Futebol/Campeonato Paulista

Portuguesa visita XV em Piracicaba tentando superar turbulência política

GazetaEsportiva.net - Piracicaba , SP -
10/03/2015 08:00:00

Em: Campeonato Paulista, Campeonatos, Campeonatos Estaduais, Futebol, Portuguesa, Região Sudeste

Depois de apenas empatar com o Penapolense e ver a distância para o líder Palmeiras aumentar, a Portuguesa tenta se recuperar fora de casa, contra o XV de Piracicaba nesta terça, às 19h30 (de Brasília), no Barão de Serra Negra, em partida válida pela nona rodada do Campeonato Paulista.

Além do momento vivido dentro de campo, a Lusa ainda tenta se recuperar da grave crise que a assombra desde o caso Héverton, ocorrido no fim de 2013. Na última quinta-feira, o atual presidente Ilídio Lico tentou um acordo com o Conselho de Orientação Fiscal (COF) na tentativa de obter um prazo maior, de 90 dias, para apresentar soluções para os problemas financeiros do clube. O pedido, no entanto, foi negado, e o mandatário segue com apenas 30 dias para reunir a quantia de R$ 20 milhões, necessária para as dívidas mais urgentes. Além disso, a reunião do Conselho Deliberativo que deveria votar o impeachment do cartola terminou em confusão. Portanto, é provável que o presidente renuncie ao cargo para evitar danos maiores.

Para piorar, a Portuguesa não vence o XV de Piracicaba desde 20 de julho de 1986, quando bateu o adversário desta terça-feira por 3 a 0, pela 11ª rodada do segundo turno do Paulista daquele ano. Desde então, o Nhô Quim atuou como anfitrião diante da Lusa mais sete vezes, vencendo duas e empatando as outras cinco. Mais recentemente, a equipe de Piracicaba venceu os paulistanos por 1 a 0, em janeiro de 2014. No retrospecto geral, no entanto, a vantagem lusitana é boa: são 28 triunfos da Portuguesa, 25 empates e 20 vitórias do XV. Além disso, o time do Canindé marcou 127 gols e foi vazado 87 vezes. O Pacaembu é o palco da maior goleada da história do duelo: um 7 a 0 da Lusa no estadual de 1950.

Na atual edição do Paulista, a Lusa ocupa a segunda colocação no grupo 3, com 10 pontos – oito a menos do que o líder Palmeiras, que vem de cinco vitórias seguidas. Na cola da Portuguesa está o Botafogo-SP, com nove. A equipe no Canindé, no entanto, tem um jogo a menos que os rivais – a partida contra o Corinthians, válida pela quarta rodada, foi adiada para o dia 24 de março em virtude da participação alvinegra na Copa Libertadores.

O técnico Ailton Silva, da Lusa, terá a difícil missão de superar a crise nos bastidores do clube
O técnico Ailton Silva, da Lusa, terá a difícil missão de superar a crise nos bastidores do clube – Credito: Divulgação

Do outro lado do duelo, os números são deixados de lado em nome da “cautela”. O treinador do XV, Toninho Cecílio, tratou o termo como palavra de ordem para o momento de sua equipe, terceira colocada do grupo 4 do Paulista, com sete pontos – dois a menos do que o Capivariano, seu principal concorrente, e 13 a menos do que o Santos, líder.

“Estamos em uma situação de cautela, o Campeonato está difícil para o XV. Temos que melhorar, e tentar matar a partida quando tiver oportunidade. A Portuguesa é um time qualificado e superior a muitos do interior. A equipe tem jogadores decisivos, como o Edno e o menino que foi artilheiro no ano passado, Léo Costa, pelo Rio Claro. É um time que sabe jogar e que trabalha bem a bola. É bom que o torcedor tenha paciência, desespero não leva a lugar nenhum. Existem momentos em que a gente precisa dar a bola ao adversário para ganhar espaço. Contra o Botafogo a torcida comprou a ideia do time da raça, e amanhã será assim, pois precisamos do resultado”, avaliou o técnico, que testou o time com duas mudanças: Chico e David Batista foram substituídos por Bruninho e Roni, respectivamente, em um 4-2-3-1 que priorizou a marcação ainda no ataque.

Preocupado com a situação do XV na tabela, Toninho avalia mudanças na equipe
Preocupado com a situação do XV na tabela, Toninho avalia mudanças na equipe – Credito: Divulgação

Além de XV e Portuguesa, que se enfrentam às 19h30 desta terça-feira, outros três jogos acontecem no mesmo horário. Em um confronto entre desesperados, o Bragantino – último do grupo 4 com três pontos somados – recebe no Nabi Abi Chedid o também quinto colocado Marília, que tem apenas dois pontos na chave 3.

Simultaneamente, os quartos colocados – dos grupos 4 e 3, respectivamente – Penapolense e Linense se enfrentam no Tenente Carriço, e o Rio Claro recebe o Red Bull Brasil em um duelo de lanternas.