Atlético-MG vence Santa Fé e mantém chances de avançar na Libertadores

São Paulo, SP

19/03/15 | 00:04

O Atlético-MG segue vivo na disputa da Libertadores. O Galo foi até Bogotá, na Colômbia, nesta quarta-feira, e venceu o Santa Fé por 1 a 0, no estádio El Campín, somando os três primeiros pontos no Grupo 1 da competição continental. Diferentemente das duas primeiras partidas, o Galo se impôs mesmo fora de casa, e mostrando um futebol de qualidade deu esperanças de classificação para o torcedor alvinegro.

O Atlético-MG segue vivo na disputa da Libertadores. O Galo foi até Bogotá, na Colômbia, nesta quarta-feira, e venceu o Santa Fé por 1 a 0, no estádio El Campín, somando os três primeiros pontos no Grupo 1 da competição continental. Diferentemente das duas primeiras partidas, o Galo se impôs mesmo fora de casa, e mostrando um futebol de qualidade deu esperanças de classificação para o torcedor alvinegro.

O primeiro gol atleticano na edição 2015 da Libertadores foi anotado pelo avante argentino Lucas Pratto, que mostrou o faro de gol desviando cobrança de escanteio. Com a vitória, o Atlético-MG chega aos três pontos no Grupo 1, mesma pontuação dos mexicanos do Atlas e três atrás de Santa Fé e dos chilenos do Colo-Colo.

Na sequência da Libertadores, o Atlético-MG volta a enfrentar os colombianos do Santa Fé, só que dessa vez no estádio Independência. O confronto está marcado para o dia 9 de abril, mas antes disso, o Galo volta a pensar na disputa do Campeonato Mineiro, no domingo, a equipe de Levir Culpi encara o Tombense, no Ipatingão.

O jogo – Precisando vencer para manter as chances de classificação, o Atlético-MG iniciou a partida com mais volume de jogo, mesmo atuando fora de casa. Com o passar do tempo o Santa Fé equilibrou as ações, com o cenário de equilíbrio prevalecendo durante praticamente toda a primeira etapa, com um pouco mais de objetividade do Galo.

Taticamente, o time de Levir Culpi se portou bem, com os atacantes ajudando na marcação. Nos contra-ataques, a movimentação foi eficiente para confundir os colombianos em vários momentos. Luan e Carlos jogaram abertos pelos lados do campo, com Cárdenas procurando aparecer para jogar e organizando o meio-campo do Atlético-MG.

O grande problema é que o Santa Fé atuou em casa, com o estádio cheio, e possui jogadores qualificados, que também deram muito trabalho para a zaga atleticana. Como o gol atleticano não saiu no começo da partida, a equipe brasileira passou a recuar mais as linhas de marcadores para tentar os contra-ataques.

Com isso, o Galo passou a correr mais riscos já que o Santa Fé passou a ameaçar mais a meta do goleiro Victor. A estratégia alvinegra quase surtiu efeito aos 30, quando Douglas Santos aproveitou rebote da zaga, e de primeira mandou a bomba, assustando Zapata e dando confiança aos atleticanos que marcaram presença no estádio El Campín, em Bogotá.

Na volta para o segundo tempo, as duas equipes se mostraram animadas para perseguir o gol de abertura do marcador. O Santa Fé passou a agredir mais, o Galo, porém, criou boas oportunidades nos contragolpes. Com a partida movimentada, os torcedores das duas equipes viveram a tensão da busca pela vitória durante todo o tempo.

Principal articulador das jogadas do time colombiano, Omar Pérez foi muito bem marcado, deixando o jogador com poucos espaços para jogar, anulando assim uma peça importante da equipe da casa. Aos 13, o empenho do Atlético-MG foi premiado com o avante argentino Lucas Pratto, que apareceu por trás da defesa do Santa Fé, e de cabeça, desviou cobrança de escanteio anotando o primeiro gol do Galo na atual edição da Libertadores.

Com a vantagem no marcador, naturalmente o Galo recuou as linhas de marcação e passou a sofre pressão do Santa Fé. Aos 22, Páez acertou cabeçada precisa contra a meta atleticana, mas o goleiro Victor se esticou todo para mandar para escanteio em uma grande defesa. Preocupado, Levir Culpi pediu que os comandados que continuassem atacando.

Aos 30 minutos, o Atlético-MG encaixou um contra-ataque quase perfeito, com Maicosuel arrancando e dando passe açucarado para Carlos, que foi travado na hora do chute. Após este lance, o Galo passou a valorizar a posse de bola, esperando o tempo passar para enfim comemorar a primeira vitória na Libertadores.

No outro duelo do horário, o Deportivo Táchira-VEN recebeu o Guaraní-PAR, no estádio Pueblo Novo, em San Cristóbal-VEN, e empatou por 1 a 1. González, para os donos da casa, e Benítez, em favor dos visitantes, balançaram a rede. Assim, os paraguaios aparecem no segundo posto do grupo 8, liderado pelo Racing-ARG (9). Os venezuelanos amargam a lanterna (2).

Deixe seu comentário