Justiça italiana investiga dois médicos pela morte do zagueiro Astori

São Paulo, SP

10-12-2018 16:00:00

O Ministério Público de Florença enviou nesta segunda-feira uma notificação de acusação a dois médicos italianos que estão sendo investigados por um possível homicídio culposo - quando não há intenção de matar - do zagueiro da Fiorentina, Davide Astori, que faleceu em 4 de março deste ano por uma parada cardíaca.

Os médicos, que trabalhavam em dois órgãos públicos de Florença e Cagliari, onde Astori jogou entre 2008 e 2015, estão sendo investigados por terem declarado o jogador apto para a prática esportiva, apesar das anomalias cardíacas apresentadas em exames de 2016 e 2017 e publicados recentemente por um jornal florentino.

Aos 31 anos, Astori foi encontrado morto em um quarto de hotel em Udine, onde estava concentrado com sua equipe para o duelo contra a Udinese no dia 4 de março, pelo Campeonato Italiano. De acordo com a autópsia realizada, o jogador sofreu uma aceleração anormal do ritmo cardíaco, apesar dos primeiros exames realizados logo após sua morte indicarem uma desaceleração do coração.

O zagueiro italiano iniciou sua carreira no Milan e também defendeu a camisa da seleção da Itália em 14 oportunidades. Em homenagem ao jogador, a Fiorentina e o Cagliari aposentaram a camisa 13, usada por ele.

Deixe seu comentário