NBA

Basquete/NBA

Finais da NBA começam com teste para dinastia dos Warriors e chance inédita para os Raptors

São Paulo , SP
30/05/2019 06:00:14

Em: Basquete, Mais Esportes, NBA, Notícias
Golden State Warriors e Toronto Raptors disputam o título da maior liga de basquete do mundo (Foto: Arte/Gazeta Esportiva)

As finais da principal liga de basquete do mundo começam nesta quinta-feira em um duelo de opostos. O atual bicampeão da NBA Golden State Warriors terá pela frente, em sua quinta decisão consecutiva, o Toronto Raptors, primeira equipe canadense da história a chegar tão longe na competição.

Em série de melhor de quatro, com até sete jogos, os campeões das Conferência Leste e Oeste tentam alcançar o troféu Larry O’Brien da temporada 2018/2019. Para o primeiro round, o mando é da equipe com melhor campanha na temporada regular, Toronto, que obteve 58 vitórias contra 57 do Golden State. A bola sobe na Scotiabank Arena às 22h00 (horário de Brasília), pela primeira vez no Canadá.

Após mais uma temporada dominante, a equipe da Califórnia, comandada pelo armador Stephen Curry, não teve dificuldade para chegar a mais uma final. A equipe se classificou na 2ª posição do Oeste na temporada regular e eliminou Los Angeles Clippers, Houston Rockets e Portland Trail Blazers nos playoffs para garantir a conferência.

Já a equipe canadense teve um trajetória muito mais emocionante para chegar em sua primeira decisão. Apesar da boa campanha e também segunda colocação em sua Conferência, os Raptors travaram embates duros na pós-temporada. Depois de avançar sobre o Orlando Magic sem grandes dificuldades, Toronto derrotou o Philadelphia 76ers no último lance do jogo 7, e virou sobre o Milwaukee Bucks após sair atrás com duas derrotas.

Estatísticas dos destaques Stephen Curry e Kawhi Leonard nos playoffs da temporada 2018/2019 da NBA (Foto: Arte/Gazeta Esportiva)

Se, por um lado, o grande desafio da equipe canadense é capitalizar em cima dos desfalques que os Warriors terão na série, a preocupação do time da Conferência Oeste é justamente lidar com tais ausências. Com contusões durante a sequência nos playoffs, o ala Kevin Durant – MVP (melhor jogador) das últimas duas finais da NBA – e o pivô DeMarcus Cousins estão fora do primeiro jogo das finais, sem data definida para o retorno.

Toronto venceu os dois duelos contra os Warriors na temporada regular (Foto: Ezra Shaw/Getty Images/AFP)

O Mão-Grande tenta derrubar a dinastia californiana

A cidade de Toronto e os próprios Raptors não negam: se a equipe canadense quer qualquer chance mínima de derrubar a dinastia dos Warriors, precisa que Kawhi Leonard, craque do time, jogue muito. E isso ele tem feito nesses playoffs.

Com médias de aproximadamente 31 pontos, nove rebotes e quatro assistências na pós-temporada, Kawhi tem o apelido de “Mão-Grande” – e o nome não é à toa: o ala tem 28,5 centímetros do pulso até a ponta dos dedos. Assim como suas mãos, as atuações do atleta nesses playoffs têm sido gigantes, justificando o status de melhor jogador do time e principal esperança de título.

Em busca do quarto anel

Stephen Curry é o principal rosto da principal franquia dos tempos recentes de NBA. Isso diz muito sobre o armador de 31 anos, que defende o Golden State Warriors desde o início de sua carreira na principal liga de basquete do mundo. Com médias de 27 pontos, seis rebotes e cinco assistências, Curry tem na bola de três a sua arma fundamental para a série.

Aliás, foi justamente com tal fundamento que o camisa 30 é um dos principais personagens da mudança no estilo de jogo da liga, mais voltado ao arremesso de longe do garrafão. Justiça seja feita: o próprio currículo de Curry mostra que a aposta de Golden State nele dá certo, ainda mais com a ausência de Durant. O armador tem três títulos na conta, além de dois prêmios de MVP, seis seleções para o time ‘All-Star’ e um título da cestinha da temporada (2016), entre muitas outras premiações.

Trajetória nos playoffs

Trajetória dos Warriors e dos Raptors até as finais (Foto: Reprodução/NBA)