Copa do Mundo

Questionado no Monaco, Subasic vira herói croata na Copa

São Paulo, SP

14-07-2018 08:00:44

Subasic se tornou herói improvável (Foto: Jewel SAMAD/AFP)

A Croácia alcançou a inédita final de Copa do Mundo com uma campanha surpreendente e improvável no torneio, cheia de tensões, viradas e personagens. Dentre os personagens principais, os craques mundialmente conhecidos, como o camisa 10 do Real Madrid, Modric; Rakitic, titular do Barcelona e o centroavante da Juventus, Mandzukic, ainda existiu espaço para um herói coadjuvante aparecer e salvar a pele croata em momentos decisivos.

O goleiro Daniel Subasic foi essencial para a seleção chegar às semifinais. Primeiro defendendo três pênaltis contra a Dinamarca, nas oitavas de final, igualando, assim, o recorde do argentino Goycochea, em 1990. Já nas quartas, contra a anfitriã Rússia, também na disputa de pênaltis, fez uma defesa que ajudou o time a superar os russos. Contra os ingleses, pela vaga na final, o arqueiro pouco trabalhou, já que o ataque adversário acertou apenas uma bola na sua meta.

Com apenas cinco gols sofridos em seis jogos, Subasic chega à final com um gol a mais que Lloris, goleiro da França. Foram 12 defesas ao longo da competição, que dão 75% de aproveitamento ao camisa 1 croata, contra 73% do francês.

Foram quatro defesas em decisões de pênaltis no torneio (Foto: Odd ANDERSEN/AFP)

Aos 33 anos, o atleta passou a defender sua seleção em 2009, e desde então compõe o elenco croata nas principais competições internacionais. Na Copa de 2014 foi reserva do experiente Stipe Pletikosa, que se aposentou em 2016. Titular desde a saída de Pletikosa, Subasicc vive o principal capítulo de sua carreira no próximo domingo, em busca do título inédito de campeão do mundo, contra a França.

Quis o destino que o jogo mais importante da vida de Subasic fosse logo contra a França, casa do goleiro há seis anos, que joga no Monaco e vive altos e baixos com o time do Principado. O croata chegou em 2012 para ser campeão da Ligue 2, segunda divisão francesa, em seu primeiro ano defendendo a meta da equipe. Anos depois, viveu seu melhor momento na temporada 2016/17, quando o Monaco foi campeão francês após quase duas décadas de jejum. Neste mesmo ano, Subasic foi eleito o melhor goleiro da Ligue 1.

Coincidentemente, o goleiro vai precisar parar o camisa 10 da seleção francesa, Mbappé, seu ex-companheiro de clube e que vem fazendo ótima apresentação no Mundial. Os dois foram campeões juntos do campeonato francês com o Monaco. A parceria, no entanto, só durou mais um ano, já que Mbappé foi emprestado para o PSG e tem poucas chances de retornar ao Principado.

Sem o jovem atacante e outras peças importantes, o Monaco se viu longe de competir frente a frente com o forte PSG no campeonato Francês. Na Liga dos Campeões fez uma campanha pífia, ficando em último lugar na fase de grupos. A temporada foi de questionamentos sobre Subasic, que teve seu pior momento com a camisa do time e foi duramente criticado pela torcida e imprensa nacional. Na única chance de ser campeão na temporada, na Taça da Liga, o goleiro foi considerado um dos culpados pela derrota na final para o Rennes, graças a um frango.

Na véspera de uma Copa do Mundo, toda a dúvida que pairava sob as atuações do goleiro pelo seu clube, no entanto, não impediram Zlatko Dalić, técnico da seleção croata, de confiar a titularidade durante a competição a Subasic. Já na fase de grupos, contra NIgéria, Argentina e Islândia, a Croácia mostrou força defensiva, sofrendo apenas um gol de pênalti e, sem falhas ou questionamentos, o goleiro foi crescendo ao longo do torneio.

Assim, Subasic se junta aos astros mundiais de sua seleção e se torna personagem principal no capítulo final do Mundial na Rússia. Contra um ataque galático, o goleiro tenta frear a geração que joga bonito pelos Bleus e fazer história no futebol, ajudando a improvável Croácia a conquistar o Mundo. O jogo acontece no domingo (25), ao meio dia (de Brasília), no Estádio Estádio Lujniki, em Moscou.

 

Deixe seu comentário