Ceni discorda de Rodrigo Caio e Tite: “Talvez sejam melhores do que eu”

São Paulo, SP

22-05-2017 22:54:02

O cartão amarelo que o zagueiro Rodrigo Cario ajudou a retirar do centroavante Jô nas semifinais do Campeonato Paulista ainda rende discussão. Após a vitória por 2 a 0 do São Paulo sobre o Avaí, nesta segunda-feira, no Morumbi, o técnico Rogério Ceni esteve em um programa de televisão ao lado do seu defensor e repetiu que reprovou o gesto de fair play.

“A minha posição não é tomada à frente das câmeras, depois de analisar todas as situações. Não faço isso no ar-condicionado, mas no calor do jogo. E discordo do Rodrigo Caio. O Jô o empurrou e poderia ter sido punido com o cartão amarelo. Talvez o Tite e o Rodrigo Caio sejam pessoas melhores do que eu”, disse Ceni, ao SporTV, incomodado com o assunto.


A referência a Tite se deu em função da última convocação da Seleção Brasileira, para os amistosos contra Argentina e Austrália. Rodrigo Caio figura na lista, e o ex-treinador do Corinthians justificou que a conduta do zagueiro no Majestoso das semifinais do Paulista também contribuiu para o chamado.

“Perguntei para o Rodrigo Caio se ele sabia que o Jô estava pendurado. É muito fácil o treinador da Seleção falar com oito jogos e oito vitórias. Eu levaria o Rodrigo Caio para a Seleção, mas não por isso. Daqui a pouco, cada um que avisar sobre um cartão amarelo terá que ser convocado”, argumentou Ceni, apesar de apontar Tite como o melhor técnico do País.

Já Rodrigo Caio se mostrou mais uma vez constrangido com a polêmica. “Fico feliz com as palavras do treinador da Seleção. É sempre um orgulho muito grande ser elogiado por ele, um comandante que todos admiram. Mas aquilo faz parte do passado. Tive uma atitude de que não me arrependo, ao contrário. Foi algo normal para mim. Não pensava que daria essa repercussão toda. Isso também não deixou nenhum mal-estar no grupo”, garantiu.

O mal-estar foi público. Também zagueiro do São Paulo, Maicon avisou rispidamente diante das câmeras de televisão que concordava com o ponto de vista de Rogério Ceni. “Cada pessoa tem uma opinião. Vivemos em um país assim, democrático. Bola para a frente. Cada um com a sua consciência. Quando fiz aquilo, a minha consciência ficou muito tranquila”, defendeu Rodrigo Caio.

Antes de encerrar o assunto, Rogério Ceni ainda fez uma ressalva. “Não confundam a corrupção política com um ato de cartão amarelo. Não façam comparações, por gentileza. Seria injusto comigo e com o Rodrigo Caio”, afirmou o ídolo são-paulino.

Deixe seu comentário