COPA DO MUNDO 2018 RÚSSIA

“Foi a estrela que iluminou a minha vida”. Foi assim que Dolores Aveiro, mãe de Cristiano Ronaldo, iniciou seu discurso durante o lançamento de seu livro nesta terça-feira, em São Paulo. Intitulada “Mãe Coragem”, conta a história de sua vida e um episódio em especial chama a atenção de todos: o quase aborto de CR7.

Com uma vida precária, um marido ausente e três filhos, Dolores descobriu a quarta gravidez e pensou em interrompê-la. Contou que tomou um chá caseiro, que não funcionou, o que forçou-a a seguir com a gestação. Tudo mudou porém, quando Cristiano Ronaldo dos Santos Aveiro veio ao mundo.

“Foi uma grande alegria, e ainda bem que não consegui abortar. Porque ele foi uma estrela que iluminou a nossa vida”, destacou a mãe do gajo em entrevista à Gazeta Esportiva.  “Por isso, quero aconselhar as mulheres a não fazerem isso, porque nunca se sabe o filho que vai ter. Acho que sou a ‘mulher coragem’, e quero dizer a todas as mulheres que lutem! As coisas mais valiosas que temos na vida são nossos filhos”, acrescentou, enfatizando o objetivo do livro em inspirar outras mulheres a serem fortes como ela foi.

Dolores ainda ressaltou o fator família na vida do melhor jogador mundo, além claro de muito trabalho. “Estou muito satisfeita com o Ronaldo ter chegado ao ponto que chegou. Ronaldo trabalha muito, é muito amigo e tem os pés bem no chão. Aquilo que ele alcançou, é por muito trabalho. E nós que demos a força para o Ronaldo chegar onde chegou. Acho que se tiver um bom pilar perto da pessoa, chega-se longe”.

Com a Copa do Mundo chegando, a autora do livro ainda comentou sobre as expectativas do filho para a competição e pontuou quem é melhor: CR7 ou Lionel Messi: “Ronaldo não é obcecado por isso (título da Copa). Claro que se ganhar vai ficar muito feliz, mas tudo que tinha para ganhar, ele já ganhou”, revelou. “O Messi tem seu valor e meu filho também é bom. Mas claro que meu filho é melhor, porque é meu filho”, completou de forma bem-humorada.

Essa é a segunda passagem de Dolores pelo Brasil, a primeira por São Paulo. Entre autógrafos e fotos com os fãs presentes no evento, ela conta que se sente em casa no país. Ela declarou, inclusive, que abrirá junto com sua filha Kátia Aveiro, também presente no evento, um restaurante com um cardápio português, em Gramado, no Rio Grande do Sul.



Guerrero luta pela liberação para jogar a Copa do Mundo (Foto: Heuler Andrey/AFP)

Gianni Infantino, presidente da Fifa, e Paolo Guerrero, atacante peruano punido em 14 meses por doping, se reuniram nesta terça-feira na sede da entidade em Zurique, na Suiça. O jogador do Flamengo buscava sensibilizar o dirigente, porém, não teve êxito e deixou o local sem conseguir a liberação para jogar a Copa do Mundo.

Em comunicado, Infantino mostrou se solidarizar com o atleta, mas ressaltou que a pena foi imposta pelo Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) e não pela Fifa, que pediu apenas 6 meses de sanção. Desta forma, Guerrero tem o Superior Tribunal Federal Suiço como último recurso para atuar no Mundial.

O encontro na sede da Fifa teve a presença do presidente da Federação Peruana de Futebol (FPF), Edwin Oviedo, que apoia o atacante em busca da absolvição e foi o principal responsável pela reunião acontecer.

Confira o comunicado divulgado pela assessoria de Gianni Infantino, presidente da Fifa:

“A pedido da Federação Peruana de Futebol (FP), o presidente da Fifa, Gianna Infantino, reuniu-se hoje na sede da Fifa, em Zurique, com o presidente da FPF Edwin Oviedo e com o jogador Paolo Guerrero, da seleção peruana.

Durante a reunião, Oviedo e Guerrero expressaram sua posição sobre a punição imposta contra o jogador por ter violado no regulamento antidoping.

Gianni Infantino expressou sua profunda compreensão com a decepção de Guerrero por não poder fazer parte da seleção peruana que disputará a Copa do Mundo 2018. Porém, o presidente da Fifa também deixou claro que a punição foi dada pelo Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), após uma apelação contra a decisão de um órgão judicial independente da Fifa”.



Nesta terça-feira, a Argentina teve uma baixa importante para a Copa do Mundo. O goleiro Sergio Romero sofreu uma lesão no joelho direito e não deve se recuperar a tempo da competição. Com isso, Jorge Sampaoli, treinador da seleção, teve que cortar o jogador e precisará chamar outro arqueiro para compor a lista de 23 nomes.

No duelo entre Espanha e Argentina, em 27 de março, Romero sofreu uma lesão no mesmo local e teve que parar por um mês e meio. Agora, o atleta voltou a sentir a contusão e precisará passar por uma intervenção cirúrgica, ficando fora do Mundial.

Wilfredo Caballero, do Chelsea, e Franco Armani, do River Plate, devem disputar a vaga de titular na meta da Argentina. Enquanto, Nahuel Guzmán, que estava na primeira lista divulgada por Sampaoli, corre na frente para ocupar o lugar de terceiro goleiro.

Sergio Romero, de 31 anos, jogaria seu terceiro Mundial, já que esteve nas campanhas de 2010 e 2014. Inclusive, na última edição, o arqueiro teve papel fundamental na semifinal diante da Holanda, quando defendeu dois pênaltis e colocou seu país na decisão.

Membro do Grupo D, a Argentina estreia na Copa do Mundo no dia 16 de junho contra a Islândia, em Moscou, às 10h (de Brasília). Cinco dias depois, o adversário da vez é a Croácia, em Nizhny Novgorod. O encerramento na fase de grupos será dia 26, em São Petersburgo, contra a Nigéria.



A comissão técnica da Seleção Brasileira deu prosseguimento aos seus estudos sobre os adversários do time verde e amarelo na Copa do Mundo nesta terça-feira. Após os analistas do Avaí apresentarem a Tite e seus colaboradores as principais características da Costa Rica, foi a vez de os analistas do Sport esmiuçarem a Sérvia.

Thiago Alves e Thiago Duarte foram os responsáveis por apresentarem a Tite e à sua comissão todos os detalhes do time da Sérvia. A dupla passou a parte da manhã e o início da tarde reunida com os membros da Seleção Brasileira na Granja Comary.

O duelo com a Sérvia será o último da Seleção Brasileira na fase de grupos do Mundial e está marcado para o dia 28 de junho, às 15h (de Brasília), no Spartak Stadium, localizado na capital Moscou.

Tite e sua comissão técnica debateram com os analistas do Sport sobre a Sérvia (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

A tendência é que os analistas do Grêmio também se encontrem com a comissão técnica da Seleção Brasileira ainda nesta semana para apresentarem seu estudo sobre a Suíça, adversário da estreia do Brasil na Copa do Mundo, no dia 17 de junho, às 15h (de Brasília), em Rostov-on-Don.

Leia mais:
Com Gabriel Jesus e Danilo, Neymar trabalha em campo sem restrições

A iniciativa da CBF em dividir com os clubes a responsabilidade de fazer levantamentos sobre os adversários da Seleção Brasileira no Mundial da Rússia teve como objetivo facilitar o caminho da comissão técnica do time pentacampeão mundial, que ficaria sobrecarregada caso tivesse de fazer a análise dos futuros rivais.

Desta maneira, através de um sorteio, o departamento de análise de desempenho dos clubes que disputaram a Série A do Campeonato Brasileiro no ano passado acabaram recebendo a missão de esmiuçarem não só os integrantes do Grupo E, mas também os possíveis adversários da Seleção nas fases seguintes do Mundial.



Acompanhado por Gabriel Jesus e Danilo, Neymar trabalhou com bola no gramado da Granja Comary durante a tarde desta terça-feira sem restrições. A movimentação do trio marcou o começo das atividades em campo da Seleção Brasileira na concentração em Teresópolis.

Neymar não atua desde 25 de fevereiro, data em que sofreu uma fissura no quinto metatarso do pé direito, pelo Paris Saint-Germain. No gramado da Granja Comary, o atacante participou de exercícios leves por cerca de 40 minutos e não teve problemas em deslocamentos, condução de bola e finalizações, inclusive com o pé operado.

“Fizemos um trabalho de propriocepção, pois ele está em processo de evolução com a bola. Participou de um joguinho dois contra dois. Damos uma aumentada na intensidade das finalizações, mas sem goleiro, para não exigir muito esforço. Temos que avaliá-lo no dia a dia, antes e pós-treino para saber como se sente e não ter nenhum desconforto. Dando os estímulos e avaliando constantemente”, disse o preparador físico Ricardo Rosa.

Evitar que Neymar sinta uma cobrança exagerada é uma das prioridades da comissão técnica chefiada por Tite. Na última segunda-feira, Edu Gaspar, coordenador de Seleções da CBF, explicou que o treinador planeja conversar com o atleta sobre o assunto.

Na reta final do processo de preparação para a Copa, a Seleção Brasileira enfrenta Croácia (3 de junho, em Liverpool) e Áustria (10 de junho, em Viena). A comissão técnica acredita na possibilidade de já utilizar Neymar em pelo menos parte do primeiro jogo.

Desde a manhã desta terça, a Seleção deu continuidade ao processo de exames médicos e avaliações físicas iniciado no dia anterior. Os atletas vêm passando por análises exigidas pela Fifa para a Copa do Mundo e por outras provas complementares, com a finalidade de oferecer dados à comissão técnica.

Os 20 atletas esperados para a reta final de treinamento na Granja Comary já estão sob o comando de Tite, uma vez que Alisson, Miranda, Paulinho e Philippe Coutinho chegaram nesta terça-feira. Marcelo, Casemiro e Firmino, finalistas da Copa dos Campeões, encontrarão o grupo apenas na Inglaterra.




O preparador Taffarel defendeu com convicção os três goleiros convocados para a Copa do Mundo da Rússia. Questionado sobre as ausências do cruzeirense Fabio e do santista Vanderlei na lista final elaborada pelo técnico Tite, o ganhador da Copa do Mundo de 1994 foi claro.

“Há exemplos no passado de caras que poderiam estar na Seleção, mas não estiveram. Às vezes, a gente não quer falar francamente, não quer ser muito sincero, mas tem goleiros melhores e mais preparados do que ele para estar aqui”, afirmou Taffael sobre o experiente Fabio.

Ao comentar a ausência de Vanderlei, ele adotou raciocínio semelhante. “Fez bons campeonatos e vem mantendo uma regularidade, mas, na nossa visão, nossos goleiros estão acima dos demais. Infelizmente, temos que escolher. A Seleção precisa de um goleiro com postura, que vem em boa sequência e dê segurança”, declarou.

A despeito das boas atuações recentes, Fabio e Vanderlei não foram nem sequer testados por Tite durante sua gestão de 19 partidas no comando da Seleção Brasileira. Além de Alisson, Ederson e Cássio, o treinador também escalou Weverton e Diego Alves.

“Não quer dizer que não seja bom, mas, de repente, é um momento em que outro atleta da posição está um passo adiante. Não vejo que isso faça com que o jogador caia: ‘Se não estou na lista, não sou bom’. Infelizmente, acontece”, disse Taffarel, convocado para as edições de 1990, 1994 e 1998 da Copa do Mundo.

Além de justificar as ausências de Fabio e Vanderlei, o preparador foi generoso ao falar sobre Alisson, Ederson e Cássio, os escolhidos para a Copa do Mundo da Rússia. De acordo Taffarel, o goleiro da Roma está entre os melhores do mundo na posição.



Na Rússia, o Brasil contará com três goleiros estreantes em Copa do Mundo pela primeira vez desde 1990. Um dos convocados para defender a Seleção na Itália, o preparador Taffarel minimizou a inexperiência de Alisson, Ederson e Cássio no torneio e colocou o titular entre os melhores do mundo.

“Em 1990, lembro que joguei com um entusiasmo muito grande e vejo isso agora nos nossos goleiros. Os três estão aqui porque nos dão tranquilidade. Eles têm experiência e todas as condições de representar bem o Brasil”, disse Taffarel, acompanhado por Acácio e Zé Carlos em 1990.

Das 19 partidas da gestão do técnico Tite no comando da Seleção Brasileira, Alisson participou de 15. Um dos destaques da Roma, eliminada pelo Liverpool na semifinal da Copa dos Campeões, o goleiro ganhou uma série de elogios do ganhador do Mundial de 1994.

“O Alisson cresceu muito. Pela sequência de trabalho na Roma e por tudo que vem apresentando, acho que está entre os melhores do mundo”, disse Taffarel. “O Neuer virou referência na Copa de 2014 e depois machucou. O Alisson está entrando nessa mesma linha”, comentou.

Ederson e Cássio completam o trio de goleiros convocados pelo técnico Tite para a Copa do Mundo da Rússia. Taffarel procurou manter aberta a disputa pela condição de segundo goleiro, mas sinalizou que o atleta do Manchester City tem certa vantagem sobre o corintiano.

“A definição é sempre do Tite, mas, a princípio, o Alisson e o Ederson sempre tiveram lugar na lista. Por consequência, são o primeiro e segundo goleiro. O Cássio se juntou a esse grupo, mas não quer dizer que chega como terceiro goleiro. Tudo depende do trabalho que vão produzir”, explicou, tentando estimular a concorrência.



A saída de Neymar do Barcelona na temporada passada para jogar no Paris Saint-Germain deu fim a uma das trincas de ataque mais conhecida do futebol mundial nos últimos anos, o “trio MSN”. Em seu novo clube, o brasileiro estabeleceu uma nova parceria, desta vez com Mbappé e Cavani. Mas é na Seleção que o camisa 10 tem dois companheiros, Philippe Coutinho e Gabriel Jesus, com chances de trazer o hexa para o Brasil.

Entre os trios que participou na carreira, o comandado por Tite foi o mais comentado por Neymar em entrevista concedida ao ex-jogador Zico, em seu canal nas redes sociais. Motivado por voltar a jogar uma Copa do Mundo, o craque deixou sua “cobrança” para os companheiros de Seleção.

O trio formado por Neymar Coutinho e Jesus deve iniciar a Copa do Mundo no time titular (Foto: Thomás Santos/Mowa Press)

“Espero que esse trio resolva agora. Já estou colocando pressão no (Philippe) Coutinho e no Gabriel (Jesus) mesmo. É isso aí.”, disse Neymar.

Sobre o trio do Barcelona, que foi o mais marcante da sua carreira até então, o camisa 10 elencou alguns motivos que fizeram com que a sintonia fosse tão boa dentro de campo e elencou o ambiente fora das quatro linhas como um diferencial.

“Cada um tinha seu encanto. E por ser cada um de um país, isso que era bastante engraçado, a gente tinha uma amizade”, comentou, revelando apostas quando jogavam contra por seus respectivos países. “A gente se sacaneava, apostava. Cheguei até a apostar um lanche com o Suárez”, lembrou.

Mesmo sem atuar desde a lesão no pé, Neymar deve estar em plenas condições para a disputa da Copa do Mundo. A expectativa dos médicos e da comissão técnica é de que o camisa 10 volte a jogar no amistoso da Seleção contra a Croácia, no próximo dia 3 de junho.