Do futebol ao estúdio: conheça dez jogadores da LaLiga que foram para o mundo da música

São Paulo, SP

15/07/22 | 08:00

Futebol e música andam de mãos dadas. O mundo do futebol está envolto da música desde as cantadas pelos torcedores nas arquibancadas até as motivacionais tocadas nos vestiários antes do início da partida.

Portanto, não deve ser surpresa que muitos jogadores da LaLiga tenham tentado a sorte com a música ao longo dos anos, seja durante sua carreira de atleta ou depois. Conheça algumas figuras que trocaram suas chuteiras por batidas ao longo dos anos.

Asier Villalibre

Quando o Athletic Bilbao venceu a Supercopa da Espanha em 2021, Asier protagonizou um vídeo viral tocando trompete no estádio. Isso levou à criação de uma banda de rock chamada Orsai. Villalibre lidera o grupo e canta com o apoio de seus companheiros de banda Iñigo Lekue, Mikel Balenziaga, Dani García, Mikel Vesga e Óscar de Marcos.

Sua primeira canção trazia o título de One Club Men, em referência ao prêmio especial que o Athletic Club dá a cada ano.

Banda de rock Orsai (Foto: Divulgação)

Borja Iglesias

Outro atacante da LaLiga que é muito musical é Borja. O jogador do Real Betis gosta muito de rap e ele próprio teve um solo de 40 segundos em uma faixa de Eldoblezero. O famoso streamer Ibai Llanos também colaborou. O jogador apelidado de El Panda até conheceu sua namorada quando ele foi a um show de rap.

Jesé

O jogador revelado pelo Real Madrid se interessa há muito tempo pela música e em 2014, formou uma banda de reggaeton com um amigo, o DJ Nuno. O grupo, Big Flow, lançou músicas através do YouTube com algum sucesso e não demorou muito para que eles começassem sua carreira solo e começassem a promover sua própria música sob o nome de Jey M, doando os lucros para pesquisa e prevenção de doenças.

José Manuel Pinto

José fundou sua própria gravadora, Wahin Makinaciones, com base em seu nome artístico Pinto 'Wahin', enquanto jogava pelo Celta e antes de assinar com o Barcelona de Pep Guardiola.

Em 2015 lançou um álbum, Eres Especial, com seu companheiro de barça Dani Alves e desde então teve grande sucesso como produtor. Depois de se formar como engenheiro de som e mestrado em produção musical, Pinto trabalhou em Ámame Como Soy de Niña Pastori, que ganhou o Grammy Latino de Melhor Álbum de Flamenco de 2016.

Sérgio Ramos

Fanático pelo Flamenco, o ex-jogador do Real Madrid sempre gostou de cantar e tocar guitarra. Ramos expressou em diferentes ocasiões seu amor pela música e revelou que muitas vezes relaxa escrevendo suas próprias canções.

Ele participou das canções oficiais da seleção espanhola para a Euro 2016 e Copa do Mundo de 2018, colaborando com artistas mundialmente famosos como Niña Pastori e Demarco.

Royston Drenthe

Royston Drenthe, ex-ala do Real Madrid que recentemente jogou pelo Real Murcia, começou uma carreira como rapper sob o nome roya2faces. Para aqueles que o conheciam melhor, não foi surpresa; Drenthe tinha um grande interesse em música rap e tem muitos amigos na indústria, mais notavelmente U-Niq, que, como Drenthe, é de Roterdã e ensinou-o a escrever música.

Julio Iglesias

Julio Iglesias é um dos cantores mais famosos da Espanha e de todo o mundo de língua espanhola e em 2013 foi reconhecido pelo Guinness World Records como o artista latino masculino que vendeu mais álbuns da história.

É impressionante que seu álbum de 1983, Julio, foi o primeiro em outra língua a atingir o recorde de dois milhões de discos vendidos nos EUA. No entanto, antes desta carreira musical, o cantor nativo de Madrid jogou futebol no Real Madrid Castilla, a subsidiária de Los Blancos. Uma lesão parou sua carreira no futebol e abriu uma nova porta para o mundo da música. Não há mal que para o bem não venha.

Álvaro Benito

A história de Álvaro tem muitos paralelos com a de Julio Iglesias. Benito também jogou nas categorias de base do Real Madrid, no seu caso como um meio-campista promissor, e fez 21 aparições em LaLiga com o primeiro time nas temporadas 1995/96 e 1996/97.

Ele até marcou alguns gols. Porém, também teve muitas lesões e se aposentou do futebol aos 27 anos, momento em que fundou uma banda de punk rock chamada Pignoise, na qual ele é cantor e guitarrista. Influenciados por Green Day e Blink-182, eles lançaram oito álbuns até o momento.

Germán Burgos

O ex-goleiro e ex-assistente do Atlético de Madrid é outro grande fã da música, no seu caso rock. Desde os anos 90 ele é o vocalista da banda GARB, um grupo que lançou alguns álbuns em espanhol durante os primeiros passos neste mundo e como sua carreira estava terminando.

Fato divertido: o nome GARB vem das iniciais do nome completo de Burgos, Germán Adrián Ramón Burgos.

Gaizka Mendieta

Após sua aposentadoria do futebol, o ex-jogador do Valencia e Barcelona Gaizka Mendieta tornou-se DJ em 2008 com grande sucesso. Ele toca regularmente em Londres, e até foi convidado como DJ para a prévia de algumas finais da Liga dos Campeões.

Mendieta, agora embaixador de LaLiga, era regularmente visto em lojas de discos durante seus dias como jogador e agora está focado em sua segunda paixão na vida.

Deixe seu comentário