COPA DO MUNDO 2018 RÚSSIA

A presença de Zlatan Ibrahimovic na Copa do Mundo deste ano, na Rússia, ainda é uma grande incógnita. O atacante de 36 anos havia se aposentado da seleção sueca, mas, com a classificação do país para o Mundial, voltou a cogitar uma convocação, a qual seria a última de sua carreira. Questionado a respeito do assunto, o goleiro reserva da equipe Karl-Johan Johnsson não se mostrou muito animado com a possibilidade.

“Não tenho ideia (se Ibra será convocado ou não). Vai depender do treinador. Nós conseguimos nos classificar para a Copa sem ele. Se for chamado, certamente jogará bem …A nossa equipe joga de forma coletiva, todos os jogadores juntos. Zlatan, como pessoa e como jogador, é individualista. As jogadas para os gols são construídas em torno dele, ao contrário de hoje, em que jogamos todos juntos. É um tipo diferente de jogo”, afirmou o arqueiro que defende o Guingamp-FRA, em entrevista concedida ao site francês “Main Opposée”, especializada em goleiros.

Maior artilheiro do país, Ibra soma 62 gols em 116 partidas pela Suécia (Foto: Kamil Krzaczynski/AFP)

Ibrahimovic se despediu da seleção sueca no dia 23 de junho de 2016, quando o time perdeu da Bélgica e acabou eliminado da Eurocopa ainda na fase de grupos. Desde então, houve uma reformulação e foi adotado um estilo de jogo diferente, que acabou levando o país à Copa do Mundo, algo que não acontecia desde 2006, na edição sediada pela Alemanha.

“É uma forma diferente de jogo quando você tem um jogador como Zlatan, Cristiano Ronaldo, Messi no seu time, é claro. Porque são jogadores de outra classe, você os usa em estilo diferente. Não sei se o treinador vai querer fazer uma mudança tão grande, mudar todo o sistema em que jogamos. Vamos ver”, completou Johnsson.

Zlatan se transferiu do Manchester United, onde não estava tendo muitas oportunidades, ao Los Angeles Galaxy-EUA no mês passado. O sueco estreou com dois gols e tem mostrado estar em boa forma. Em entrevistas, Ibra garante que sua presença no Mundial depende totalmente de sua vontade, mesmo não afirmando se estará em campo ou não. A convocação final provavelmente será divulgada no início de maio.



Focado na Copa, Aguero não jogará mais pelo City na atual temporada (Foto: Anthony Devlin/AFP)

O anúncio de que Sergio Aguero foi submetido a uma artroscopia, nesta terça-feira, para resolver problemas na articulação do joelho direito, o que fará com que o atacante desfalque o Manchester City no restante da temporada, pegou a muitos de surpresa. Embora a presença do jogador na Copa do Mundo deste ano, na Rússia, tenha sido assegurada, a situação gera desconfiança por parte do médico da seleção argentina, Homero D’Agostino.

“Imagino que não chegará 100% fisicamente na Copa do Mundo, pelo pouco tempo que falta para o início da competição. A anatomia é a anatomia, a lesão é a lesão, a natureza é a natureza… Pode tentar, mas não acredito que chegará 100%”, afirmou, apontando um período de três a quatro semanas de recuperação apenas para a cirurgia, em entrevista concedida à emissora TyC Sports.

D’Agostino ainda deu detalhes a respeito da lesão e do processo de recuperação de Aguero, que é presença certa na lista final de Jorge Sampaoli na seleção argentina. Segundo o médico, por se tratar de um problema antigo, a recuperação não pode ser feita às pressas.

“O importante é saber que a lesão existia. Os médicos tentaram resolver de uma maneira mais conservadora, sem ter de passar pela mesa de cirurgia, mas não tiveram êxito. A limpeza é um procedimento feito quando há lesões velhas. E quando as lesões são velhas, a recuperação não é tão rápida como o desejado”, completou.

 

 



 

Walker é peça importante na seleção treinada por Gareth Southgate (Foto: AFP)

O lateral-direito Kyle Walker não está confiante no título da seleção inglesa na Copa do Mundo da Rússia. O jogador do Manchester City, de Pep Guardiola, atribui a falta de experiência como um dos motivos para que a equipe “precise de um milagre” para conseguir o bicampeonato da competição.

“Como é óbvio, espero que Inglaterra possa chegar o mais longe possível, mas temos de ser realistas. Precisamos de um milagre para ganharmos o Mundial, no entanto, temos jogadores com qualidade para isso”, disse o atleta à rádio TalkSport.

“A grande maioria dos jogadores atua no melhor campeonato do mundo (o Inglês), mas não temos a experiência recente de chegar longe nas grandes competições”, completou.

Campeã em 1966, a seleção inglesa não consegue chegar sequer em um semifinal desde 1990, quando parou na Alemanha Ocidental nessa fase e ainda perdeu a disputa do terceiro lugar para a Itália. Kyle Walker, juntamente com Harry Kane e Dele Alli, dupla do Tottenham, são os principais nomes da equipe comandada por Gareth Southgate.

A Inglaterra está no grupo G da Copa do Mundo, que também tem Tunísia, Bélgica e Panamá como integrantes. A estreia acontece diante da seleção tunisiana, em Vologrado, no dia 18 de junho, às 15h (de Brasília).



Ibra dá entrevista à rede americana em tom descontraído e, enigmático, diz que vai à Copa do Mundo (Foto: Reprodução/Twitter)

Descontraída e enigmática: assim foi a entrevista de Zlatan Ibrahimovic, jogador do Los Angeles Galaxy, ao programa de Jimmy Kemmel, da rede americana ABC, da última terça-feira. No talk show, Ibra disse que é um presente para a equipe americana que o contratou, que colocou a Suécia no mapa e confirmou sua ida à Copa do Mundo, mas de forma enigmática.

“Eu sempre admirei Los Angeles e queria dá-los um presente. Pensei por muito tempo e um dia simplesmente aconteceu. ‘Eu deveria me dar’. Foi por isso que vim e de nada”, disse o atacante de 36 anos, sob aplausos e risos do apresentador e da plateia. O “de nada” faz alusão à publicação no jornal local sobre a contratação dele semanas atrás.

Sueco, o atleta já passou por Juventus, Paris Saint-Germain, Barcelona, Milan e, por último, o Manchester United. Perguntado sobre seu país de origem e seus conterrâneos, foi enfático. “Não sou um sueco típico, não sou gentil como eles, mas os coloquei no mapa”. Sobre o fato de deixar seus companheiros em sua sombra, Ibra brincou: “Claro que não, eu os faço super stars como eu”.

Na parte final da entrevista, que pode ser conferida na íntegra aqui (em inglês), Kemmel pergunta se o atacante vai jogar na Copa do Mundo da Rússia por sua seleção e ele, com expressão bastante irônica e enigmática, responde. “Sim, eu vou à Copa do Mundo”. O apresentador insiste, perguntando se ele estará calçando chuteiras ou sapatos normais, ao que ele novamente diz: “Digo que vou à Copa do Mundo, se eu falar mais, as pessoas vão me enforcar. Mas uma coisa é certa, uma Copa do Mundo sem mim não é uma Copa do Mundo”, finalizou.

Zlatan Ibrahimovic anunciou sua aposentadoria da seleção sueca em 2016, após o país ter sido eliminado na primeira fase da Eurocopa daquele ano, na França. No entanto, após a classificação da Suécia para a Copa de 2018, ele vem afirmando que jogará o Mundial, mesmo sem ter sido convocado.



O atacante Neymar, vitimado por uma lesão no pé direito, está inativo desde o último mês de fevereiro. Ainda de muletas, o jogador do Paris Saint-Germain valorizou a chance de descansar antes da Copa do Mundo e incluiu o egípcio Mohamed Salah no grupo de atletas que podem brilhar no torneio.

“São vários jogadores de muita qualidade. É Copa e vão estar os melhores do mundo inteiro, mas acho que Coutinho e Jesus são atletas que podem fazer a diferença. Outro jogador, que não está em uma seleção de nome, é o Salah. Há outros, como Hazard, De Bruyne e Suarez”, enumerou Neymar.

Aos 25 anos de idade, Salah vem se destacando com a camisa do Liverpool. Integrante do Grupo A da Copa do Mundo, o Egito encara na primeira fase Arábia Saudita, Rússia e Uruguai. Na estreia, em 15 de junho, duela com o adversário sul-americano.

Neymar admitiu que, às vezes, passa por momentos de insegurança, mas manifestou confiança em uma recuperação bem-sucedida até a Copa do Mundo. Embora tenha lamentado a impossibilidade de atuar, o atacante procurou valorizar a chance de descansar antes do torneio.

“Vou ter tempo suficiente para chegar bem na Copa do Mundo. É ruim machucar, mas, fisicamente, querendo ou não, estou mais descansado. Esse é o lado bom, temos que ver as coisas pelo lado bom e vou ter tempo para me preparar bem”, reiterou o atleta.

O técnico Tite divulga a lista final de convocados para o Mundial da Rússia no próximo dia 14 de maio. Nos dois últimos amistosos do Brasil antes do torneio, os adversários serão Croácia (3 de junho) e Áustria (10 de junho). A estreia na Copa está marcada para 17 de junho, contra a Suíça, em Rostov.




A exatos dois meses da estreia do Brasil na Copa do Mundo, Neymar ainda anda com muletas e usa uma bota no pé direito. O atacante do Paris Saint-Germain, principal jogador da Seleção, admite que também passa por momentos de insegurança, mas confia em uma recuperação bem-sucedida até o torneio.

“Pretendo chegar melhor do que estava. É claro que existem certas dúvidas. Às vezes, eu também sinto, mas é normal para alguém que passou pela primeira cirurgia da carreira. Nunca passei por isso e está sendo muito difícil ficar sem jogar, sem treinar, fora do ambiente de trabalho”, descreveu Neymar.

O jogador foi apresentado nesta terça-feira como embaixador global de uma multinacional chinesa de eletroeletrônicos. Assim que subiu ao palco do evento realizado em São Paulo, perguntou à mestre de cerimônias se iria ficar de pé. Quando a poltrona chegou, o astro sentou imediatamente.

“Está sendo muito ruim ficar no Brasil e ver meu time jogando, fazendo gol e sendo campeão. Queria muito estar com eles, mas há uma coisa maior, que é a saúde, e tenho que cuidar. Quando voltar a treinar, vou me dedicar ainda mais, porque a Copa do Mundo é um sonho. Esperei quatro anos e já está perto”, declarou.

Neymar sofreu uma fissura no quinto metatarso do pé direito no último dia 25 de fevereiro, durante a vitória do Paris Saint-Germain sobre o Olympique de Marselha, pela 27ª rodada do Campeonato Francês. O atleta vem fazendo tratamento intenso no Brasil e espera estar liberado para retomar as atividades por volta do dia 17 de maio.

O técnico Tite divulga a lista final de convocados para o Mundial da Rússia no próximo dia 14 de maio. Nos dois últimos amistosos do Brasil antes do torneio, os adversários serão Croácia (3 de junho) e Áustria (10 de junho). A estreia na Copa está marcada para 17 de junho, contra a Suíça, em Rostov.



Gianni Infantino quer fazer mudanças drásticas nos torneios organizados pela Fifa (Foto: EITAN ABRAMOVICH / AFP)

Desde que assumiu a presidência da Fifa, Gianni Infantino parece estar focado em trazer várias mudanças importantes para os torneios organizados pela entidade. No entanto, todas estas alterações nos modelos de disputa previstos para a Copa do Mundo de 2022 e do Mundial de Clubes a partir de 2021 parecem não ter agradado a Associação de Ligas Europeias de Futebol Profissional (EPFL).

Segundo o presidente da estidade, Lars-Christer Olsson, que representa os clube europeus, o calendário das grandes ligas europeias não está aberto para transformações tão drásticas na temporada. “Nós não estamos preparados para nenhuma mudança no calendário para expansão da Copa do Mundo de 2022”, confirmou o mandatário.

Vale lembrar que a Fifa já confirmou que a Copa do Mundo de 2026 contará com 48 seleções, o que representa um acréscimo de 16 países em relação ao torneio atual. No entanto, o que está previsto para mudar daqui oito anos pode ser antecipado já para a próxima edição, após um pedido feito pela Conmebol. Segundo Infantino, a Fifa irá analisar e caso considerar possível a mudança já no Qatar, confirmará mais países no torneio.

Porém está mudança não faz partes dos planos da EPFL. Isso porque caso seja confirmada a ampliação dos participantes, representaria um torneio de maior duração, consequentemente menos tempo para a temporada europeia, que precisaria ser encurtada.

Outro torneio que está na mira da Fifa para receber alterações é o Mundial de Clubes. A entidade máxima do futebol pretende reformulá-lo para que seja disputado a cada quatro anos, com 24 clubes de todo o planeta, substituindo a sua versão atual e a Copa das Confederações.

“Também temos muitas ressalvas em relação a essa conversa sobre expandir o Mundial de Clubes”, declarou Lars-Christer Olsson. “A Fifa parece estar em busca de expansão. Mas é hora das pessoas pensarem nos atletas. Eles precisam de tempo para descansar. Não pode ser apenas o dinheiro decidindo como o futebol deveria ser organizado”, completou.



O Brasil é o grande protagonista quando se trata do consumo e coleção do álbum de figurinhas da Copa do Mundo. Dentre as 92 nações em que o objeto é comercializado, o país é o que mais vende a peça: a quantidade é maior que o dobro da segunda colocada, a Alemanha.

São produzidos cerca de oito milhões de envelopes por dia. Considerando que cada “pacotinho” contém cinco figurinhas, são 40 milhões de cromos fabricados por dia. E o ritmo de produção deve persistir até as datas próximas do Mundial na Rússia.

O presidente da Panini Brasil, fabricante do álbum, José Eduardo Martins, destacou o papel que a atividade tem na antecipação e preparação dos fãs de futebol antes da Copa do Mundo. “É inspirador saber que esse entusiasmo emociona fãs de futebol e colecionadores do Brasil inteiro. Sabemos que as pessoas aguardam ansiosamente o lançamento do álbum oficial, que já virou tradição em todos os anos de Copa do Mundo. O maior evento de futebol do planeta começa quando lançamos o álbum. Ele já faz parte da tradição do nosso país”, afirmou.

Antônio Sérgio, o Serginho, de 63 anos, mostra que a cultura de colecionar álbuns de figurinhas inclui, mas vai muito além da Copa do Mundo. Em contato exclusivo com a Gazeta Esportiva, o colecionador cita sua paixão por fotografia, futebol e os álbuns para justificar seu imenso acervo histórico.

“Gosto de colecionar. Meu foco principal é futebol, mas tenho de tudo aqui. Tenho álbum da Sandy & Junior, Zezé di Camargo & Luciano. Gosto muito do apanhado da história. Tenho até do Backstreet Boys (risos), um do Harry Potter”, explicou.

Com relação aos mundiais de futebol, a relação de Serginho com tal cultura recomeçou de 1990, depois que um roubo o fez perder parte de sua coleção. A partir do evento na Itália, a paixão do colecionador voltou a estar presente, a tal ponto que agora é difícil medir a real quantidade de álbuns em sua residência. Igualmente, o valor simbólico de todos eles não pode ser estimado.

“Da Copa, comecei a partir da (edição) de 1990. Tenho todos os álbuns, que saíram aqui no Brasil, completos: da Copa do Mundo, do Campeonato Brasileiro, da Liga dos Campeões, tudo lançado de futebol eu tenho aqui completo”, afirmou.

“É meio difícil de coordenar tudo, mas acredito que tenho perto de 800 (álbuns) completos e mais uns 200 sem completar”, constatou o colecionador.

Não sei quanto eles valem (risos). Única coisa que eu sei é que, se você me desse 50 mil reais em toda a coleção, eu não vendia

Serginho também lembrou as maiores loucuras que cometeu em sua vida de colecionador: chegou a pagar caro em um raro álbum de Pelé e esperar 11 anos para completar uma coleção do Brasileirão.

Já paguei dois mil reais em um álbum do Pelé

“Ele tem dois álbuns antigos, um você acha mais barato, mas sem estar completo e em mau estado. Tenho outro dele, de capa dura, na faixa de quatro mil, quatro mil e quinhentos reais. Tenho ‘completinho’ aqui”, disse.

“No Campeonato Brasileiro de 2001, lançaram uma série de figurinhas holográficas, e ficaram faltando umas quatro ou cinco. Na época, a gente pedia para a Panini e conseguia, só que essas esgotaram até mesmo na editora. Só fui arrumar as últimas 11 anos depois, em 2012, e ainda paguei 100 reais por cada uma”, completou.

Por fim, o colecionador de 63 anos não conseguiu relembrar os jogadores históricos que realizavam a mesma prática, mas citou um caso curioso envolvendo um atleta de outra modalidade.

“Trabalhei com muitos ex-jogadores. De figurinhas, não lembro de nenhum colecionar”, finalizou.

Mas na época da Copa do Mundo de 2002, se não me engano, o judoca Henrique Guimarães, do Centro Olímpico, trocou figurinhas de futebol comigo

A cultura de se colecionar o álbum de figurinhas da Copa do Mundo vai dos mais jovens até os mais velhos, no Brasil e no exterior. Além do objeto em si, o que une todo o público é, também, a paixão pelas curiosidades dos jogadores que os cromos carregam. Por isso, confira aqui uma galeria contendo algumas informações curiosas sobre os atletas do Mundial de 2018, na Rússia:

(Crédito da foto destacada: Reprodução/Twitter oficial/Panini America)