COPA DO MUNDO 2018 RÚSSIA

A defesa iraniana mostrou-se à altura do desafio de encarar o poderoso ataque espanhol na tarde desta quarta-feira, na Arena de Kazan, na Rússia. Muito bem postada à frente da sua área, a equipe asiática segurou os badalados europeus até Diego Costa, em rebatida da defesa. Ainda houve um gol bem anulado e uma chance clara perdida pelos persas, que viram o placar terminar em 1 a 0 para a Fúria.

Com o resultado, Iniesta, Sérgio Ramos e companhia chegam a quatro pontos conquistados e dividem a liderança do Grupo B com Portugal, que derrotou Marrocos no primeiro jogo do dia. A diferença, atualmente, está nos cartões amarelos levados pelos portugueses (2 a 1), que dão a liderança para os espanhóis. Com três pontos, os iranianos têm chances reais de classificação às oitavas de final.

Na próxima rodada, a última da chave, os comandados de Carlos Queiroz encaram a equipe de Portugal, na Arena Mordóvia, em Saransk, às 15h (de Brasília) da segunda-feira. No mesmo horário, os espanhóis terão pela frente o já eliminado Marrocos, em Kaliningrado.

Espanha trabalha, Irã marca

O primeiro tempo da partida em Kazan mostrou uma Espanha disposta a apostar no seu toque de bola para movimentar a defesa iraniana e conseguir criar chances de gol. Munida do qualificado toque de bola de Iniesta, Isco e David Silva, a Fúria bem que tentou, trocou mais de 300 passes na etapa inicial, mas mal conseguiu que o goleiro Beiranvand realizasse uma defesa em suas tentativas.

Mais participativo, Isco deu trabalho com suas trocas de passes pela esquerda, mas a maioria dos lances foi travada na hora do cruzamento/chute. Em uma das poucas que passou pelo bloqueio iraniano, Beiravand mostrou frieza para agarrar uma falta cobrada por David Silva que desviou na barreira. Pouco antes, Ramin saiu livre pela direita em erro da linha de impedimento espanhola, mas demorou a acreditar e errou o cruzamento.

Com o placar inalterado, os espanhóis começaram a ficar irritados e reclamaram bastante dos diversos atendimentos médicos aos atletas asiáticos. No do goleiro Beiranvand, que reclamou de um toque de Diego Costa quando estava com a bola, os europeus nem sequer devolveram a bola aos iranianos. Nem isso, porém, foi o bastante para que o time conseguisse chegar perto de abrir o placar.

Diego Costa faz gol sem intenção

Logo na volta para o segundo tempo, os espanhóis mostraram em seis minutos que poderiam ameaçar mais a meta adversária mesmo com a defesa bem postada. O primeiro foi Piqué, que desviou com o pé cobrança de escanteio e parou na zaga. Na sobra, Busquets chutou de fora da área, o goleiro espalmou e afastou o perigo no rebote. A resposta veio com Karim, que pegou rebatida da defesa e chutou forte, na rede pelo lado de fora.

O ímpeto espanhol, no entanto, acabou recompensado. Em uma rara ocasião na qual a defesa iraniana ficou no mano a mano, Diego Costa limpou o zagueiro e Ramin, ao tentar fazer a cobertura, chutou no próprio atacante, vendo a bola entrar no canto esquerdo baixo do gol. O empate quase voltou ao placar aos 17 minutos, quando Ezatolahi aproveitou sobra na área e fuzilou. O iraniano, que comemorou muito, porém, estava impedido após desvio no meio da área.

O jogo seguiu bastante disputado, com o Irã se lançando à frente e deixando mais espaço na sua defesa. Em lance lindo pelo lado esquerdo, Amiri deu um “rolinho” em Piqué e cruzou na medida para o cabeceio de Mehdi, mas o meia mandou por cima do gol a chance de empate asiático.

FICHA TÉCNICA
IRÃ 0 x 1 ESPANHA

Local: Arena Kazan, em Kazan (Rússia)
Data: 20 de junho de 2018, quarta-feira
Horário: 15h00 (horário de Brasília)
Árbitro: Andrés Cunha (Uruguai)
Assistentes: Nicolás Taran (Uruguai) e Mauricio Espinosa (Uruguai)
Cartões amarelos: Amiri e Omid (Irã)
Gols:
ESPANHA: Diego Costa, aos dez minutos do segundo tempo

IRÃ: Beiranvand; Ramin, Pouraliganji, Hosseini e Safi (Mohammadi); Omid, Karim (Jahanbakhsh), Mehdi e Amiri (Ghoddos); Sardar
Técnico: Carlos Queiroz

ESPANHA: De Gea; Carvajal, Piqué, Sergio Ramos e Alba; Busquets, Vásquez (Asensio), David Silva, Isco e Iniesta (Koke); Diego Costa (Rodrigo)
Técnico: Fernando Hierro



Com um gol diante da Arábia Saudita, marcado na tarde desta quarta-feira, o Uruguai garantiu a classificação antecipada às oitavas de final da Copa do Mundo da Rússia. Autor do único tento da partida disputada em Rostov, Luis Suarez celebrou a vaga na próxima fase.

“O que queríamos era ganhar, era importantíssimo para assegurar a classificação”, disse o atacante após o triunfo pelo placar mínimo. “Foi uma demonstração da dificuldade que é ganhar uma partida em uma Copa do Mundo. Em campo, vence quem marca os gols”, declarou.

Em sua 100º partida com a camisa celeste, Suarez marcou pela 52ª vez. Único atleta da história do Uruguai a balançar as redes em três edições da Copa do Mundo, ele acumula seis gols no torneio, assim como Diego Forlan, ficando atrás apenas de Oscar Miguez, que anotou oito.

“Não estamos jogando da forma que gostaríamos, mas o que vale é o resultado e ficamos mais do que orgulhosos, porque o Uruguai está pelo terceiro Mundial consecutivo classificado às oitavas”, afirmou o atleta, que se disse “privilegiado” por alcançar os três dígitos com a seleção.

Com os mesmos seis pontos em duas rodadas, Rússia e Uruguai lideram o Grupo A da Copa do Mundo – a seleção da casa leva vantagem no saldo de gols (7 a 2) e depende de um empate para terminar na ponta. As duas equipes duelam às 11 horas (de Brasília) de segunda-feira, em Samara.

“O equilíbrio é traço distintivo de todas as partidas”, disse o técnico Oscar Tabarez. “É claro que queremos controlar todos os jogos, criar chances de gols, aspectos positivos. Mas terminamos sem lesões e amarelos. Tudo o que virá depende de nós e sabemos que o adversário que tenhamos será difícil”, declarou.









O Uruguai garantiu presença nas oitavas de final da Copa do Mundo da Rússia na tarde desta quarta-feira. Decisivo, o atacante Luis Suarez marcou o gol da vitória sobre a Arábia Saudita em Rostov e assegurou a classificação antecipada da seleção sul-americana.

O único gol da partida saiu aos 22 minutos do primeiro tempo. Após escanteio cobrado do lado esquerdo por Carlos Sanchez, Alowais saiu e não achou nada. Bem posicionado, Suarez se desvencilhou da marcação e apenas completou para o gol vazio.

Em sua 100ª partida com a camisa celeste, Suarez marcou pela 52ª vez. Em Copas do Mundo, ele chega aos seis gols e, empatado com Diego Forlan, fica atrás apenas de Oscar Miguez, que fez oito. O atacante do Barcelona é o único uruguaio que balançou as redes em três edições do torneio, já que anotou três em 2010 e dois em 2014.

Com os mesmos seis pontos em duas rodadas, Rússia e Uruguai lideram o Grupo A da Copa do Mundo – a seleção da casa leva vantagem no saldo de gols (7 a 2) e depende de um empate para terminar na ponta. As duas equipes duelam às 11 horas (de Brasília) de segunda-feira, em Samara.



Luis Suárez chega a 52 gols com a camisa da Celeste na vitória diante da Arábia Saudita (Foto: Pascal Guyot/AFP)

Em sua estreia na Copa do Mundo, a Arábia Saudita levou logo cinco gols da anfitriã Rússia. Pela segunda rodada do Grupo A, o adversário da vez foi o Uruguai e, mesmo tendo perdido por 1 a 0, com gol de Suárez, que completou 100 jogos com a camisa celeste, fez uma partida um pouco mais equilibrada. Equilíbrio à parte, os árabes deixam a competição após duas derrotas.

Os números mostram superioridade dos uruguaios em alguns quesitos, por exemplo, nos chutes a gol. Foram 13 tentativas, contra oito dos árabes (quatro a três em relação a lances diretos no alvo). No entanto, o restante das estatísticas mostram maior posse de bola dos árabes (53% contra 47%) e quase a mesma exatidão nos passes (84% a 86%).

A partida também foi equilibrada numericamente na parte defensiva. Foram 13 faltas cometidas pela Arábia Saudita contra dez da celeste, nenhum cartão amarelo e muito menos vermelho. Alguns lances, como a cobrança de falta de Suárez ou a oportunidade de Sánchez de peixinho, mostram um Uruguai mais ofensivo e com maior qualidade.

Com o resultado, o Uruguai se classificou para as oitavas de final da Copa do Mundo, com a Rússia em primeiro lugar, por conta do saldo de gols. Os árabes, por outro lado, se despedem do Mundial após duas derrotas.



Com uma rodada de antecedência, os classificados do Grupo A da Copa do Mundo foram definidos na tarde desta quarta-feira, em Rostov. O gol marcado pelo atacante Luis Suarez contra a Arábia Saudita, além de garantir o Uruguai nas oitavas de final, assegura a Rússia na próxima fase.

Com os mesmos seis pontos em duas rodadas, Rússia e Uruguai lideram a chave – a seleção da casa leva vantagem no saldo de gols (7 a 2) e depende de um empate para terminar na ponta. Egito e Arábia Saudita, ainda zerados, já estão eliminados da Copa do Mundo.

Pela última rodada da fase classificatória, às 11 horas (de Brasília) de segunda-feira, Uruguai e Rússia disputam a liderança isolada da chave, em Samara. Ao mesmo tempo, em Volgogrado, Arábia Saudita e Egito entram em campo apenas para cumprir tabela.

O Jogo – O primeiro tempo da partida disputada em Rostov foi de poucas oportunidades. O Uruguai dominou as ações desde o início e, com o goleiro Fernando Muslera sem correr grandes riscos, conseguiu inaugurar o marcador em jogada de bola parada.

O Uruguai saiu na frente aos 22 minutos do primeiro tempo, após escanteio cobrado por Carlos Sanchez pela esquerda. Uma das novidades no time titular saudita, o goleiro Mohammed Alowais saiu e não achou nada. Luiz Suarez, oportunista, se desvencilhou da marcação e completou para marcar pela 52ª vez em sua 100ª partida com a seleção.

O único ataque consistente da Arábia Saudita durante o primeiro tempo começou pela esquerdo. Alshahrani recebeu na linha de fundo e conseguiu cruzar dentro da área. Hatan completou do lado oposto, mas a bola saiu por cima da meta defendida por Muslera.

O Uruguai manteve o domínio na etapa complementar e quase aumentou de cabeça. Após rápida cobrança de falta, Cavani arrancou pela esquerda e, sem ser incomodado, esperou pela chegada de Carlos Sanchez, que recebeu cruzamento na segunda trave e mandou por cima.

Em uma nova investida uruguaia, Torreira, colocado no lugar de Vecino durante o segundo tempo, bateu da entrada da área. Cavani desviou e a bola saiu perto da trave direita do goleiro Alowais – após interceptar o forte chute disparado pelo companheiro, o astro do Paris Saint-Germain levantou sorridente.

Em vantagem no marcador e com a a vaga nas oitavas de final assegurada, o time comandado pelo experiente técnico Oscar Tabarez controlou a partida. Sem sobressaltos, o goleiro Fernando Muslera acompanhou a classificação de sua equipe à próxima fase da Copa do Mundo.

FICHA TÉCNICA
URUGUAI 1 x 0 ARÁBIA SAUDITA

Local: Arena Rostov, em Rostov (Rússia)
Data: 20 de junho de 2018 (Quarta-feira)
Horário: 12h(de Brasília)
Árbitro: Clemente Turpin (França)
Assistentes: Nicolas Danos (França) e Cyril Gringore (França)
Público: 42,678 pessoas
Gol:
URUGUAI: Suarez, aos 22 minutos do 1º Tempo

URUGUAI: Muslera; Varela, Godín, Giménez e Cáceres; Bentancur, Vecino (Torreira), Sanchez (Nandez) e Rodriguez (Laxalt); Suárez e Cavani
Técnico: Óscar Tabárez

ARÁBIA SAUDITA: Alowais; Alburayk, Osama, Ali e Yasser; Hatan (Kanno), Salman, Otayf, Taiseer (Hussain) e Salem; Fahad (Alsahlawi)
Técnico: Juan Antonio Pizzi



Thomas Muller é um dos nove remanescentes do tetracampeonato da Alemanha no Brasil (Foto: Odd ANDERSEN/AFP)

Thomas Muller, um dos principais jogadores da atual seleção alemã, foi bastante sincero na coletiva de imprensa desta quarta-feira. O atacante garantiu que todo o elenco está ciente da importância do confronto com a Suécia, marcado para o próximo sábado, e não procurou minimizar a situação passada a derrota surpreendente para o México na estreia.

“A pressão é enorme. Claro que fazemos autocrítica, mas é preciso olhar adiante. Nos restam dois jogos e a pressão é enorme. Sei que os alemães estão cabisbaixos por causa da derrota dos atuais campeões na partida de abertura, nossos amistosos também não empolgaram. Demos razão para as críticas, aceito isso tanto por parte do próprio time, quanto de pessoas de fora”, afirmou Muller.

Na primeira rodada do Grupo F, a Suécia venceu a Coreia do Sul por 1 a 0 e atualmente divide a liderança com o México. Caso o time nórdico vença a Alemanha no sábado, os atuais campeões mundiais poderão até ser eliminados dependendo do resultado do confronto entre mexicanos e coreanos.

“Nós temos duas grandes missões, temos que vencer em ambas. A chapa esquentou, mas definitivamente não iremos vencer se começarmos a nos odiarmos. O time e a comissão técnica não querem nada além de sucesso. Eu realmente desejo que os torcedores não percam as esperanças em nós. Você pode questionar, mas gostaria de pedir que fique conosco”, completou o atacante do Bayern de Munique, apelando para a torcida.

Alemanha e Suécia se enfrentam no próximo sábado, às 15h (de Brasília), no Estádio Olímpico de Fisht, em Sochi.



Depois das duas primeiras rodadas disputadas na Copa do Mundo, quatro é o número da sorte de Portugal, pois representa a quantidade pontos e de gols marcados pela seleção comandada por Fernando Santos. Ao mesmo tempo, grande parte desse desempenho se deve a um jogador em especial, nada mais, nada menos que o melhor jogador da atualidade: Cristiano Ronaldo.

Capitão da delegação lusa na Rússia, o camisa sete é responsável por todos os tentos da seleção e, entre os destaques individuais da competição, foi o que mais brilhou até então, principalmente se levada em conta as atuações de seus concorrentes ao prêmio de melhor jogador do mundo em suas respectivas estreias. Na entrevista coletiva desta quarta-feira, o craque valorizou seu momento.

“Estou muito feliz. O mais importante era ganhar o jogo, fazer três pontos. Sabíamos que Marrocos estava jogando tudo nessa partida, porque se perdessem estariam fora. Mesmo assim, surpreendeu, porque tiveram do primeiro ao último minuto uma intensidade muito alta”, disse. “Nossa defesa teve uma atuação muito boa e consegui marcar um gol para ajudar na conquista dos três pontos, foi um momento bonito para mim”, completou Cristiano Ronaldo.

A nova atuação decisiva e com gol de CR7 diante de Marrocos renderam elogios de companheiros e adversários. Fernando Santos comparou seu comandado com “vinho”, enquanto o zagueiro Benatia valorizou a naturalidade com que ele faz tudo parecer simples.

“Cristiano é como um vinho do Porto. Ele sabe o quão refinado é sua capacidade, seu talento, e a idade faz isso parecer cada vez melhor. Ele está em contante evolução, o contrário do natural e dos demais jogadores, porque cada vez mais sabe o que pode fazer”, ressaltou o treinador português.

“É difícil falar do Ronaldo. Ele é um grande jogador, um finalizador nato, um cara que atrai atenção dos adversários e um jogador que faz diferença para sua equipe”, comentou o zagueiro Benatia.

Arte: AFP