velame

    Engraçado é que se fosse erro no jogo do São Paulo a Gambazeta publicaria um título, tipo: “Com reclamação de sãopaulinos” , “Polêmica arbitragem”, etc.etc. Mas como é do time deles o título fica: “LAMBANÇA”, “ARBITRO DEVERIA SER EXCLUIDO PRA SEMPRE”, “NÃO É MAIS NOSSO AMIGO?” “VAI TIMÃO” HEHEHE

  • Vaultboy

    O Rei dos Clássicos retornou!

    Chupa essa manga

  • Vaultboy

    E a chapelada do AlaKazim em cima do Peppa Melo? Quem merecia era o Duku mas ta valendo…

  • CESAR

    LAMENTÁVEL! UM PASSE PARA FRENTE TRÊS PARA TRAS, SEM CRIATIVIDADE NENHUMA, MINA DE ARMADOR, SEM VELOCIDADE, TÉCNICO MEDROSO, PRECISAM AVISAR O GUERRA QUE ELE CHEGOU, SEM CENTROAVANTE, FOI ASSIM ESSA DOLOROSA DERROTA PARA UM PÉSSIMO DOS PÉSSIMOS TIME CORINTIANO, MAS OS TIMES ADVERSÁRIOS DESCOBRIRAM COMO GANHAR DO PALMEIRAS, FICA TRANCADINHO ATRAS DEIXA O PALMEIRAS TOCAR A BOLA DE UM LADO PARA OUTRO SEM NOÇÃO E VELOCIDADE ATÉ PERDER A BOLA NA INTERMEDIÁRIA E O ADVERSÁRIO PARTE PARA CIMA EM ALTA VELOCIDADE NAS COSTAS DOS LATERAIS ESTA AI O INFERNO ALVIVERDE.