Futebol/Bastidores

Com grandes de olho, Erik acredita já ser referência aos jovens

Juliana Arreguy, especial para a GE.Net - São Paulo , SP - Brasil
21/01/2015 10:00:00

Em: Bastidores, Brasileiro Série A, Campeonato Goiano, Entrevistas, Futebol, Goiás, Região Centro Oeste

O Campeonato Brasileiro de 2014 apresentou formalmente ao futebol uma jovem promessa. Eleito a revelação do Brasileirão, Erik, jogador do Goiás de apenas 20 anos, passou a ser observado de perto por todo o país.

Nascido e criado na roça, no interior do Pará, o atleta teve suas origens como outro elemento surpresa para os que o descobriram no decorrer da carreira. Mesmo com contrato firmado com a equipe esmeraldina até 2018, sua saída já foi especulada mais de uma vez. Em meio a tantas reviravoltas, encontrou espaço para mostrar seu talento da mesma forma que conquistou os técnicos da base do Goiás quando foi visitar o clube acompanhado do tio, aos 10 anos de idade.

A estreia como profissional foi no ano passado, em uma partida contra o Anapolina pelo Campeonato Goiano na qual entrou apenas nos minutos finais De um ano para cá, a vida de Erik mudou radicalmente, algo que o jogador considera como uma evolução.

“Muitas coisas mudaram. Você acaba subindo um patamar bastante alto. Toda honra e glória dou a Deus que me trouxe isso. Hoje sou muito feliz e estou muito tranquilo. As coisas mudam bastante e a gente acaba vendo elas de outra forma também, amadurecendo mais. Mas continuo o mesmo Erik de sempre e pretendo continuar trabalhando para conquistar novos desafios”.

Erik entrou para a base do Goiás com 10 anos
Erik entrou para a base do Goiás com 10 anos – Credito: Divulgação/Goiás E.C.

Erik pode continuar o mesmo, mas o futebol segue em evolução – junto com os sonhos de um rapaz que, mal saiu da base, e já despertou a atenção de diversos clubes brasileiros. Assim como o ídolo Romário, o sonho do jovem atacante é um dia poder vestir a camisa da Seleção Brasileira. Erik tem o ex-jogador como inspiração na carreira, tanto pela história do atleta, também de origem humilde, como pelo talento do Baixinho, campeão do mundo em 1994.

Em alta, Erik projeta sua carreira para frente. O jogador disse à Gazeta Esportiva.net que pretende trabalhar bastante ao longo de 2015 e consolidar a imagem de referência aos jovens. Mas se o momento de alçar novos voos – longe de Goiânia – já chegou, o atacante preferiu não revelar.

GazetaEsportiva.net- Você quase deixou o Goiás no ano passado. Se pudesse escolher outro estadual para atuar em 2015, qual teria sido? Chegou a receber alguma proposta de algum clube?

Erik – Tenho um contrato com o clube e estou com a cabeça muito focada aqui no Goiás e principalmente no Campeonato Goiano. Fico feliz de estar aqui. Mas no caso de outro estadual, o gaúcho, o campeonato mineiro e mesmo os do eixo Rio-São Paulo são todos bons campeonatos.

GE.net- Recebeu proposta de algum clube desses campeonatos citados?

Erik – Sim, sim, só recebi especulações e sondagens, mas nada demais. Procurei descansar, relaxar durante as férias, ficar com a família e minha noiva. Deixei isso com o clube. Tenho um contrato aqui.

GE.net- Pode revelar quais?

Erik – Não, não posso.

O Goiás recusou a proposta de um clube chinês pelo jogador
O Goiás recusou a proposta de um clube chinês pelo jogador – Credito: Divulgação/Goiás E.C.

GE.net – Qual a sensação de ter sido descoberto na base é ter virado uma revelação a nível nacional?
Erik – Ah, tudo é principalmente Deus que eleva a gente em grande esforço, sempre procuro estar próximo de Deus e da família, procuro estar num patamar bastante alto dando o melhor de mim e me esforçando cada dia mais.

GE.net – Você começou muito novo no Goiás. O clube te trouxe do interior do Pará. Como foi essa mudança repentina? No que o próprio Goiás contribuiu nessa adaptação?

Erik – Foi bem diferente mesmo, eu vim muito novo pra Goiânia. Foi diferente porque eu morava no interior do Pará e vim jogar no Goiás. As coisas aqui foram acontecendo e tudo correu bem rápido. Continuei trabalhando, busquei meu espaço e acabei passando por todas as categorias da base do clube. Sub-13, sub-15, sub-17 até o sub 20. Mas tudo veio no tempo certo para mim, e por isso, hoje, eu tenho vivido uma vida muito tranquila. Fui revelação do Campeonato Brasileiro e espero continuar trabalhando e mostrando o que posso fazer, e um dia espero poder vestir a camisa da Seleção Brasileira.

GE.net – Como você enxerga a formação de atletas que os clubes brasileiros têm hoje em dia?

Erik – Eu vejo de uma forma muito positiva, a gente tem grandes bases no Brasil. E como eu fui revelação entre grandes bases brasileiras, acabei me tornando referência e incentivo para os garotos da base aqui do Goiás. E eu procuro incentiva-los e fazê-los se orgulharem da base do clube de onde vem.