Arsenal bate City em confronto direto eletrizante e segue na vice-liderança

São Paulo, SP

21/12/15 | 19:53 - 21/12/15 | 20:11

Walcott marcou um belo gol para abrir o caminho da importante vitória do Arsenal (foto: Adrian Dennis/AFP)
Walcott marcou um belo gol para abrir o caminho da importante vitória do Arsenal (foto: Adrian Dennis/AFP)

Nesta segunda-feira, o Arsenal deu um passo importante na briga pela liderança do Campeonato Inglês. Jogando em casa, em Londres, os Gunners venceram o Manchester City por 2 a 1 em duelo válido pela 17ª rodada da competição. O confronto direto entre as duas equipes que brigam no topo da tabela ainda foi marcado pela simbólica presença do troféu da Premier League, que esteve em exibição no estádio.

Os gols que selaram a vitória mandante foram anotados por Walcott e Giroud. Yaya Touré marcou um belo tento pelos visitantes no fim do segundo tempo e iniciou pressão pelo empate, que não se concretizou, para o alívio da torcida mandante.

Com o resultado, os comandados de Arsene Wenger se mantiveram na segunda colocação da tabela, agora com 36 pontos – quatro a mais que o próprio City e dois a menos que o líder Leicester. O próximo compromisso dos Gunners na briga pela ponta está marcado para este sábado, quando a equipe londrina enfrenta o Southampton.

Os Citizens, por sua vez, perderam a oportunidade de assumir a vice-liderança e viram a diferença para o Leicester crescer para seis pontos. Além disso, o time comandado por Manuel Pellegrini está apenas três unidades à frente do quarto colocado Tottenham.

Aguero e companhia também voltam a campo neste sábado, mas como mandantes, e enfrentam o Sunderland diante de sua torcida.

Além de Walcott, Giroud também balançou as redes para definir o triunfo do Arsenal (foto: Adrian Dennis/AFP)
Além de Walcott, Giroud também balançou as redes para definir o triunfo do Arsenal (foto: Adrian Dennis/AFP)

O jogo - A presença do troféu da Premier League não inspirou as duas equipes no primeiro minuto, e a partida começou amarrada no meio de campo. Com exceção de alguns chutes sem direção de longe, a primeira boa chance de gol da partida saiu apenas aos 22 minutos, quando De Bruyne recebeu na ponta direita, cortou para dentro e soltou a bomba, mas Cech caiu bem para defender.

O City era melhor que o Arsenal no duelo, ficando mais com a bola e desenvolvendo suas trocas de passes. Assim, os visitantes voltaram a ameaçar aos 31 minutos, quando Aguero saiu da função de finalizador e virou garçom, para servir De Bruyne em rápido contra-ataque, mas o belga mandou o chute cruzado a poucos centímetros da trave.

Já o Arsenal foi letal na oportunidade que teve. Aos 33, Ozil dominou pelo meio e abriu na esquerda. Walcott surgiu de trás da marcação para ajeitar e acertar um lindo chute no canto esquerdo da meta adversária, sem chance para o goleiro Hart. A bela conclusão do camisa 14 foi o centésimo gol dos Gunners em 2015.

O troféu do Inglês esteve presente no duelo entre os dois postulantes ao título (foto: reprodução/Twitter)
O troféu do Inglês esteve presente no duelo entre os dois postulantes ao título (foto: reprodução/Twitter)

E o 101º não demoraria a sair. Já nos acréscimos da primeira etapa, os donos da casa foram precisos no contra-ataque: após erro no meio-campo dos Citizens, Ozil recebeu de Monreal e rolou para Giroud, que não perdoou e finalizou no meio das pernas de Hart para aumentar a vantagem dos Gunners.

O City voltou do vestiário com Sterling no lugar de Delph, e a segunda etapa começou mais movimentada, mas seguindo a mesma dinâmica da primeira, com maior posse de bola do City e aposta no contra-ataque por parte do Arsenal, que teve a primeira boa chance após o intervalo. Aos sete minutos, Monreal cruzou rasteiro e Campbell cabeceou por cima do gol.

Logo em seguida veio a resposta dos visitantes, com Aguero, que desviou cobrança de falta de Kolarov, mas não pegou Cech desprevenido, e o goleiro fez a defesa. Já no minuto seguinte, pressão dos Gunners: primeiro Campbell recebeu sozinho e bateu mal para defesa de Hart. Depois, Walcott desviou cruzamento de Bellerín, mas parou em corte preciso de Otamendi.

Então, aos 17 minutos, Manuel Pellegrini decidiu sacar Aguero, e o argentino saiu antes que Bony, seu substituto, estivesse preparado para entrar, e o City ficou com dez jogadores por alguns momentos. Com a boa vantagem no placar, o Arsenal se soltou na partida e passou também a tomar as iniciativas ofensivas. Assim, quase ampliou o marcador aos 25 minutos, quando Monreal cruzou pelo lado esquerdo e Ozil por pouco não conseguiu desviar para o fundo do gol.

Yaya Touré marcou lindo gol de canhota para o City, mas não conseguiu evitar a derrota (foto: Ian Kington/AFP)
Yaya Touré marcou lindo gol de canhota para o City, mas não conseguiu evitar a derrota (foto: Ian Kington/AFP)

Os visitantes, por sua vez, rondavam a área dos Gunners, mas com pouca criatividade. Assim, Bony desperdiçou chance de marcar de cabeça aos 29 minutos e, aos 33, Jesús Navas hesitou após receber belo passe em profundidade de Fernandinho e, em vez de aproveitar sua boa posição para bater, tentou o passe para o meio, mas foi interceptado pela defesa.

Os minutos finais, então, foram de pura emoção em Londres. Aos 37 minutos, Yaya Touré recolocou o City na disputa com uma verdadeira pintura. O marfinense recebeu de Sagna e, com pouco espaço no canto direito da área, acertou um belo chute de primeira no ângulo de Cech. Ramsey perdeu a chance de matar o jogo em contragolpe logo em seguida, e os visitantes quase empataram em finalizações de Bony e Touré, mas a torcida dos Gunners pôde celebrar a vitória após o apito final.

Deixe seu comentário