Fora da seleção, Marcelo Moreno lamenta polêmica na Bolívia

São Paulo, SP

07/10/15 | 19:39

Nomes que marcaram época na seleção boliviana, como o do zagueiro Ronald Raldes e o atacante Marcelo Moreno, não disputarão pelo menos as duas primeiras rodadas das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018 com o país. O centroavante ex-cruzeirense, que se retirou voluntariamente da equipe após entrevero com o técnico Julio César Baldivieso, lamentou a situação vivida por La Verde, que estreia nesta quinta-feira, contra o Uruguai.

“Com certeza não estou feliz com o que está acontecendo na seleção boliviana. Mas sigo convencido de que minha decisão de me afastar foi a melhor para o momento. Continuo torcendo por meu país, e fico na expectativa para que haja uma reformulação na estrutura do futebol local e em seu comando”, disse o ex-cruzeirense, que atualmente joga no futebol chinês.

O racha no elenco boliviano começou no início de setembro, quando, após a derrota por 7 a 0 para a Argentina em amistoso, os atletas trocaram camisas com os adversários e irritaram o treinador, que fazia sua estreia à frente da seleção. Naquela ocasião, Baldivieso reprovou a atitude dos jogadores e tirou a faixa de capitão do zagueiro Ronald Raldes, afirmando que sua liderança não era suficiente. Além disso, o comandante proibiu o uso de celulares na concentração de La Verde.

Marcelo Moreno não participará do início das Eliminatórias com a Bolívia por entrevero com o treinador (Foto: divulgação)
Marcelo Moreno não participará do início das Eliminatórias com a Bolívia por entrevero com o treinador (Foto: divulgação)

Após esse episódio, Raldes anunciou sua aposentadoria da seleção. Já Marcelo Moreno decidiu se retirar momentaneamente da equipe, através de nota de repúdio contra as atitudes do treinador. O goleiro Romel Quiñonez, por sua vez, está lesionado, e o meia Martin Smedberg-Dalence pediu licença para acompanhar o nascimento de seu filho e continuar ao lado de sua família no período.

“Sou apenas uma peça que fazia parte do grupo completo, mas, sem alguns jogadores tão importantes, inclusive nosso capitão, o time perde força. Penso que a Bolívia precisava de todos os atletas e da experiência de alguns que estavam havia vários anos na seleção mesclada aos jogadores que estão chegando agora. Mas quero seguir trabalhando, convicto de que respeito pessoas que deram muito ao futebol e tranquilo fazendo o melhor possível na minha profissão”, completou Marcelo Moreno.

Depois de receber o Uruguai diante de sua torcida nesta quinta-feira, a seleção boliviana vai ao Equador para, na próxima terça, enfrentar o time local pela segunda rodada das Eliminatórias.

Deixe seu comentário