Diante de possível reencontro, defesa celeste pede atenção com Borges

Do correspondente Gustavo Aleixo - Belo Horizonte,MG

14-04-2016 08:12:05

Apesar de não ter presença confirmada no clássico do próximo sábado, diante do Cruzeiro, às 16h20 (de Brasília), no Independência, o atacante Borges, já tem seu nome comentado na Toca da Raposa. Recém-contratado pelo América-MG, o centroavante de 35 anos é um velho conhecido da defesa cruzeirense e pode ser uma arma importante para o Coelho na primeira partida das semifinais do Campeonato Mineiro contra a Raposa.

Bastante rodado no futebol nacional, Borges teve boa passagem pelo Cruzeiro, entre agosto de 2012 e dezembro de 2014, conquistando dois Campeonato Brasileiros e um Estadual. Durante este período, nos treinos realizados na Toca da Raposa, os zagueiros Léo e Bruno Rodrigo tiveram a chance de marcar várias vezes o atacante, que promete dar trabalho à defesa celeste, caso estreie pelo América-MG no sábado.

“O Borges foi nosso companheiro durante quase três anos. É um bom atacante, que protege bem a bola, um bom finalizador, e tem de ser marcado de perto. Conhecemos o Borges e esperamos fazer bom confronto com ele”, destacou Léo.

Nos tempos de Cruzeiro, Léo teve Borges como adversário nos treinos (Washington Alves/VIPCOMM)
Nos tempos de Cruzeiro, Léo teve Borges como adversário e companheiro nos treinos (Washington Alves/VIPCOMM)

Além da convivência no Cruzeiro, Bruno Rodrigo também teve Borges como companheiro no Santos, onde o centroavante acabou se sagrando artilheiro do Campeonato Brasileiro de 2011, com 23 gols marcados. Ao comentar sobre o ex-colega de clube, o zagueiro, assim como Léo, destacou o faro de gol e a boa proteção de bola do experiente atacante, que precisa ser acompanhado com muita atenção pela defesa cruzeirense.

“Tive a felicidade de jogar com ele no Santos e depois no Cruzeiro. É um atacante oportunista, que está sempre incomodando os zagueiros, protegendo muito bem. É um grande jogador. Se estrear ou não, vamos ter que fazer uma boa marcação em todo time do América. A concentração tem que ser a mesma, independentemente de quem entrar, para termos um bom resultado lá”, salientou.

Deixe seu comentário