Venezuelano dispara contra cúpula da Federação: “Uns incompetentes”

São Paulo, SP

23-03-2016 15:08:16

Artilheiro do West Bromwich na atual temporada, Salomón Rondón não se esquivou da responsabilidade e, como um dos líderes do elenco venezuelano, condenou as falcatruas que a cúpula da Federação se envolveu recentemente. Segundo ele, a crise política é um dos fatores que contribuem com o baixo rendimento do time.

A seleção da Venezuela soma quatro derrotas em quatro jogos nas Eliminatórias sul-americanas até agora e, desde o início da semana, está reunida e em período de treinos para encarar Peru e Chile, na sequência. A lanterna, no entanto, não é por acaso.

“O ambiente é complicado de levar. Mais ainda pelo distanciamento com a federação. Temos uma comissão que quer fazer tudo bem, com o treinador mais vencedor do futebol nacional, mas não conseguimos escapar do que acontece. O distanciamento ficou evidente depois que enviamos uma carta de renúncia à FVF”, comentou.

Rondón, junto com outros atletas da delegação, foi signatário de um documento que pediu reforma completa do quadro político da instituição a partir da deflagração dos sistemas de corrupção envolvendo a Fifa e o futebol sul-americano, relacionados à comercialização dos direitos de imagem de torneios continentais.

“O ex-presidente estava detido na Suíça e agora o órgão está sendo gerido por outra pessoa. Mas minha opinião é a mesma. Eu continuo querendo que toda essa gente saia da FVF. Na vida é importante ter mudanças, ainda mais depois de 30 anos. Eles mostraram ser incompetentes com o grupo de jogadores e esse não é o melhor cenário para rumar a um Mundial”, falou.

Deixe seu comentário