COPA DO MUNDO 2018 RÚSSIA

A Sérvia é reconhecida pela Fifa como a sucessora da seleção extinta Iugoslávia, que se desintegrou em 1992 e era formada poela  Bósnia, Croácia, Eslovênia, Macedônia, Montenegro e Kosovo, além da própria Sérvia. Ao contrário da equipe de Matic e companhia, a seleção iugoslava coleciona boas campanhas em Mundiais e competições europeias.

Logo na primeira edição da Copa do Mundo, no Uruguai, a Iugoslávia chegou à semifinal do torneio, eliminando Brasil e Bolívia pelo grupo 2 antes de ser derrotada pelos anfitriões, que seriam os primeiros campeões do mundo.

As três participações seguintes não foram do mesmo nível. Em 1950, no Brasil, a Iugoslávia sofreu a revanche para o time verde e amarelo e foi eliminada na primeira fase, no Grupo 1, juntamente com Suíça e México. Já em 1954, na Suíça, e em 1958, na Suécia, a Iugoslávia chegou às quartas de final. A Copa de 1958 foi a primeira em que a seleção iugoslava não enfrentou o Brasil.

Em 1962, a Iugoslávia esteve novamente a um passo da final, mas foi eliminada na semi mais uma vez. Depois de se classificar em segundo lugar no Grupo 1, à frente de Uruguai e Colômbia e atrás da União Soviética, a equipe venceu a Alemanha Ocidental nas quartas de final antes de perder para a Tchecoslováquia na semi. Na disputa pelo terceiro lugar, perdeu para a seleção da casa, o Chile.

A Iugoslávia voltou à Copa do Mundo em 1974, na Alemanha Ocidental, quando foi eliminada na segunda fase. Em 1982, na Espanha, foi ainda pior, sendo eliminada na primeira fase.

Em sua última Copa do Mundo, em 1990 na Itália, a Iugoslávia chegou às quartas de final, quando foi eliminada pela Argentina nos pênaltis. Antes disso, passou pela Espanha nas oitavas de final e ficou em segundo lugar no grupo D, que tinha Alemanha Ocidental, Colômbia e Emirados Árabes Unidos, única seleção eliminada no grupo.

Momento de apresentação da Sérvia no sorteio desta sexta-feira (Foto: Mladen Antonov/ AFP)

Iugoslávia e Brasil em Copas

Nas três primeiras participações da Iugoslávia em Copas houve apenas um confronto com o Brasil. Ao todo, as seleções brasileira e iugoslava se enfrentaram pela Copa do Mundo em quatro ocasiões, sendo uma vitória para cada seleção e dois empates.

O primeiro confronto foi na primeira Copa de 1930, em Montevidéu no Uruguai. A Iugoslávia derrotou o Brasil por 2 a 1 na primeira rodada da fase de grupos, na qual a seleção brasileira foi eliminada e os iugoslavos avançaram.

Depois de não participarem das Copas de 1934 e 1938, a Iugoslávia retornou em 1950. No entanto, ficou novamente no mesmo grupo do anfitrião Brasil, que dessa vez venceu por 2 a 0 na última rodada e se classificou, eliminando os iugoslavos no Maracanã.

Em 1954, as seleções voltaram a se encontrar na fase de grupos da Copa do Mundo, na Suíça. O desfecho foi favorável para ambos os times, que empataram na última rodada por 1 a 1 e avançaram às quartas de final, na qual seriam eliminados.

O último embate foi em 1974, na Alemanha Ocidental, também pela fase de grupos. Logo na primeira rodada, Brasil e Iugoslávia empataram por 0 a 0. Ambos venceram os outros dois jogos e se classificaram à próxima fase.

Últimas participações em Copas

Na Mundial disputado na Alemanha, a Sérvia e Montenegro (na época) caiu no chamado Grupo da Morte, com: Argentina, Costa do Marfim e Holanda. A partida diante dos argentinos ficou marcada por uma goleada histórica de 6 a 0. Contra os holandeses e marfinenses derrotas: 1 a 0 e 3 a 2, respectivamente.

Depois da Copa do Mundo, Servia e Montenegro, passou apenas a se chamar Sérvia. A classificação para a Copa do Mundo veio com um histórico primeiro lugar no Grupo das Eliminatórias, fazendo 22 pontos, e deixando a França em segundo lugar, para jogar a repescagem em 2009.

O grupo da Sérvia na Copa do Mundo de 2010 era formada por: Alemanha, Gana e Austrália. Depois de perder na estreia para a seleção ganense, veio a surpreendente vitória contra a Alemanha por 1 a 0, gol de Jovanovic. Mas, a derrota por 2 a 1 contra a Austrália selou qualquer chance de classificação da equipe.

No Mundial da Rússia, a Sérvia está no mesmo grupo que: Brasil, Suíça e Costa Rica. Como Sérvia, fez apenas um jogo contra o Brasil. Derrota por 1 a 0 em 2014, gol de Fred. Em Copas do Mundo, foram quatro partidas, com uma vitória para cada lado e dois empates. Na época, a Sérvia era a antiga Iugoslávia.

O grande destaque individual da equipe treinada por Mladen Krstajic, é o meia Matic, do Manchester United. O jogador já teve ótimas passagens por Benfica e Chelsea, neste último, se sagrou campeão da Premier League em 2015.

Matic em ação pelo Manchester United (Foto: Glyn Kirk/AFP)


 



Lichtsteiner é o capitão dos suíços (Foto: Fabrice Coffrini/AFP)

Na Rússia, a seleção suíça irá disputar a sua décima Copa do Mundo, a quarta consecutiva. Como melhor campanha, os suíços chegaram às quartas-de-final da Copa do Mundo de 1954, em que foi anfitriã.

O maior artilheiro da história da seleção é Alexander Frei, que balançou as redes 42 vezes em 86 jogos, entre 2001 e 2011, quando decidiu se aposentar da seleção.

Histórico recente

Em 2006, na Alemanha, quando começou a disputar voltou ao Mundial, depois de 22 anos, a Suíça caiu no grupo da vice-campeã França, e, curiosamente, os suíços surpreenderam os franceses, levando o primeiro lugar do Grupo G, com direto a um empate sem gols contra o time de Zidane.

Mas, nas oitavas-de-final, veio a eliminação para a Ucrânia. A partida terminou sem gols, no tempo normal, e nos pênaltis, 3 a 0 para os ucranianos. Naquela Copa do Mundo, os suíços saíram sem sofrer nenhum gol, é a única equipe da história das Copas a não sofrer gols durante o tempo regulamentar das suas partidas durante uma primeira fase de Mundial.

Já no ano de 2010 na África do Sul, a campanha não foi boa. A Suíça caiu no mesmo grupo que a campeã Espanha e o Chile, na época treinado por Marcelo Bielsa. Na primeira partida, vitória surpreendente contra a Espanha. Porém, a derrota para os chilenos pelo placar de 1 a 0, e o empate frustrante sem gols contra Honduras, deixaram os suíços fora da próxima fase.

No Brasil em 2014, fez uma campanha convincente. Caindo novamente no mesmo grupo que a França, a estreia foi uma vitória suada contra o Equador em Brasília or 2 a 1, que deu ânimo para o time. Mas, no segundo jogo, foram atropelados pelos franceses, com impiedosos 5 a 2 na Fonte Nova.

A ‘decisão’ foi contra Honduras, vitória por 3 a 0 e classificação para as oitavas-de-final. A partida eliminatória foi contra a Argentina, de Lionel Messi. Os suíços resistiram bem, mas com gol de Di Maria na prorrogação foram eliminados.

Copa do Mundo 2018

Para a Copa do Mundo do ano que vem, a Suíça está no Grupo E, na companhia de: Brasil, Costa Rica e Sérvia. Os suíços tentarão avançar pelo menos até a próxima fase. Para isso, contam com jogadores conhecidos no cenário mundial, como Shaqiri, hoje no Stoke City, mas com passagem pelo Bayern de Munique, o jogador é a grande referência técnica do time.

Lichtsteiner, lateral da Juventus e Xhaka, meia do Arsenal são outros nomes conhecidos que compõe a seleção da Suíça.

O atacante Severovic, do Benfica, é a esperança de gols dos suíços, que estreiam contra o Brasil, no dia 17 de junho, em Rostov. Contra a seleção canarinho, a Suíça já jogou oito vezes. São três vitórias brasileiras, duas suíças, além de três empates. O último confronto foi em 2013, na Basiléia com vitória da Suíça por 1 a 0, com gol contra de Daniel Alves. Mas, em Mundiais só se enfrentaram em uma oportunidade: empate por 2 a 2 na Copa de 1950, em jogo disputado em São Paulo. Os outros confrontos foram todos amistosos.




Nesta sexta-feira aconteceu o sorteio dos grupos da Copa do Mundo de 2018, na Rússia. Em evento realizado no país sede, Espanha e Portugal, duas fortes seleções europeias, caíram no Grupo B, e se enfrentam logo na primeira fase da competição.

Técnico da Roja, Julen Lopetegui se mostrou preocupado com o chaveamento. “É um grupo complicado e duro, como não podia deixar de ser em uma Copa do Mundo. Portugal é uma equipe muito grande, que ganhou título há pouco tempo”, avaliou o treinador espanhol.

Espanha esteve no pote 2 do sorteio (Foto: Mladen ANTONOV/AFP)

Além de Espanha e Portugal, Irã e Marrocos também brigam por vaga nas oitavas de final da Copa. “Marrocos se classificou ao eliminar a Costa do Marfim, e é uma equipe consolidada. O Irã não sofreu um gol nas Eliminatórias e vão nos exigir muito”, salientou Lopetegui.

Por conta do ranking da Fifa, Portugal, que vem de conquista inédita da Eurocopa 2016, é a cabeça de chave do Grupo B. A estreia da Espanha, justamente, acontece contra Portugal. O duelo está programado para o dia 15 de junho, às 15h (de Brasília).



O sorteio da fase de grupos da Copa do Mundo de 2018, que ocorre na Rússia, aconteceu na tarde desta sexta-feira, na sede do evento. O Grupo B se mostrou um dos mais complicados da competição, colocando frente a frente Portugal, cabeça de chave, e Espanha.

Técnico dos gajos, Fernando Santos afirmou que os rivais espanhóis, campeões do Mundo em 2010, são os favoritos do grupo.

“A Espanha é naturalmente favorita, como sempre disse. Não é a primeira vez que falo isso, nem porque vou enfrentá-los. É uma das favoritas a conquistar o título. Para nós resta vencer todos os jogos”, afirmou o treinador ao site oficial da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

Portugal está no Grupo B da Copa do Mundo (Foto: Mladen ANTONOV/AFP)

Além de Portugal e Espanha, o Grupo B da competição ainda conta com Marrocos e Irã, seleções que ocupam piores posições no ranking da Fifa.

“Portugal tem de assumir sua parte de responsabilidade e de favoritismo quando se olha para nosso grupo, mas quando vemos com outros olhos percebemos que será um grupo muito difícil. Desde o primeiro jogo (Portugal x Espanha), é importante marcar pontos. As outras duas equipes terminaram invictas em seus grupos nas respectivas eliminatórias”, acrescentou Fernando Santos.

A seleção de Cristiano Ronaldo e companhia vem embalada por uma conquista inédita. No último ano, CR7, sob o comando de Santos, levou Portugal ao título da Eurocopa pela primeira vez na história do país.



O sorteio que definiu os grupos da Copa do Mundo na Rússia, em 2018, contou com a presença ilustre do “Rei do Futebol”. Presente na primeira fileira do evento, Pelé foi exaltado por todos os craques e personalidades presentes no Palácio do Kremlin e alvo de menções honrosas por parte do Presidente da Fifa, Gianni Infantino.

Leia mais: Adversários admitem favoritismo do Brasil e briga pelo segundo lugar

Tricampeão com a Seleção Brasileira, o Rei foi ao sorteio de cadeira de rodas e posou para fotos, brindou com o presidente russo Vladimir Putin recebeu carinhos de Diego Maradona. Assim que o evento foi aberto, Infantino lembrou de Pelé para comentar os grande jogadores que disputaram Copas do Mundo e conquistaram títulos. No caso específico do brasileiro, valorizou as conquistas e elegeu o eterno camisa 10 como um dos maiores jogadores da história do futebol mundial.

Em determinado momento do evento, o presidente da Fifa começou uma salva de palmas e motivou uma grande homenagem para Pelé, que agradeceu a todos acenando com a mão. Além do “Rei do Futebol”, outros campeões mundiais marcaram presença na Rússia, como Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho e Cafú. O capitão do Penta ainda participou do sorteio como assistente, ao lado de craques como Diego Armando Maradona (Argentina), Diego Forlan (Uruguai), Fabio Cannavaro (Itália), Carles Puyol (Espanha), Laurent Blanc (França), Gordon Banks (Inglaterra) e Nikita Simonyan (Rússia)



O ex-atacante Gary Lineker comandou o sorteio dos grupos da Copa do Mundo 2018, realizado na tarde desta sexta-feira. Durante a cerimônia no Kremlin, o antigo integrante da seleção inglesa não perdeu a chance de ironizar o argentino Diego Armando Maradona.

Nas quartas de final da Copa do Mundo do México 1986, com os dois jogadores em campo, a Argentina eliminou a Inglaterra ao ganhar por 2 a 1. Maradona marcou os dois gols da seleção sul-americana, um com a mão e outro antológico, enquanto Lineker descontou para os britânicos.

Nesta sexta-feira, logo após o argentino retirar uma bolinha do pote durante o sorteio dos grupos, Lineker afirmou, em inglês: “Diego sempre foi bom com suas mãos”. Em seguida, o ex-centroavante da seleção inglesa ainda repetiu, em espanhol: “Muito bom com as mãos”.

Coincidentemente, foi justamente Diego Armando Maradona quem retirou a bolinha  da Inglaterra durante o sorteio realizado no Kremlin. Ao ver o papel com o nome do país britânico, o astro argentino torceu o nariz – a Guerra das Malvinas aprofundou a rivalidade entre as duas nações.

Espirituoso, Gary Lineker ainda brincou com o ex-zagueiro Fabio Cannavaro, mais um convidado para participar do sorteio dos grupos. “É ótimo ter um italiano envolvido com a Copa do Mundo”, afirmou o britânico, uma vez que a Itália foi incapaz de se classificar.

 



O favoritismo da Seleção Brasileira após o sorteio não ficou apenas no discurso teórico. Colocada como cabeça de chave do grupo E, a equipe comandada por Tite foi muito exaltada pelos treinadores adversários após o evento. De forma unânime, as declarações deram conta de que a briga entre Suíça, Costa Rica e Sérvia é apenas pelo segundo lugar e os comandantes fizeram questão de ressaltar que a conquista de um ponto nos duelos contra o Brasil será o diferencial para determinar o outro classificado.

Líder absoluta do grupo que deixou País de Gales fora da Copa, a Sérvia teve atuações surpreendentes, mas vai para a Copa do Mundo com um técnico novo. Após as Eliminatórias, Slavoljub Muslin foi demitido e Krstajic foi contratado. Com uma proposta de um futebol intenso e compacto, o novo comandante fez questão de valorizar sua equipe, mas admitiu que a briga será pelo segundo lugar.

“Todos sabemos que o Brasil é um dos principais candidatos não apenas do nosso grupo, mas para vencer a Copa. A realidade dos outros times é brigar pelo segundo lugar e não podemos perder pontos entre nós. Quem vencer dois jogos estará classificado”, disse Krstajic. “Temos um time que joga de forma compacta e peço muita intensidade aos meus atletas. Nosso trabalho tem muito para evoluir e acredito que vamos conseguir algo grande”, completou o treinador sérvio.

Adversário do Brasil na estreia da Copa, dia 17 de junho, em Rostov, Vladimir Petkovic, treinador da Suíça, foi um pouco mais ambicioso em sua análise e acredita que um ponto com o Brasil pode definir a classificação do time suíço para a segunda fase. “O Brasil logo de cara é um choque, mas acredito que possa ser bom para nosso time. O primeiro jogo sempre apresenta aquele peso extra e isso pode, quem sabe, trazer um ponto para a Suíça”, disse o treinador.

Almejando uma vaga entre os 16 melhores times da Copa do Mundo, o comandante suíço não poupou elogios a Seleção Brasileira, que acredita estar bem cotada para a conquista da taça. “Temos de ser realistas. O Brasil é o grande favorito a passar em primeiro do grupo e vencer a Copa. É importante que nós entremos conscientes de quem vamos enfrentar e jogar com a cabeça no lugar”, ressaltou Petkovic.

 

 



O sorteio dos grupos da Copa do Mundo de 2018 aconteceu na tarde desta sexta-feira, na Rússia, local do evento no próximo ano. A cerimônia contou com a presença do técnico Tite e do dirigente Edu Gaspar, que viram a Seleção Brasileira ser sorteada no Grupo E, que conta com Sérvia, Suíça e Costa Rica.

Nenhum dos grupos da primeira fase da Copa possui duas seleções campeãs mundiais. Primeiro campeão da história do torneio, o Uruguai está no Grupo A. Espanha, campeã em 2010, ocupa o Grupo B. Já a França, que possui dois títulos, é a cabeça de chave do Grupo C. A Argentina, que penou para se classificar à Copa, está no D. Com Alemanha, no F, e Inglaterra no G. O único grupo que não possui uma seleção campeã mundial é o H.

A Rússia, anfitriã da Copa de 2018, abre a competição no dia 14 de junho, em jogo no estádio Luzhniki, às 12h (de Brasília). O último jogo da fase de grupos acontece no dia 28 de junho, no duelo entre Senegal e Colômbia, às 11h.

Confira a tabela detalhada dos grupos da Copa do Mundo respeitando o horário de Brasília):





Sentado atrás do alemão Joachim Low, Tite acompanhou atentamente o sorteio dos grupos da Copa do Mundo 2018, realizado na tarde desta sexta-feira, no Kremlin. Os deslocamentos da primeira fase e a possibilidade de encontrar a Alemanha logo nas oitavas de final não preocupam o técnico da Seleção.

Cabeça de chave do Grupo E, o Brasil viajará para Rostov-on-Don, São Petersburgo e Moscou para enfrentar Suíça, Costa Rica e Sérvia, respectivamente. Baseado em Sochi, o time comandado por Tite não atuará na cidade, algo minimizado pelo próprio treinador.

Veja também:
Tabela com datas e horários da Copa do Mundo

“Não teríamos como contornar essa situação. O que procuramos é a melhor logística possível, principalmente para mim, em termos técnicos. Não dava para controlar os locais, mas posso assegurar que as situações são de transportes que, independentemente da distância, são rápidos”, afirmou Tite, atento aos fatores que pode determinar.

“Deixa eu gastar toda minha energia nas variáveis que posso controlar. É o treinamento com qualidade, a logística que permite aos atletas evoluírem, um grau de confiança importante, um fortalecimento e crescimento da equipe. Essas variáveis, posso controlar. As outras, são das circunstâncias de competição”, afirmou.

Atual campeã mundial, a Alemanha compõe o Grupo F com México, Suécia e Coreia do Sul. Se o Brasil avançar em primeiro lugar e a seleção germânica em segundo ou o contrário, as duas equipes duelam logo nas oitavas de final. Questionado sobre os possíveis rivais, Tite preferiu destacar a dificuldade do torneio em geral.

“O nível de exigência é muito alto, ainda mais com o aspecto emocional aflorado. O campeão há três edições (Itália) não está, o terceiro da última Copa (Holanda) não está, o bicampeão da Copa América (Chile) não está”, exemplificou. “É uma responsabilidade grande e também uma alegria muito grande nós buscarmos a excelência”, afirmou.

Tite admitiu desconhecer detalhes sobre a Sérvia e prometeu estudar todos os primeiros rivais. “É importante fazer ajustes às características e formas dos adversários”, disse, com o foco em sua própria equipe. “A essência é o Brasil se consolidar, se fortalecer, encontrar variáveis e estar preparado para os adversários”, reiterou.



Acessível. Esse é o pensamento de um dos maiores ídolos da Seleção Brasileira depois do sorteio que definiu os adversários da fase de grupos da Copa do Mundo. Após o evento, Ronaldo “Fenômeno” se mostrou satisfeito com os jogos da primeira fase, em comparação aos concorrentes diretos na disputa do título. O ex-jogador também se mostrou confiante no primeiro lugar do grupo E.

Veja também:
Tabela com datas e horários da Copa do Mundo

“Acho que os grupos saíram bem equilibrados e podemos ficar contentes pelo grupo que pegamos. Temos totais condições de sair em primeiro desse grupo. Vimos alguns grupos mais complicados, como o grupo da Espanha com Portugal. Mas acho que nosso grupo está bem acessível e que o Tite já está montando seu plano”, disse Ronaldo, em entrevista ao canal SporTV.

O caminho do Brasil rumo aos confrontos eliminatórios já é de ciência de todos. A estreia acontece no dia 17 de junho, em Rostov, diante da Suíça. No dia 22 enfrenta a Costa Rica em São Petersburgo e fecha a fase de grupos enfrentando a Sérvia, em Moscou, no dia 27 de junho.

Apesar de adversários considerados “acessíveis”, o Brasil deve ter uma missão além das quatro linhas. Algo que preocupa a comissão técnica são as viagens e os trajetos que o time terá de percorrer apenas na fase de grupos. A sede da Seleção será em Sochi, mais próxima do local da estreia. Porém, serão longas viagens para os duelos diante de Costa Rica e Sérvia.

O deslocamento não é considerado um problema para o pentacampeão em 2002. Ronaldo acredita que a preparação será o grande diferencial, mais do que os longos trajetos. “Não acho que isso preocupe (viagens). A verdade é que o mais importante nesse caso é a preparação. Tem que ser muito tranquila. A Seleção tem que estar talvez até mesmo afastada para ter o foco somente no treinamento. Deslocamento, todos os jogadores no mundo todo estão acostumados a fazer. Acho que isso não vai ser nenhum problema”, completou o “Fenômeno”.