COPA DO MUNDO 2018 RÚSSIA
Técnico encarou com bom humor entrevista coletiva (Foto: SAEED KHAN/AFP)

Em um grupo complicado, a Austrália estreia na Copa do Mundo neste sábado (16), abrindo o dia de jogos contra a França, uma das mais cotadas para vencer o Mundial. Com o favoritismo totalmente do lado europeu, o técnico do time da Austrália, Bert van Marwijk sabe que precisa jogar um futebol de muita intensidade durante o jogo inteiro.

“Vamos dar o nosso melhor. Será um jogo muito difícil e acreditamos muito em nossa equipe. Você não pode ir bem apenas 15, 20 ou 30 minutos. Temos que nos concentrar o tempo inteiro para não errarmos lances fáceis”, disse o comandante holandês.

Com bom humor, van Marwijk ainda arriscou dizer que sua seleção tem alguma chance de vencer o confronto com os franceses. O técnico é o mesmo que levou a Holanda à final da Copa de 2010 e ficou com o vice-campeonato diante da Espanha.

“Podemos surpreender. Normalmente, nós jogaríamos dez vezes com eles e perderíamos de oito a nove jogos. Mas podemos conseguir algo diferente. Pelo que treinamos para a Copa, eu diria que esse número diminuiria para seis vezes. Quando você se organiza e acredita em algo, você tem chance”, afirmou.




O técnico Tite, enfim, pôde elaborar uma atividade com a presença de seus 23 convocados pela primeira vez desde que a Seleção Brasileira iniciou sua preparação para a Copa do Mundo. Nesta sexta-feira, Fred, última peça do quebra-cabeça verde e amarelo que faltava, treinou normalmente com o restante do elenco, contudo, sua presença no confronto com a Suíça, no próximo domingo, ainda é incerta.

Após sete dias trabalhando à parte, Fred foi a campo com os demais companheiros no último treino do Brasil em Sochi antes da estreia no Mundial. O volante sofreu uma pancada no tornozelo direito no último dia 7 de junho, ainda em Londres, em uma disputa de bola com Casemiro e desde então estava trabalhando exclusivamente com os fisioterapeutas da Seleção Brasileira.

Antes de Fred, Douglas Costa, Fagner e Renato Augusto também já haviam desfalcado o elenco comandado pelo técnico Tite em algum momento. Os dois primeiros se apresentaram à Seleção com lesões no músculo posterior da coxa esquerda e direita, respectivamente, mas desde o início as chances de corte eram praticamente inexistentes.

Já o ex-jogador do Corinthians e atualmente no futebol chinês preocupou mais a comissão técnica por conta de uma inflamação no joelho esquerdo que o tirou de ação por seis dias. Tido como um dos homens de confiança de Tite, Renato Augusto, inclusive, não viajou a Liverpool para o amistoso contra a Croácia e só voltou a ficar à disposição depois de tensos seis dias.

A decisão em relacionar Fred contra a Suíça, no próximo domingo, em Rostov, deverá acontecer somente neste sábado, quando o Brasil realiza seu último treino, já no estádio em que acontecerá a partida. Fato é que o volante recém-contratado do Manchester United viaja com o restante do elenco nesta sexta para a tão esperada estreia da Seleção na Copa do Mundo da Rússia.

Nesta sexta-feira, o treino foi completamente fechado para a imprensa, porém, conforme os jornalistas puderam ver nas atividades dos últimos dois dias, a tendência é que o técnico Tite priorize o poder ofensivo de seus jogadores e coloque em campo uma equipe formada por Alisson; Danilo, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Casemiro; Willian, Paulinho, Coutinho e Neymar; Gabriel Jesus.




Ex-zagueiro assistiu à vitória do Uruguai direto de Ecaterimburgo (Foto: AFP)

Na manhã desta sexta-feira, a seleção uruguaia estreou na Copa do Mundo diante do Egito, e após pressionar muito, garantiu uma vitória suada por 1 a 0, gol marcado por Gimenez, de cabeça, aos 44 minutos do segundo tempo. Diego Lugano, superintendente de relações institucionais do São Paulo e ex-zagueiro do Uruguai, esteve nas arquibancadas da Arena Ecaterimburgo, e celebrou a vitória da equipe celeste.

Após a partida, o ex-jogador postou um vídeo do gol uruguaio filmado da torcida, com a seguinte legenda: “Tinha que ser assim! Que lindo! Excelente, rapazes! Uruguai e mais nada!”.

Tenía que ser así !!! Que lindo !!!! Excelente muchachos !!! uruguay nomaaaa

Uma publicação compartilhada por diegolugano (@diegolugano) em

O Uruguai integra o grupo A da Copa do Mundo, mesma chave de Rússia, Egito e Arábia Saudita, e com três pontos, divide a liderança com a anfitriã Rússia, que leva vantagem no saldo de gols. A próxima partida da seleção sul-americana será contra a Arábia Saudita, dia 20/06, às 12 (horário da Brasília), na Arena Rostov.



Eric Davis não se mostrou muito confiante com a seleção do Panamá contra a Bélgica (Foto: JUAN BARRETO

Estreante em Copas do Mundo, o Panamá teve suas ambições minimizadas logo no sorteio, que colocou adversários como Inglaterra e Bélgica, além da Tunísia, no caminho para a tentativa de uma inédita, histórica e improvável classificação. Cientes das chances, os jogadores e a comissão técnica definiram objetivos pontuais e o primeiro deles já foi anunciado: não sofrer goleada na estreia.

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira, o lateral Eric Davis lembrou do placar elástico aplicado pela Rússia sobre a Arábia Saudita para corroborar o discurso de pouca empolgação e, primordialmente, a missão de correr o menor risco possível. Para isso, a proposta será jogar fechado e apostar nos contra-ataques.

“Copa do Mundo tem características peculiares. Assim como as equipes pequenas podem surpreender, elas também podem sofrer goleadas. Temos que tomar muito cuidado contra a Bélgica, porque é uma equipe de qualidade extrema e com ótimos destaques individuais”, disse Davis, que teve o discurso complementado pelo companheiro.

“Buscaremos fazer o nosso jogo. A Bélgica deve tentar fechar os espaços, então temos que ser eficientes no contra-ataque para tentar surpreender. Temos que acreditar”, analisou o atacante Abdiel Arroyo.

No Grupo G do Mundial, o Panamá estreia na próxima segunda-feira, em Sochi, contra os belgas, que tentam confirmar o favoritismo de sua geração. Cinco dias depois, o duelo é em Moscou, contra a Inglaterra. O último dos três confrontos da primeira fase é diante da Tunísia, partida que pode consagrar possivelmente um primeiro triunfo panamenho na Copa. As duas seleções se enfrentam dia 28, em Saransk.



Antoine Griezmann deu fim à novela nesta quinta-feira e anunciou sua permanência no Atlético de Madrid na próxima temporada, frustrando os planos do Barcelona em contratá-lo. A decisão foi confirmada apenas dois dias antes da estreia da França na Copa do Mundo da Rússia, contra Austrália, neste sábado. Para o técnico Didier Deschamps, a definição da situação do atacante, antes do Mundial, será proveitosa para a seleção.

“Duas coisas que me veem em mente: a lealdade com o Atlético de Madrid. E, o mais importante para nós, é que ele está bem tranquilo para disputar essa Copa do Mundo. E isso é algo muito positivo para nossa equipe”, afirmou o comandante da Les Bleus. “O mais importante é que ele se sentir bem, se sentir livre da pressão das últimas semanas”, completou.

Para Deschamps, Griezmann não jogará a Copa pressionado (Foto: FRANCK FIFE/AFP)

Sobre o fato ter sido noticiado por meio de um documentário na televisão francesa, o técnico se absteve. Para ele, a definição da situação é o que realmente importa. “O conteúdo foi o mais importante. Foi muito bom para nós. Foi bom para seu clube, claro, mas para nós também. Sobre o programa, não tenho a nada a ver com isso. Já tenho muito com que me preocupar”, finalizou.

França e Austrália se enfrentam às 7h (no horário de Brasília) deste sábado, em Kazan. O outro confronto de estreia do Grupo C será entre Peru e Dinamarca, às 13h, na Arena Mordovia, em Saransk.

 



Óscar Tabárez criticou a atuação da seleção uruguaia nesta sexta-feira, em sua estreia na Copa do Mundo da Rússia, contra o Egito, em Ecaterimburgo. Com pouca criatividade e dependendo exclusivamente de Cavani e Suárez, o time celeste só conseguiu chegar ao gol da vitória no apagar das luzes, mais precisamente aos 44 minutos do segundo tempo, com Giménez, de cabeça.

A partida também foi marcada pela péssima atuação de Luis Suárez. Principal nome do time uruguaio, o atacante do Barcelona desperdiçou ao menos três oportunidades claras de gol e acabou passando em branco. Cavani, embora tenha sido melhor que seu companheiro, também não conseguiu fazer a diferença.

“A experiência de hoje nos ajudará a crescer, mas não podemos repetir o que fizemos hoje. Se Mo Salah estivesse em campo, tenho certeza que o Egito seria beneficiado. Mas tivemos jogos nas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo sem Suárez e Cavani. As coisas são assim”, afirmou Óscar Tabárez, que está no comando do Uruguai desde 2006.

Apesar de reconhecer a necessidade de melhora da seleção uruguaia, o treinador também procurou fazer um contraponto, exaltando a grande capacidade de impulsão de seus zagueiros e comparando o gol de Giménez com o de Godín, no Mundial do Brasil, contra a Itália.

“Egito é uma equipe que também trabalha bem a bola, bom defensivamente. Não podemos superá-lo, mas trabalhamos muito no meio e os reforços que temos que fazer. A foto do gol de Godín com a Itália é parecida com a foto de Gimenez de hoje. Ninguém subiu mais alto que ele. Isso é treinamento. Às vezes a bola entra, em outras, não. A realidade é que ganhamos por essa jogada, buscando o gol permanentemente. Os caminhos ao gol são infinitos e creio que todos são válidos. Estou satisfeito com a atitude da equipe.

Em segundo lugar do Grupo A com os mesmos três pontos da líder Rússia, à frente por conta do saldo de gols, o Uruguai volta a entrar em campo na próxima quarta-feira, contra a Arábia Saudita, em Rostov. Desta vez, os torcedores esperam que a longevidade do treinador no cargo e o talento de Suárez e Cavani, enfim, possam surtir efeito e facilitar o caminho da equipe celeste até as oitavas de final.

Arte: AFP

 



O técnico da seleção egípcia, Hector Cuper, explicou a ausência de Mohamed Salah, principal jogador do país, na partida de estreia na Copa do Mundo, nesta sexta-feira, contra o Uruguai, em Ecaterimburgo. Segundo o treinador argentino, o craque do Liverpool acabou sendo poupado justamente para que ele tenha melhores condições nas duas próximas partidas da equipe no Grupo A.

“Mo Salah é um jogador importante para nós, mas você precisa ter um bom time, e nós temos um bom time. Salah terá um papel importante para nós nos jogos futuros”, afirmou Hector Cuper em coletiva de imprensa após a derrota por 1 a 0 para o Uruguai.

Antes da estreia na Copa do Mundo, Hector Cuper havia garantido que Salah não possuía qualquer limitação e estava pronto para voltar aos gramados. Nesta sexta, porém, a realidade foi um pouco diferente de seu discurso. O camisa 10 ficou no banco de reservas durante todo o jogo e ainda teve de amargar de fora das quatro linhas o gol de Giménez aos 44 minutos do segundo tempo.

“Nós quisemos evitar riscos nestes jogos, mas eu acredito que ele estará bem para a próxima partida”, completou o treinador da seleção egípcia, que terá pela frente na próxima terça-feira a Rússia, dona da casa, em São Petersburgo.

Arte: AFP


Aos 24 anos, Ederson vive o sonho de participar de uma Copa do Mundo (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Ederson é atualmente um dos principais goleiros de sua geração. Titular absoluto no Manchester City de Pep Guardiola, o jovem de Osasco recordou o último título mundial da Seleção Brasileira, em 2002. Entretanto, os lances mais vivos daquela Copa não são os gols de Ronaldo na final contra a Alemanha, mas a defesa de Marcos em cobrança de falta de Neuville.

“Lembro no jogo da final da Copa do Mundo de 2002 que o jogo estava 0 a 0, teve uma falta no meio da rua, não me lembro bem quem cobrou a falta, mas o Marcos fez uma defesa muito difícil, foi um chute muito forte, em um momento crucial do jogo, em que estava 0 a 0. Essa é a principal lembrança que eu tenho da Copa do Mundo”, afirmou Ederson à CBFTV.

Após a vitória, Ederson e seus vizinhos não moderaram nas comemorações. Sobrou até mesmo para o dono de um caminhão, que acabou cedendo o veículo para que o pessoal pudesse festejar no bairro em que o hoje goleiro da Seleção Brasileira cresceu.

“Tinha um botecozinho quase em frente à minha casa, o pessoal da rua se reunia para ver o jogo. Vimos o jogo ali, e o Brasil acabou se sagrando pentacampeão. Depois, tinha um rapaz que tinha um caminhão com um baú aberto. Ele ligou o caminhão, os vizinhos subiram em cima do caminhão e saímos comemorando no meio da rua, buzinando. Me lembro bem. Tinha oito anos na época, mas tenho boas recordações deste momento”, completou.

A Seleção Brasileira dá o pontapé inicial em sua campanha na Copa do Mundo no próximo domingo, às 15h (de Brasília), contra a Suíça, em Rostov, pelo Grupo E do torneio.