Futebol

Opositores pedem investigação do MP nas eleições do Santos

Do correspondente Vitor Anjos - Santos , SP
07/12/2017 18:43:40 — 07/12/2017 18:48:37

Em: Bastidores, Escolha do editor, Futebol, Notícias, Santos

A eleição presidencial do Santos, que acontece no próximo sábado, promete ter fortes emoções. Os candidatos de oposição José Carlos Peres, Nabil Khaznadar e Andres Rueda pediram para o GAECO (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), órgão do Ministério Público, investigar uma eventual prática criminosa por conta do ‘boom’ de sócios do Peixe no fim de 2016.

Para pedir a investigação, os candidatos se basearam nas informações divulgadas pela ESPN na última semana. Segundo a publicação, o alvinegro registrou a associação de pouco mais de 2 mil novos membros em 17 dias entre novembro e dezembro do ano passado, prazo limite para que esses sócios participassem do pleito.

“Queremos que as eleições sejam feitas no dia 9 sim. O torcedor merece que ela seja mantida. Estamos preparando fiscais, mesários, estamos preparados para tudo. A investigação caberá ao GAECO. Não queremos deixar isso para depois. Não deixaremos acontecer no Santos o que aconteceu no Vasco. Não queremos o ‘Vasco – O Retorno’. O Santos é muito maior”, explicou Nabil, candidato da chapa ‘O Santos Que Queremos’.

Da esq. p/ dir: Andres Rueda, Nabil Khaznadar e José Carlos Peres (Foto: Vitor Anjos/Gazeta Esportiva)

Apesar do desejo de manter a eleição neste sábado, é possível que o resultado seja alterado após o pleito, dependendo do que for apurado pelo órgão do Ministério Público.

“Por enquanto, é só isso. Não estamos acusando ninguém, estamos nos focando na denúncia da imprensa. Ficou muito claro que, nos últimos dias, na data-limite para poder votar, entraram cerca de 2 mil sócios. Pode ser que no meio disso tenham alguns que não tenham a ver, mas, a princípio, ficamos cautelosos. O artigo 39 do Estatuto não permite denúncias nesse período eleitoral. O que fazemos aqui é tomar providência que torcida nos cobra. Querem que a gente se posicione. O primeiro posicionamento foi procurar um órgão que faz um belo trabalho no Brasil”, ressaltou Peres, do grupo ‘Somos Todos Santos’.

“Não estamos afirmando nada, não somos Polícia, mas é algo que nos deixa com enorme vergonha. Cada vez mais o clube é jogado na lata de lixo, isso vai custar muito para recuperar. É indecente, não afirmo, pois não temos provas, quem tem é a Polícia, o GAECO, mas o que se tem falado na imprensa, sobre empresários fazendo e acontecendo, é vergonhoso. Clube é do sócio, não do empresário. Em Piracicaba, tem quase mais sócios que habitantes numa rua. Foi apurado pela imprensa que um funcionário do clube fazendo pagamentos para alguns sócios. Tudo isso leva a uma suspeição. Não estamos acusando, é um direito que nos cabe. Alguém tem que investigar. E a GAECO precisa investigar. Isso não cheira bem. Santos não merece passar por isso. É vergonhoso”, concluiu Andres Rueda, da ‘Santástica União’.

Em contato com a Gazeta Esportiva na última semana, o presidente Modesto Roma Júnior negou as irregularidades.

“De maio a setembro deste ano nós tivemos 7 mil novos sócios. Então o que é esse ‘boom’ de associados que estão dizendo? Quando o time se classifica para a Libertadores, como aconteceu ano passado, é absolutamente normal que o número de sócios cresça”, afirmou o mandatário.