NBA

Espaço da NBA na Av. Paulista tem apresentação e exibição de jogo

Felipe Leite* - São Paulo,SP

06-06-2018 23:25:58


Nesta noite de quarta-feira, dia do jogo 3 da série melhor de sete pelas finais da NBA, entre Golden State Warriors e Cleveland Cavaliers, a principal liga de basquete do mundo abriu ao público seu espaço dedicado à decisão, em plena Avenida Paulista.

Antes mesmo da liberação de entrada ao público, o movimento em frente a NBA House era intenso. Diversas pessoas pararam para tirar fotos da estrutura e até delas mesmas, com o espaço montado ao fundo. Não foram poucos os relatos de lamentação quanto à oportunidade perdida de não se visitar a casa em seu interior.

Logo na entrada, no andar de baixo, o piso simulava uma quadra da associação do esporte. Totens de alguns jogadores icônicos da liga, como LeBron James e Kevin Durant, preenchiam o lugar, com a adição de atletas brasileiros, como Raulzinho, Nenê e Cristiano Felício.

Ao lado, encontravam-se moldes dos tamanhos de pés e mãos de ex-jogadores da NBA, como os pivôs e "grandalhões" Dikembe Mutombo e Tim Duncan. Além disso, uma loja da competição, com muitos acessórios e camisas oficiais à venda, completavam os atrativos do térreo.

Subindo as escadas, os visitantes davam de cara com uma central de fliperamas e outros jogos, todos com a temática do basquete. O trajeto seguia com uma exposição dos vestiários dos times nas finais de conferência desta temporada, além da presença de camisas históricas da associação, como aquela utilizada por Magic Johnson no All-Star Game de 1992 e outra vestida por Michael Jordan em seus tempos de Chicago Bulls. Todos os uniformes estavam autografados.

Mais à frente, o principal atrativo do espaço interno da NBA House: o troféu Larry O'Brien, entregue ao campeão de cada temporada da liga americana. A peça estava exposta protegida por um vidro, mas disponível para fotografias e admiração. Por fim, no segundo andar, o visitante se deparava com um espaço de realidade virtual que simula a grande final do ano passado, também entre Golden State Warriors e Cleveland Cavaliers. Tudo, claro, sempre com muita decoração relacionada a NBA.

Do lado de fora da casa, ocorriam as principais interações com o público. Um telão de 8m x 4m "agigantava" o espaço exterior, apenas aguardando o início da partida para a exibição. Perto dali, uma quadra de basquete encontrava-se disponível para as pessoas que queriam "bater uma bolinha".

Pouco depois, tal quadra permitiu diversos desafios entre o público, que pôde assistir, logo após, a apresentação do grupo Portland Rip City Slammers, com muitas enterradas impulsionadas por um trampolim. Também esteve presente o carismático mascote Chuck the Condor, do Los Angeles Clippers, sempre animando os visitantes presentes no espaço.

Por fim, pouco antes da exibição do jogo no telão, uma entrevista com a lenda da NBA, Dominique Wilkins, teve lugar do lado de fora. A conversa do jogador, que prometeu voltar ao Brasil um dia, com o público, não foi atrapalhada pelos erros na organização da comunicação. Nada, entretanto, que desanimasse o grande número de pessoas presentes para acompanhar o terceiro jogo da grande final da principal liga de basquete do mundo.

* Especial para a Gazeta Esportiva

Deixe seu comentário