COPA DO MUNDO 2018 RÚSSIA

Desde a Copa do Mundo de 2002, quando o Brasil conquistou o pentacampeonato mundial, apenas seleções europeias levantaram o troféu da maior competição do universo futebolístico. E neste ano, na Copa da Rússia, o ex-treinador canarinho, Carlos Alberto Parreira, vê apenas duas seleções capazes de “quebrar” essa sequência: Brasil e Argentina.

“Só há dois times que podem quebrar essa sequência e eles são Brasil e Argentina. As pessoas dizem que a Argentina não foi bem nas Eliminatória, mas eles tês tradição e o melhor jogador do mundo, que é o Messi. E o Brasil tem o melhor ataque do mundo com Neymar, Gabriel Jesus, (Roberto) Firmino and Douglas (Costa). Ninguém tem jogadores como esses, que podem ganhar jogos. Claro que essa não é coisa mais importante que você precisa para ganhar. Você precisa ter um time e ser equilibrado. Mas mesmo assim, eles são um grande trunfo”, pontuou em entrevista ao site da Fifa.

Parreira foi campeão da Copa de 1994 com o Brasil (Foto: Djalma Vassao/Gazeta Press)

Assim como nos últimos quatro Mundial, Parreira liderará o Technical Study Group (Grupo de estudos técnico, em tradução literal), que analisa todos os jogos ao longo da competição e atua desde 1996. O brasileiro revelou que a maior curiosidade dos membros deste grupo é qual será o estilo de jogo da equipe que levantar a taça.

“Estamos curiosos com uma coisa em particular: como os campeões de 2018 vão jogar? Por exemplo, a Itália ganhou em 2006 com 60% de seus gols saindo de bolas paradas. Não tenho dúvida que habilidade técnica fará a diferença, assim como a habilidade de jogar como um time. É isso que esperamos para o Brasil, que tem o talento individual em Neymar, Coutinho e Gabriel Jesus. Mas você não pode ignorar o aspecto coletivo e isso se aplica para todos os times”, avaliou.

Olhando para o passado, Parreira comentou sobre os aspectos mais notáveis na evolução do futebol desde a Copa do México em 1970: “Essa pergunta é muito feita e os nostálgicos dirão que o futebol era mais bonito e mais agradável de assistir, enquanto o de hoje é mais robótico e apressado. Eu não vejo desta forma. Houve uma transformação. É diferente, muito diferente. Até a Copa de 1966 na Inglaterra, você jogava e eles deixavam você jogar. O que se destacava era o talento individual. E então a grande revolução veio depois de 1966: ‘jogue e não deixe eles jogarem’. Atacantes começaram a fazer trabalhos defensivos, o espaço foi comprimido, o jogador com a bola era pressionado e tudo acelerou”, explicou.

“O que me fascina hoje é o ritmo com que se transita entre defesa e ataque. É incrível! Em 1970, os jogadores corriam entres quatro e seis quilômetros e hoje correm entre 12 e 14. Fico feliz em ver que as táticas mudaram, mas sempre diremos que a essência do jogo é o talento. Talento sempre faz a diferença. Se quiser ganhar a Copa do Mundo, sempre terá que ter dois ou três jogadores de destaque: um Neymar, um Messi, um Cristiano Ronaldo. Eles sempre farão a diferença, o que é bom para o futebol”, completou.



Fagner treinou pela primeira vez sob o comando do técnico Tite nesta quinta-feira. Embora tenha feito alguns trabalhos com bola durante o aquecimento do grupo nos últimos dias, o lateral-direito sempre vinha sendo poupado de atividades mais intensas por conta de sua lesão. Completamente recuperado, o corintiano comemorou o início de uma nova etapa com a Seleção Brasileira.

“O mais importante foi todo o trabalho de recuperação que foi feito, junto com o pessoal do clube e aqui também para que eu estivesse bem. Hoje me sinto muito bem, totalmente zerado e feliz por estar aqui, participando do grupo, de estar evoluindo a cada dia. Espero o quanto antes estar no mais alto nível possível para poder ajudar”, disse Fagner.

O lateral-direito sofreu uma lesão de grau 2 no músculo posterior da coxa direita no último dia 29 de abril, no duelo com o Atlético-MG, pelo Brasileirão. De lá para cá, Fagner trabalhou em dois períodos no Corinthians para estar apto a ser convocado e teve seu esforço recompensado ao ver seu nome na lista dos 23 selecionados pelo técnico Tite para defender o Brasil na Copa do Mundo.

Nesta quinta-feira, Fagner fez parte de um dos times formados por Tite para trabalhar os padrões táticos da equipe. O jogador treinou ao lado de Marquinhos, Geromel, Filipe Luís, Fred, Vitinho (sub-20), Taison, Brenner (sub-20), Firmino e Neymar.

“É bom você estar com bola, diferente de fazer atividade física, academia e tomar todo o cuidado para que nada de ruim acontecesse. Felicidade imensa de poder fazer o primeiro trabalho junto com o professor e de alguma forma estar junto com os companheiros. Isso é bom. Espero agora só ficar aqui junto com eles”, concluiu o corintiano.




Faltando 13 dias para o início da Copa do Mundo, o técnico Diego Aguirre colocou o Brasil como um dos cotados para levantar a taça. O técnico do São Paulo destacou a força coletiva da equipe verde e amarela, exaltando especialmente o trabalho realizado por Tite.

“Não tenho dúvida nenhuma (sobre o favoritismo do Brasil). Hoje o Brasil é um time, não joga em função de uma individualidade e sim em função de todos os jogadores. E para isso, Tite fui fundamental, porque na cabeça dele, ele tem um grupo. Fez esse grande trabalho e rapidamente fez o Brasil voltar a ser candidato (ao título) como é historicamente nas Copas do Mundo”, pontuou em entrevista ao Sportv.

Diego Aguirre chegou ao São Paulo no início de 2018 (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

O uruguaio também falou sobre os melhores jogadores do mundo e do Uruguaio. Aguirre vê Lionel Messi no topo, já que ele tem a capacidade de transformar um time médio em algo maior, como no caso da Argentina. Na sequência, o treinador coloca Cristiano Ronaldo e vê Neymar assumir o posto dentro de dois ou três anos.

Quanto ao seu país, Aguirre não exitou em apontar Luís Suarez como o melhor jogador uruguaio de todos os tempos. “Aconteceu muita coisa na história do Uruguai, no Maracanã, nos anos 1950. Mas para mim, Luis Suárez (é o melhor). Pelo que tem feito na seleção, no Barcelona… acho que nenhum outro jogador uruguaio conseguiu”, exaltou.

Quanto ao seu trabalho no São Paulo, o técnico se disse feliz e que quer conquistar títulos. Além disso, exaltou a parada para Copa e a importância desta visando a sequência da temporada: “É muito importante para nós, vamos ter quase um mês para trabalhar, o que não tivemos. Faz dois meses e meio que eu e minha comissão estamos em São Paulo e é pouco tempo, é muito jogo… então vamos aproveitar os treinamentos. A parada para a Copa vai ser muito importante, e com certeza vamos continuar melhorando”, completou.

Por fim, Aguirre ainda comentou sobre o futuro, revelando que sonha em treinar a seleção uruguaia algum dia – lembrando que é possível a aposentadoria de Óscar Tabarez da seleção após o Mundial e o técnico do Tricolor seria um dos cotados para o cargo:

“Algum dia pode ser. Sempre tem (especulação). Trabalhei na seleção com Tabárez, no processo de formação da seleção, e é normal falarem. Algum dia… Assumir a seleção é o máximo pelo orgulho do que significa ser o treinador do seu país”, concluiu.



Oliver Bierhoff não escondeu a frustração com a notícia (Foto: Miguel Medina/AFP)

A pouco mais de duas semanas de estrear na Copa do Mundo da Rússia e começar a defender o título conquistado na última edição da competição, a Alemanha viu a equipe em clima nem tão bom, nesta quarta-feira. Isso porque a Federação de Futebol do país vazou uma suposta lista final, sem quatro dos 27 atletas que, agora, participam de amistosos.

A relação, que não conta com o goleiro Trapp, o zagueiro Tah, o meia Rudy e o atacante Petersen, foi publicada no site da entidade. O objetivo, na verdade, é promover a linguagem de sinais, já que na imagem, os jogadores são “anunciados” por sinais.

Com a equipe treinando na Itália, o diretor esportivo da seleção alemã, Oliver Bierhoff não escondeu o incomodo com a notícia, em entrevista coletiva. “Isto deve ser um colapso. Vou procurar saber disso imediatamente. Isso me deixa realmente irritado”, destacou o ex-jogador.

“Todos os jogadores deixaram uma grande impressão aqui, e está é uma decisão muito difícil”, continuou o ex-jogador. “Na noite anterior ao anúncio, haverá a conversa final entre a comissão técnica. E no dia seguinte os jogadores serão informadas”, explicou.

Antes de ter a lista final definida, a Alemanha entra em campo contra a Áustria, no próximo sábado, em Klagenfurt. Está será a última chance do técnico Jöachim Löw avaliar os atletas. Após o corte, o time tem um outro compromisso, dessa vez, contra a Arábia Saudita, no dia 8 de junho. Nove dias depois, a equipe estreia, contra o México, na Copa do Mundo, em Moscou.

 



Titular na fatídica goleada na semifinal da Copa do Mundo para a Alemanha, Fernandinho foi um dos jogadores mais criticados pela imprensa e pelos torcedores após a trágica eliminação do Brasil no Mineirão. Nesta quinta-feira, o volante do Manchester City concedeu entrevista coletiva e confessou que teve uma melhora considerável de desempenho graças a Pep Guardiola, que está no clube inglês há duas temporadas.

“O Guardiola tem ideias, conceitos, preza por certas coisas que ajudam a melhorar mais e mais o jogo do time de do próprio jogador. Em dois anos trabalhando com ele eu melhorei de maneira considerável”, afirmou o volante antes de traçar um paralelo com Tite.

“O Tite é um treinador que tem um estilo diferente, mas conceitos parecidos. Aprendi muito com ele também. Me sinto muito privilegiado por trabalhar com ambos. Espero que eu possa retribuir todo esse aprendizado dentro de campo, ganhando títulos, como foi no City”, completou.

Tido como um atleta versátil, Fernandinho parece ter vencido a concorrência com Renato Augusto e deve ser o titular do meio-campo da Seleção Brasileira na Copa do Mundo. Embora tenha um papel mais defensivo no time verde e amarelo do que costuma ter no Manchester City, o jogador se diz pronto para desempenhar qualquer função.

“Eu tenho a facilidade de jogar em várias posições, de entender o que o treinador pede, desde que era muito jovem. Isso me ajudou muito no decorrer de toda a minha carreira. Se o professor precisar que eu jogue em uma posição diferente, consigo fazer isso”, comentou.

“Claro que talvez eu não vá ter a mesma eficiência de um jogador de origem, mas, para mim, não é problema nenhum. Tenho feito isso no meu clube, no final da temporada joguei mais avançado, inclusive. Está sendo assim agora, foi no último amistoso e provavelmente será assim no próximo também”, concluiu Fernandinho.



O técnico Tite, enfim, deu indícios de quais jogadores começarão o amistoso contra a Croácia, no próximo domingo, em Anfield, estádio do Liverpool. Nesta quinta-feira, 11º dia de preparação da Seleção Brasileira, o comandante canarinho fechou parte do treino mais uma vez, contudo, resolveu instruir os 10 jogadores de linha que devem ser os titulares enquanto os jornalistas ainda podiam acompanhar a atividade no CT do Tottenham. Os destaques ficaram por conta da ausência de Neymar na equipe, Thiago Silva fazendo o miolo de zaga com Miranda e Fernandinho novamente no lugar de Renato Augusto.

Ainda aprimorando a forma física após a séria lesão no pé direito, Neymar não deverá iniciar a partida ante os croatas. Há boas chances de ele entrar no decorrer do duelo, uma vez que ele não aguenta ainda competir em alto nível durante 90 minutos e segue sendo supervisionado por toda comissão técnica. Desta forma, Philippe Coutinho foi deslocado para a ponta esquerda, onde o craque do Paris Saint-Germain costuma atuar, enquanto Willian apareceu pelo lado direito do ataque.

Já Fernandinho parece estar cada vez mais perto da tão sonhada titularidade na Copa do Mundo. Embora Renato Augusto tenha sido o preferido do técnico Tite em seu início de trabalho na Seleção, o volante do Manchester City ganhou espaço graças às boas atuações sob o comando de Pep Guardiola e também ao mau momento vivido pelo seu concorrente de posição, que atualmente joga no Beijing Guoan, da China.

Capitão da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2014, Thiago Silva parece ter vencido a concorrência de Marquinhos, seu companheiro no PSG, e formou a dupla de zaga com Miranda. Aparentemente, Tite está priorizando a experiência de seus defensores, ainda que Marquinhos não tenha cometido qualquer erro crasso nas Eliminatórias Sul-Americanas e nos amistosos do time canarinho.

Como já era esperado, Danilo, do Manchester City, assumiu a vaga deixada por Daniel Alves, cortado da Copa do Mundo por conta de uma lesão ligamentar no joelho. Fagner, outra opção para o setor, se recuperou recentemente de uma lesão de grau 2 no músculo posterior da coxa direita e sai atrás na disputa pela lateral.

Após atividade tática desta quinta-feira, a escalação da Seleção Brasileira para o amistoso contra a Croácia deverá ser formada por Alisson; Danilo, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Casemiro, Fernandinho e Paulinho; Philippe Coutinho, Gabriel Jesus e Willian.

O clube que mais conta com atletas neste time titular é o Manchester City. Além de Gabriel Jesus, Danilo e Fernandinho, o clube inglês também será representado por Ederson, reserva imediato de Alisson na meta da Seleção Brasileira.

Nesta sexta-feira, a Seleção Brasileira fará seu último treinamento em Londres, no CT do Tottenham, antes de viajar a Liverpool, local do penúltimo teste do time canarinho antes de sua estreia na Copa do Mundo. Na semana que vem, os comandados do técnico Tite voltarão à capital inglesa e só a deixarão às vésperas do amistoso contra a Áustria, em Viena, já que de lá o grupo segue direto para a Rússia.




Akira Nishino convocou os seus 23 atletas nesta quinta-feira (Foto: Toshifumi KITAMURA / AFP)

O Japão é mais uma seleção a divulgar a sua convocação final para a Copa do Mundo da Rússia. Na manhã desta quinta-feira, o treinador da equipe asiática, Akira Nishino, revelou os seus 23 escolhidos para representar o país no evento com Keisuke Honda sendo a principal surpresa da lista.

A presença do meia do Pachuca não chama atenção pela técnica do jogador, mas sim pelo fato de que o jogador não vinha aparecendo nas convocações do ex-treinador Vahid Halilhodzic. Além do meia, o treinador mostrou uma prioridade em atleta que já possuem experiência na competição, deixando de fora alguns nomes mais jovens que se destacaram na última temporada.

A convocação final foi divulgada com o treinador Akira Nashino completando um mês no cargo e no dia seguinte a derrota no amistoso contra Gana por 2 a 0. Antes da disputa do mundial, os samurais azuis enfrentarão Suíça (adversária do grupo do Brasil) e Paraguai, nos dias 8 e 12, respectivamente.

No grupo H do torneio, o Japão divide o grupo com Polônia, Colômbia e Senegal. Na coletiva desta quinta, o treinador revelou que o objetivo é de tentar passar para as oitavas de final.

Confira a lista dos 23 convocados do Japão:

Goleiros: Eiji Kawashima (Metz-FRA), Masaaki Higashiguchi (Gamba Osaka) e Kosuke Nakamura (Kashiwa Reysol);

Defensores: Yuto Nagatomo (Galatasaray-TUR), Tomoaki Makino (Urawa Red Diamonds), Maya Yoshida (Southampton-ING), Hiroki Sakai (Olympique de Marselle-FRA), Gotoku Sakai (Hamburgo-ALE), Gen Shoji (Kashima Antlers), Wataru Endo (Urawa Red Diamonds) e Naomichi Ueda (Kashima Antlers);

Meio-campistas: Makoto Hasebe (Eintracht Frankfurt-ALE), Keisuke Honda (Pachuca-MEX), Takashi Inui (Eibar-ESP), Shinji Kagawa (Borussia Dortmund-ALE), Hotaru Yamaguchi (Cerezo Osaka), Genki Haraguchi (Herta Berlin-ALE), Takashi Usami (Augsburg-ALE) e Gaku Shibasaki (Getafe-ESP);

Atacantes: Shinji Okazaki (Leicester City-ING), Yuya Osako (Köln-ALE), Yoshinori Muto (Mainz-ALE) e Takuma Asano (Stuttgart-ALE).



Renato Augusto é a nova preocupação da comissão técnica da Seleção Brasileira. A CBF informou nesta quinta-feira que o jogador sentiu dores no joelho esquerdo durante o treinamento da última quarta e será poupado das atividades marcadas para esta tarde e também do trabalho da próxima sexta.

O departamento médico da Seleção Brasileira não falou sobre corte, porém, seguirá acompanhando a evolução física do volante até antes da viajem para Liverpool, quando ele será reavaliado para que o técnico Tite saiba se poderá relacioná-lo ou não.

Renato Augusto virou dúvida para o amistoso contra a Croácia (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Tido como um dos homens de confiança de Tite desde que o treinador iniciou seu trabalho na Seleção Brasileira, Renato Augusto perdeu seu status de titular após não conseguir desempenhar o mesmo futebol mostrado nas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo e hoje rivaliza com Fernandinho por uma vaga no meio-campo do time canarinho.

Medalhista olímpico com o Brasil no Rio 2016, Renato Augusto é o único jogador convocado por Tite que atua no futebol chinês. Justamente por isso, toda vez que foi convocado, o volante se apresentou antes dos demais companheiros e realizou um trabalho à parte com a comissão técnica para equiparar seu desempenho ao dos demais.

Nesta quinta-feira o elenco da Seleção trabalhou na parte da manhã. Enquanto os jogadores de linha voltaram a participar de um circuito físico na academia do CT do Tottenham, os goleiros foram a campo junto com os preparadores Taffarel e Rogério Maia para um treinamento de saída de gol e movimentação que durou cerca de 45 minutos.

A Seleção Brasileira volta a treinar às 12h (de Brasília), quando o grupo todo vai a campo para o último treino aberto da equipe em Londres. No domingo, o Brasil fará seu penúltimo teste antes da estreia na Copa do Mundo, contra a Croácia, em Anfield, estádio do Liverpool.