COPA DO MUNDO 2018 RÚSSIA
Pogba admite que contra Portugal achavam que já estava ganho (Foto: FRANCK FIFE/AFP)

Depois do técnico Didier Deschamps revelar que não digeriu ainda a derrota francesa na final da Eurocopa de 2016 para Portugal, o vice-campeonato foi pauta também para Pogba. Prestes a jogar a final da Copa do Mundo contra a estreante Croácia, o camisa 6 descarta qualquer favoritismo para evitar o mesmo clima que rondou a seleção antes da derrota para a equipe de Cristiano Ronaldo.

A França havia chegado na final após eliminar a atual campeã do Mundo, Alemanha. “Na Euro, nós pensávamos que já estava feito depois da vitória contra a Alemanha. Pensamos que Portugal estava derrotado antes. Dessa vez, estamos todos concentrados em não cometer o mesmo erro. Estamos felizes por nossa campanha, mas ainda não ganhamos a Copa do Mundo”, afirmou.

Com uma parte do elenco tendo participado do jogo contra Portugal, a experiência negativa é vista como aprendizado pelos jogadores. O autor do gol sobre a Bélgica que classificou a seleção para a final do Mundial, Umtiti também falou sobre a diferença das finais.

“Cada um de nós é diferente e se prepara de uma forma. Coletivamente, sabemos o que fizemos de errado e o que devemos fazer agora. Isso é conversado entre nós. Criamos uma boa imagem, mostramos agressividade e solidez. Há muita seriedade”, declarou.



Nesta sexta-feira, a Bélgica realizou o último treinamento antes da disputa do terceiro lugar da Copa do Mundo. Os belgas, reencontrarão a Inglaterra neste sábado. No primeiro duelo entre as duas equipes, vitória por 1 a 0 dos Diabos Vermelhos, gol marcado por Januzaj.

Roberto Martínez poupou nove titulares das atividades desta sexta. Apenas o goleiro Courtois e o volante Chadli aparecerem no gramado para as atividades com bola. Mesmo assim, o treinador garantiu força máxima para o duelo com o English Team. Porém, ressaltou que isso só acontecerá se os atletas estiverem em boas condições físicas.

Roberto Martínez deve usar os titulares contra a Inglaterra (Foto: Alexander Nemenov/AFP)

Na última coletiva concedida no centro de treinamentos, o meia Tielemans, reserva durante toda a campanha garantiu que a Bélgica lutará para garantir a terceira colocação no Mundial.

“Nós estamos decepcionados e isso é normal, porque queríamos ir até o fim. Mas temos o último objetivo, que é sair com a cabeça em pé e ganhar o último jogo. É importante para a nossa honra, por nós, mas também para a Bélgica”, afirmou o jogador.

Bélgica e Inglaterra se enfrentam neste sábado, às 11h00 (horário de Brasília), em São Petersburgo. Quem vencer, ficará com a terceira colocação da Copa do Mundo de 2018.







Carlos Alberto Parreira, ex-técnico da Seleção, junto de Van Basten, Milutinovic, Amunike e Roxburgh, do TSG, da Fifa (Foto: Reprodução)

Carlos Alberto Parreira atualmente faz parte do grupo de estudos técnicos da Fifa (TSG, em inglês) e concedeu uma entrevista coletiva na manhã de quinta-feira. Técnico no tetracampeonato em 1994, ele apontou a falta de experiência, tanto de jogadores quanto da comissão técnica, em um Mundial, e que a equipe não soube lidar com alguns detalhes importantes para conseguir seguir em frente na Copa da Rússia. Além disso, Parreira defendeu Neymar quando ele foi criticado pelo ex-jogador e agora técnico Van Basten, também da comissão.

“Faltou experiência de Copa, tínhamos bons jogadores, mas poucos com Copa (no currículo), assim como o estafe técnico. O Brasil poderia ter ido mais longe… Fomos melhores no segundo tempo, controlamos o jogo, tivemos chance de marcar, mas a Copa é decidida no detalhe”, iniciou Parreira. “Continuamos sonhando em ganhar no Catar. Estamos sempre em busca de ganhar uma Copa do Mundo, é como uma religião para nós”.

“O Brasil poderia ter ido mais longe…”

Além disso, o ex-técnico disse que é preciso resolver o problema que assombra a Seleção Brasileira, que não chega a uma final desde 2002, quando sagrou-se pentacampeã contra a Alemanha. Também falou sobre a necessária permanência de Tite no comando e que não é só o talento que alimenta um time vencedor: vai muito além disso.

“Não é só saber que há um problema, mas como resolvê-lo também. Vamos para 20 anos sem título, não é fácil ser um campeão do mundo. Não precisa ser só talentoso, se não ganharíamos todas as Copas. Precisa ter fome, ter paixão, ter organização. É muito diferente quando isso tudo está lá, quando há organização e talento, vamos ganhar. Quando falta algo, falhamos. Em 2006 não tínhamos a mesma fome, porque ganhamos em 2002. Os melhores jogadores não foram em sua melhor forma”, observou.

“Vamos continuar com o trabalho de Tite. Quero que ele continue. É o melhor caminho para o hexa. Precisamos dos dois: Tite e Neymar”

Falando no camisa 10, ao lado de Parreira estavam os outros membros do TSG, sendo que o holandês Van Basten resolveu criticar o brasileiro por suas encenações. “Eu acho que simular não é uma boa atitude. Você tem que ter espírito e isso não vai te ajudar. Eu acho que ele pessoalmente deveria entender essa situação”, disparou.

Parreira, entretanto, saiu em defesa do craque. “Ele é muito agredido também. Ele atrai essa mídia toda contra ele. O importante é que ele pode nos ajudar”, finalizou.



Após a eliminação do Brasil na Copa do Mundo nas quartas de final contra a Bélgica, o craque Neymar não foi visto sequer no desembarque da Seleção em solo brasileiro. Na última quarta-feira, no entanto, ele fez sua primeira aparição pública desde o confronto em um bar da capital paulista, onde jogou pôquer com amigos e alguns jogadores, como o volante Moisés, do Palmeiras.

Imagem publicada por internauta onde é possível ver Neymar jogando pôquer em bar (Foto: Reprodução)

Neymar não deu nenhuma entrevista após a eliminação do Brasil e não foi visto junto da delegação no desembarque, que aconteceu há quatro dias, no Rio de Janeiro. Desde então, ele não havia aparecido nem nas redes sociais, onde frequentemente é visto, e restou a dúvida se ele teria vindo com o restante dos jogadores no mesmo voo e se teria descido mesmo na capital carioca.

Confira a opinião de Michelle Giannella no blog Bela Jogada.

Desde o início do Mundial, o camisa 10 sofreu com algumas brincadeiras devido à fama de “cai cai”, no entanto, ele realmente foi um dos jogadores que mais recebeu falta na competição. Mesmo assim, questionado e cobrado, ele somente falou com a imprensa após ter conquistado o prêmio de melhor da partida contra o México, dia 2 de julho.

Mais cedo na quarta-feira, o atacante Gabriel Jesus também havia publicado que Neymar e outros amigos estavam jogando Counter-Strike, jogo que marcou os períodos de descanso durante a concentração da Seleção Brasileira na Copa do Mundo.

Gabriel Jesus marcou Neymar em jogo na internet. “Vício” (Foto: Reprodução)




O futebol não voltou para casa. A Inglaterra surpreendeu a muitos chegando à semifinal da Copa do Mundo, mas espantou a muitos outros sofrendo a virada para a Croácia. Abatido, Kane comentou a queda na semifinal do Mundial da Rússia.

“Estamos arrasados porque não chegamos onde queríamos hoje. Ficamos decepcionados. Mas a gente tem que sacudir a poeira e dar a volta por cima”, afirmou o centroavante.

A história poderia ser diferente se o principal jogador da seleção inglesa tivesse caprichado um pouco mais na finalização. Antes de Perisic e Mandzukic marcarem, quando os Lions ainda venciam por 1 a 0, Kane desperdiçou grande chance de ampliar e acertou a trave.

“Na Inglaterra, vão falar muito daquela oportunidade perdida. Eles jogaram bem e fizeram um bonito jogo. É difícil dizer exatamente o que aconteceu. Foi excelente ter chegado até esta fase, mas claro que a gente queria continuar e ganhar”.

“Até eles marcarem o gol, a gente estava ali esperando. Depois que eles fizeram o gol, eles voltaram para a partida. Podíamos ter feito muita coisa melhor. Mas faltou esse pouquinho. Dói. Eu não sei mais o que dizer”, finalizou.



Nesta quarta-feira a Croácia cravou seu lugar na grande final da Copa do Mundo da Rússia, após vencer a Inglaterra por 2 a 1. Agora, os croatas encaram a França, que eliminou a Bélgica pelo placar de 1 a 0. A partida marcará o reencontro das seleções que protagonizaram um eletrizante jogo na semifinal da Copa de 98.

Anfitriã daquela edição, a seleção francesa passou na liderança do Grupo A, com 9 pontos, após derrotar Dinamarca, África do Sul e Arábia Saudita. Já a equipe croata avançou na vice-liderança do Grupo H, com 6 pontos, depois de vencer Jamaica e Japão, e perder para a Argentina.

Nas oitavas, a França eliminou o Paraguai depois de vencer por 1 a 0, com gol de ouro de Laurent Blanc na prorrogação, enquanto a Croácia derrotou a Romênia pelo mesmo placar, mas no tempo regulamentar. Na fase seguinte, os franceses venceram a Itália nos pênaltis por 4 a 3, após empatarem por 0 a 0 no tempo normal. Já os croatas venceram tranquilamente a Alemanha por 3 a 0. Com isso, as duas seleções se encontraram nas semifinais da competição.

A partida foi disputada no Stade de France, em Saint-Denis, no dia 8 de julho de 1998. Com um elenco recheado de craques como Zinedize Zidane, Didier Deschamps (atual treinador dos Bleus), Petit, Laurent Blanc, Desailly, a França foi surpreendida e começou a partida perdendo. Os croatas marcaram no primeiro minuto da segunda etapa, com o artilheiro da competição Davou Suker. Entretanto um herói improvável apareceu para definir o jogo: Lilian Thuram. O jovem lateral direito de 26 anos marcou no minuto seguinte e empatou a partida. Aos 25 minutos o defensor acertou uma linda finalização de fora da área e deu número finais a partida: 2 a 1.

Os Bleus conseguiram uma vaga para as finais, enquanto os Vatreni disputaram o terceiro lugar, mas conquistaram, até então, a sua melhor campanha em uma Copa do Mundo.

Em seguida, a dona da casa se sagrou campeã do Mundial ao derrotar o Brasil por 3 a 0. A seleção croata terminou na terceira colocação depois de vencer a Holanda por 2 a 1.

A decisão, e reencontro de Croácia e França, da Copa do Mundo de 2018 será disputada neste domingo, às 12h (de Brasília), no Estádio Luzhniki. A disputa do terceiro lugar, entre Bélgica e Inglaterra, será neste sábado, às 11h (de Brasília), no Estádio de São Petersburgo.