Com dois de Brenner, Brasil sub-17 vence Honduras e terá pedreira nas quartas

São Paulo, SP
18/10/2017 14:21:45

Em: Brasil, Futebol, Futebol Internacional, Honduras

Nesta quarta-feira, a Seleção Brasileira sub-17 garantiu vaga nas quartas de final da Copa do Mundo da categoria. A Amarelinha bateu a seleção de Honduras por 3 a 0, em Cochim, na Índia. Os gols foram marcados por Brenner, duas vezes, e Marcos Antônio.

Classificado, o Brasil pega a Alemanha pelas quartas de final. A seleção alemã não teve dificuldades para vencer a Colômbia, na segunda-feira, por 4 a 0. O duelo será um dos mais aguardados da próxima fase do Mundial, que já tem todos os confrontos definidos. A Inglaterra tem os Estados Unidos pela frente, Mali e Gana também se enfrentam e, por fim, Espanha e Irã medirão forças por uma vaga nas semifinais.

Brenner comemorando o primeiro dos dois gols que anotou na vitória brasileira (Foto: Divulgação/Fifa)

O jogo – Com a exceção de uma bola na trave, em chute de Palma aos 32 minutos, a Seleção Brasileira não sofreu grandes riscos ao longo do primeiro tempo. Aos 10 minutos de jogo, Brenner já havia inaugurado o marcador. Alanzinho, do Palmeiras, fez bela jogada pela direita, tabelou com Wesley, invadiu a área e cruzou rasteiro. A promessa do São Paulo só teve o trabalho de empurrar para o fundo do gol.

O segundo veio pouco antes do intervalo, aos 43 minutos. Em nova aparição de Alanzinho, agora pela esquerda, o camisa 10 deixou Marcos Antônio na cara do gol de Honduras. O meia do Atlético Paranaense apenas tirou do goleiro hondurenho e correu para o abraço.

Os brasileiros sacramentaram a classificação logo no início da etapa final, de novo com Brenner. Em ótima jogada, o flamenguista Wesley, que invadiu a área, inclusive dando um chapéu no defensor adversário, não conseguiu concluir para o gol. Brenner, de forma oportunista, aproveitou a sobra e mandou para as redes.

Aos 24 minutos, a trave novamente evitou o gol de Honduras, na melhor oportunidade criada pela mesma no segundo tempo. Mejía arrancou pelo meio e arriscou de longe. A bola explodiu no poste direito do goleiro Brazão, que atualmente defende o Cruzeiro.

Com larga vantagem no placar e amplo domínio na posse de bola (que chegou a 71%), o Brasil diminuiu o ritmo, assim como aconteceu em jogos da fase de grupos, apenas cadenciando o jogo até o apito final.