Corinthians domina Troféu Mesa Redonda; rivais emplacam nomes

Bruno Calió, Tomás Rosolino e Helder Júnior - São Paulo , SP
10/12/2017 23:00:46 — 10/12/2017 23:08:15

Em: Brasileiro Série A, Corinthians, Futebol, Palmeiras, Santos, São Paulo

O campeão brasileiro foi o grande homenageado da noite no Troféu Mesa Redonda, premiação concedida pela TV Gazeta aos melhores jogadores do Campeonato Brasileiro. Dividindo espaço com um representante de cada rival, o Timão emplacou seis nomes na seleção ideal, além do melhor técnico e da revelação da competição, encerrada no dia 3 de dezembro.

Em uma noite de discursos emocionantes, a seleção foi composta por Cássio; Fagner, Balbuena, Pablo e Diogo Barbosa; Gabriel, Bruno Silva, Moisés e Hernanes; Bruno Henrique e Jô. Fábio Carille foi o comandante ideal para a equipe escolhida, enquanto o meia Clayson, que jogou um jogo pela Ponte e foi contratado pelo Corinthians no restante, ficou como atleta revelado na competição.

O meia Hernanes, grande líder da recuperação do São Paulo para fugir do rebaixamento à segunda divisão nacional, foi agraciado com o troféu Gazeta Esportiva, entregue ao melhor jogador do torneio. A noite ainda reservou algumas homenagens, como a feita para o tenista Marcelo Melo, que terminou o ano como número 1 do mundo entre os duplistas do tênis.

Altafini Mazzola, que entregou o prêmio de melhor terceiro meio-campista ao palmeirense Moisés, também foi agraciado pelos serviços prestados ao futebol nacional. O preparador físico, Moraci Santana, e o ex-atacante Muller, hoje comentarista da TV Gazeta, representaram o São Paulo em uma homenagem aos 25 anos do bicampeonato mundial do clube do Morumbi.

O ponto alto das homenagens se deu quando o ex-lateral direito Zé Maria e o ex-volante Basílio, campeões com o Corinthians no Paulista de 1977, subiram ao palco em uma premiação que lembrava os 40 anos do título que tirou o Alvinegro de uma fila de mais de duas décadas sem título. Osmar Santos, narrador que registrou o gol histórico de Basília, também subiu ao palco, entregando prêmios aos corintianos e recebendo uma láurea para si.

“E que gooool”, brincou Osmar, que sofreu um grave acidente automobilístico na década de 1990 e perdeu quase toda a capacidade de fala. “Corinthians, bom. Gazeta, bom”, continuou o narrador, arrancando muitos aplausos dos presentes pelo carisma demonstrado.

Com diversos padrinhos e madrinhas entregando os prêmios, outra cena que emocionou os presentes se deu quando o primeiro atacante Bruno Henrique recebeu no palco seu avô, Genésio. Antes de entregar a premiação, o “responsável por tudo” na vida do atleta, de acordo com o próprio atacante, fez um discurso para o santista.

“Ele nasceu lá na nossa vila, é humilde o nosso lugar lá (Bruno é de Belo Horizonte-MG), o pessoal acha que não vai sair ninguém de bom. Mas ele está aí, nos dando orgulho. Está todo mundo te esperando lá”, disse Genésio, recebendo um forte abraço do neto, em lágrimas, em retribuição para o esforço empreendido na carreira do jogador.

Os únicos que não puderam comparecer à festa, que terminou com os corintianos festejando no palco, foram Barbosa e Jô. Representado por seu pai, o camisa 7 corintiano mandou um vídeo de agradecimento, justificando sua ausência pela iminência da chegada do filho, Miguel. “Eu gosto muito do Mesa Redonda, sempre assisti com o Jô. Era um sonho dele ganhar, infelizmente ele não pôde vir. Mas eu estou aqui”, comentou Dario.