NBA

Em documentário, Kobe detalha relação com "irmão mais velho" Michael Jordan

São Paulo, SP

04-05-2020 13:03:00

O ídolo do Los Angeles Lakers Kobe Bryant e o craque do Chicago Bulls Michael Jordan tinham uma grande relação de amizade, apesar de não ser muito exposta para o público. Uma semana antes de morrer em um acidente de helicóptero, no último mês de janeiro, o Black Mamba gravou uma participação na série “The Last Dance”, da Netflix, e falou sobre a conexão com o Air Jordan.

"Minha entrada na NBA foi complicada pois a galera era mais velha. Não é jovem como agora. Ninguém me dava bola. Eu era o moleque que não acertava uma. Naquela época, Michael foi um mentor para mim. Tinha uma dúvida sobre como arremessava de virada e fui perguntar para ele. Ele deu uma resposta ótima, detalhada e arrematou: 'Se precisar de algo, me liga'. Tipo irmão mais velho", contou.

A amizade de Kobe e Michael começou no All Star Game de 1998, o primeiro do então jovem do Lakers. Antes da partida, Jordan, que já era pentacampeão da NBA e viria a ganhar o sexto título no final da temporada, seguiu mostrando seu DNA competitivo nos bastidores e pediu aos companheiros para não deixarem o jogo chegar ao ala-armador adversário, que apelaria sempre para o um contra um.

"Cresci assistindo Michael na TV e agora você tem a chance de ficar cara a cara com ele, você tem a chance de realmente ver, e meio que tocar e sentir. Forma, velocidade, agilidade, e era engraçado estar lá", admitiu Kobe.

"Talvez tenha surpreendido as pessoas (o fato) que Kobe e eu éramos amigos muito próximos. Mas éramos amigos muito próximos. Kobe era meu amigo querido. Era como um irmão mais novo. Todo mundo queria falar sobre as comparações entre eu e ele. Eu só queria falar de Kobe", disse Michael, que fez um discurso emocionante no funeral do amigo.


Jordan ainda contou que, a partir da partida festiva, os dois passaram a se aproximar devido aos contatos de Kobe. Segundo Michael, o Black Mamba entrava em contato em diversas madrugadas para tirar dúvidas com ídolo sobre técnicas e táticas do basquete.

"Ele costumava me ligar, me mandar mensagem 23h30, 2h30, 3h da manhã falando sobre movimentações, trabalho de pés, e às vezes, sobre o triângulo. Num primeiro momento era inconveniente, mas depois se tornou uma certa paixão. A criança tinha uma paixão que você não pode imaginar", lembrou Jordan.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

"Conforme fui conhecendo, eu quis ser o melhor irmão mais velho que pudesse ser. Para fazer isso, você tem que relevar a inconveniência, as ligações na madrugada e as perguntas idiotas. Eu tinha muito orgulho conforme fui conhecendo Kobe de que ele apenas estava tentando ser uma pessoa melhor, um jogador de basquete melhor. Falávamos de negócios, sobre família, sobre tudo. E ele apenas estava tentando ser uma pessoa melhor", completou.

O ex-jogador do Lakers, que conquistou cinco troféus com a equipe durante a carreira, também falou sobre as comparações com ídolo. "Odeio essas discussões sobre quem ganharia no mano a mano com o papo: 'Ei, Kobe, você ganharia do Michael'. Para mim é: o que eu sei aprendi com ele. Eu não seria pentacampeão sem ele. Porque ele me orientou muito, dando ótimos conselhos", concluiu.

Deixe seu comentário