Copa do Mundo

Modric e Dalic falam em coroação do trabalho croata diante da França

São Paulo, SP

14-07-2018 11:31:01

Um dia antes do jogo mais importante da história da seleção croata, o camisa 10 Modric e o técnico Zlatko Dalic falaram com a imprensa. Focados, mas visivelmente tocados pela emoção de levar o país à final inédita, jogador e treinador se mostraram com boas expectativas em relação ao que o time pode deixar em campo contra a França. Dalic fez questão de tirar a pressão sobre o elenco no domingo.

"Agora não há pressão, não vou colocar mais pressão nos meus jogadores, o mundo inteiro está vendo, o mundo vai ver nosso futebol. Simples, esse é o melhor momento da nossa história. Acredito que esse é o maior jogo de nossas vidas. Parabéns aos meus jogadores que têm a Liga dos Campeões, mas esse título é o mais importante das carreiras deles. Vamos jogar o nosso futebol, mostrar nossa qualidade. Vamos comemorar muito se ganharmos. Se perdermos, vamos perder com dignidade e parabenizar o oponente. Vamos curtir o jogo", disse.

O jogador do Real Madrid também comentou sobre o peso que atribuem sobre sua exibição individual ao longo da Copa e agora na final diante da França. Modric se esquivou e colocou como prioridade o sucesso da equipe. "Repeti várias vezes que estou focado apenas no sucesso da Croácia. Quando você é mencionado nesse contexto, é muito bom e um orgulho. Mas não me preocupo com isso. Quero que meu time ganhe a Copa do Mundo amanhã. O resto está fora do meu controle. Quero o sucesso do meu time. O individual não é minha prioridade. Nunca duvidei de mim mesmo. Sempre acreditei que podia chegar onde cheguei. Agora estou realizando. Essa é a motivação para mim. Estou feliz. Eu gosto de jogar futebol", declarou.

O meia aproveitou para exaltar o trabalho do companheiro de coletiva, Dalic. "Como pode ver, estamos na final da Copa do Mundo. Isso é a influência do nosso treinador. Ele entrou em cena em um momento difícil, nossa qualificação estava em dúvida e no jogo mais importante ele disse para confiarmos em nós mesmos, que tínhamos bons jogadores, então esse primeiro jogo contra a Ucrânia foi muito importante para retormarmos a confiança. Ele teve grande influência na nossa caminhada até aqui. Estamos muito felizes por ele estar conosco, não só pelo técnico que é, mas pela pessoa".

Elenco e treinador têm sintonia importante (Foto: Mladen ANTONOV/AFP)

O treinador mais uma vez falou sobre seu elenco e, sobre a condição física de seus jogadores, se disse despreocupado. Isso, porque a Croácia enfrentou três prorrogações e duas disputas de pênaltis para chegar à final, enquanto a França passou em todas as fases jogando apenas os 90 minutos normais.

"Amanhã é a final da Copa, simples, os jogadores não vão sentir. Uma coisa que me deixou feliz é que todos os jogadores me falaram "Eu não estou cansado, não vou perder a final da Copa". Se eles estiverem sem condições de jogo, vão me falar. Sobre os treinos, não temos mais nada para treinar, temos que descansar, temos que conter as lesões. Todos os meus jogadores estarão prontos para jogar amanhã. Eu não estou preocupado. Tenho uma relação baseada em respeito e verdade com meus jogadores. Não temos tempo para discussões, nos respeitamos ao máximo. Eles vão seguir as regras e as instruções, não há segredos, não há mistério. Eu recebo a informação, passo para eles e tomamos as decisões. Isso nos faz mais fortes, eu tenho gente ao meu redor que me escuta, me respeita", disse o técnico.

Por fim, Dalic falou do desejo de completar a caminhada que o país fez até agora e da união que a nação croata demonstrou ao longo da competição."Nós podemos fazer mais, nós queremos fazer nosso país orgulhoso. Os croatas deixaram de lado todos os problemas para celebrar a Copa e ficaram orgulhosos. Os fãs e as pessoas que estão no nosso país nos motivam muito. Espero que tenhamos 4 milhões de pessoas nas ruas da Croácia amanhã celebrando uma grande festa, talvez fazendo as celebrações que fazem no Brasil e na Argentina"

Croácia e França decidem que levanta a taça do Mundo ao meio dia (de Brasília) deste domingo (15).

Deixe seu comentário