Cícero prega seriedade para evitar novo vexame na Copa do Brasil

São Paulo, SP

18-08-2015 19:26:46

O vexame histórico diante do América-RN na última edição da Copa do Brasil ainda tem seus reflexos no Fluminense. Na ocasião, depois de vencer por 3 a 0 fora de casa, o Tricolor entrou em campo com uma larga vantagem, que fez a equipe se acomodar e sofrer uma improvável goleada de 5 a 2, culminando na eliminação em pleno Maracanã.

O episódio serviu como lição para o Flu. Agora, a ordem é entrar com seriedade e evitar uma nova zebra no confronto contra o Paysandu, que tem seu jogo de ida nesta quinta-feira, às 19h (de Brasília), no Maracanã, pelas oitavas de final da competição nacional.

“Tudo serve de exemplo, como a derrota para o América-RN ano passado. O jogo se torna fácil quando nós fazemos ficar fácil. Se você entrar achando que é fácil, você acaba dançando. Tem que entrar concentrado em campo”, disse o meia Cícero, que estava em campo naquela fatídica noite de 13 de agosto de 2014.

Apesar da derrota, Cícero negou que tenha sido algo vergonhoso. “O futebol é emocionante por causa disso. Não chamo de vergonha. Mas serve de lição, e agora estamos preparados para isso”, disse.

Cícero admitiu conhecer pouco sobre o Paysandu, que disputa a Série B do Brasileirão. No entanto, o jogador acredita que os estudos prévios do técnico Enderson Moreira farão a diferença.

“Por jogarmos a Série A, nós acabamos focando em outros jogos. Eu não conheço muito o Paysandu, mas com certeza o Enderson sabe como é o time e vai nos passar o que sabe para conseguirmos a vitória”, disse o meia.

De volta ao Tricolor após um seis meses emprestado ao Al-Gharafa do Catar, Cícero não mostrou demora para readaptar-se ao ritmo de jogo no Brasil, e já foi decisivo para o Flu na última partida da equipe no Brasileiro, a vitória por 2 a 1 sobre o Figueirense, em sua segunda vez como titular com Enderson.

“Meu último jogo foi no dia 2 de maio. Estava de férias por três meses, e agora retornei. Minha primeira partida foi contra o Internacional (na última quarta-feira). O jogador requer ritmo de jogo. Por começar bem, a confiança só tende a aumentar”, completou o meia.

Deixe seu comentário