COPA DO MUNDO 2018 RÚSSIA

Capital da Rússia, Moscou contará com dois estádios que receberão jogos da Copa do Mundo: o Luzhniki, palco da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de 1980, e o Spartak Stadium, que ficou pronto em 2014 e pertence ao Spartak Moscou, um dos principais times do País.

O Luzhniki é o mais importante estádio do Mundial por receber a partida de abertura da Copa e a grande decisão do torneio, além de outros dois jogos da fase de grupos, um das oitavas de final e um da semifinal. Ele tem capacidade para 80 mil pessoas e foi originalmente construído na década de 1950, passando por uma reforma para o Mundial.

Já o Spartak Stadium teve suas obras iniciadas em 2010. Após quatro anos, o estádio ficou pronto e foi entregue ao Spartak Moscou, que até então tinha de enviar seus jogos no estádio do Dynamo Moscou ou então no estádio do Lokomotiv. Até a cidade de Ecaterimbugo chegou a receber partidas do “time do povo”.

O Spartak Stadium tem capacidade para 45 mil pessoas e foi estreado no dia 5 de setembro de 2014, no empate em 1 a 1 entre o Spartak e o Estrela Vermelha, da Sérvia. O estádio também recebeu alguns jogos da Copa das Confederações, no ano passado. Na Copa do Mundo, quatro partidas da fase de grupos e uma das oitavas de final acontecerão por lá. A construção se destaca por se assemelhar ao estádio do Bayern de Munique. À noite, a estrutura é iluminada com as cores do time (branca e vermelha), mas quando a Rússia atua no local, o azul, vermelho e branco tomam conta.

A capital da Rússia consta no roteiro da Seleção Brasileira durante o Mundial. O time comandado pelo técnico Tite irá desembarcar em Moscou para enfrentar a Sérvia, em seu último jogo pelo Grupo E, no dia 27 de junho, no Spartak Stadium.

Moscou é uma das principais, senão a principal, cidade do Leste Europeu. Símbolo de um país que por anos esteve sob a ditadura socialista de Stalin, a cidade conta com construções imponentes do passado, como a Praça Vermelha, o Kremlin, uma espécie de fortaleza que serve de residência ao presidente Vladimir Putin, a Catedral de São Basílio e o Teatro Bolshoi, o ballet mais conceituado do planeta.

Apesar de manter as antigas construções intactas, Moscou também é considerada uma cidade global, moderna e aberta para o futuro. Arranha céus modernos, que servem de sede para grandes empresas, também podem ser vistos pela capital da Rússia, uma das mais populosas do mundo – mais de 10 milhões de habitantes viviam por lá no censo realizado em 2010.



Companheiro de Fred no Shakhtar, Ismaily ganhou a camisa 6 da Seleção Brasileira (imagem: divulgação/CBF)

Caberá ao meio-campista Fred a honra de vestir a histórica camisa 10 da Seleção Brasileira nos amistosos contra Rússia e Alemanha. Com o atacante Neymar em recuperação de fratura no quinto metatarso do pé direito, o jogador do Shakhtar Donetsk herdou o número.

Companheiro de Fred no time ucraniano e principal novidade no plantel brasileiro, o lateral esquerdo Ismaily ganhou a camisa 6, já que o titular Marcelo está habituado a atuar com a 12.

A numeração dos convocados de Tite figurará pela primeira vez nas costas do novo uniforme da Seleção Brasileira, confeccionado para a Copa do Mundo da Rússia. O teste contra o time anfitrião do torneio está marcado para as 13 horas (de Brasília) desta sexta-feira, em Moscou.



A menos de três meses do início do Mundial da Rússia, o volante Paulinho entende que o Brasil está entre os favoritos ao título, a despeito da humilhação sofrida diante da Alemanha em 2014. Já Daniel Alves, com duas Copas no currículo, citou uma profecia animadora do filho.

“É claro que chegamos ao Mundial como um dos favoritos, mas também há outras seleções de nível muito alto, como França, Bélgica e Alemanha. São seleções que a gente sabe das qualidades. Para alcançar nosso objetivo, vamos ter que fazer algo a mais”, disse Paulinho em vídeo publicado nesta quarta, data do lançamento dos novos uniformes do Brasil

A Seleção integra o Grupo E da Copa do Mundo ao lado de Costa Rica, Sérvia e Suíça. Na estreia, marcada para as 15 horas (de Brasília) do dia 17 de junho, enfrenta a Suíça, no Estádio Rostov. Na Rússia, Daniel Alves participará do torneio pela terceira vez, animado por uma previsão do filho.

“Se eu tivesse que fazer um resumo, não seria muito breve, porque tive a felicidade de disputar dois Mundiais e a infelicidade de não conseguir ganhar. Falando com meu filho de 11 anos, ele disse uma coisa bem engraçada: ‘Pai, eu sei que as coisas são difíceis, mas você vai conseguir’”, contou o lateral direito.

Já o zagueiro Marquinhos, 11 anos mais novo que Daniel Alves, se prepara para disputar a Copa do Mundo pela primeira vez na carreira, possivelmente como titular. Sob o comando de Tite, ele usará a experiência adquirida nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro 2016.

“O futebol é imprevisto, você não sabe o que vai acontecer. Nas Olimpíadas, por exemplo, a gente começou com dificuldades, mas depois conseguimos melhorar. Unidos, juntos, depois de muita conversa, conseguimos fazer com que as coisas melhorassem e no final fomos campeões”, afirmou.

Às 13 horas (de Brasília) desta sexta-feira, no Estádio Luzhniki, a Seleção Brasileira encara a Rússia. A tendência é que o time entre em campo com Alisson; Daniel Alves, Marquinhos, Miranda e Marcelo; Casemiro; Willian, Paulinho, Philippe Coutinho e Douglas Costa; Gabriel Jesus.



As obras no estádio de Samara estão atrasadas (Foto: Fifa)

A menos de três meses para a Copa do Mundo da Rússia, a Arena Samara não tem gramado e preocupa a Fifa. Segundo Colin Smith, diretor de competições e eventos da entidade, o estádio, que receberá o duelo entre os anfitriões e o Uruguai, ainda precisa de “uma quantidade enorme de trabalho” para ficar pronto até o início da competição.

“Ao longo do projeto, falamos sobre atrasos em Samara. Esses atrasos ainda são evidentes e agora, embora muito progresso tenha sido feito, há uma enorme quantidade de trabalho a ser feito”, disse Smith.

O diretor de competições da Fifa ainda apoiou as autoridades russas, mas disse que espera a arena em boas condições para obrigar partidas do maior torneio de futebol do mundo.

“Esperamos mais progressos do que isso, mas o que é importante para nós é que o estádio esteja pronto a tempo, então tomamos conta do local e podemos instalar toda a nossa estrutura temporária e equipamentos que precisamos para a Copa do Mundo”, declarou.

Estado das obras em julho do último ano (Foto: Reprodução)

O estádio de Samara, também conhecido como Arena Cosmos, foi construído do zero e é um dos projetos mais ambiciosos da Rússia para o Mundial. A construção começou em junho de 2014, porém, em agosto do último ano sofreu um incêndio, que atrasou as obras. O local terá capacidade para 45 mil pessoas e receberá as quartas de final do torneio.



Philippe Coutinho deve jogar mais centralizado no amistoso contra a Rússia (Foto: Lucas Figueiredo/Divulgação)

A Seleção Brasileira enfrenta a Rússia às 13 horas (de Brasília) desta sexta-feira, no Estádio Luzhniki, em Moscou O meia-atacante Philippe Coutinho, que deve ser titular diante dos donos da casa, sonha voltar ao mesmo palco para brigar pelo hexacampeonato da Copa do Mundo, no dia 15 de julho.

“Esperamos estar de volta na decisão da Copa, mas, para isso, temos que trabalhar bem. Já começamos o trabalho há muito tempo e precisamos manter o alto nível no período final até a Copa para poder jogar a final nesse estádio”, afirmou Philippe Coutinho.

A menos de três meses do início da Copa do Mundo, o time comandado pelo técnico Tite procura aproveitar ao máximo os dias na Rússia. “Essa preparação vem sendo importante. Estamos conhecendo o país-sede e um pouco das instalações”, comentou o atleta do Barcelona.

Em um treinamento fechado à imprensa, a Seleção Brasileira trabalhou na gélida Moscou nesta quarta-feira. A tendência é que Douglas Costa seja escalado no lugar do lesionado Neymar. Tite ainda estuda a possibilidade de tirar Renato Augusto para experimentar Willian ou Fernandinho.

Capaz de jogar tanto pelas beiradas quanto centralizado, Philippe Coutinho preferiu não apontar uma posição preferida e se colocou à disposição do técnico Tite. Aos 25 anos de idade, o ex-jogador do Liverpool comentou o momento que vive no começo de sua trajetória pelo Barcelona.

“Na verdade, ainda estou me adaptando ao futebol espanhol e ao meu novo clube. Cheguei há pouco tempo e tenho que evoluir. Estou aprendendo ainda a forma de jogar e de treinar, porque é um pouco diferente do que eu estava acostumado”, afirmou Coutinho.

 



Novato Ismaily tenta passar pela marcação do experiente Willian em Moscou (Foto: Lucas Figueiredo/Divulgação)

Aos 29 anos, com a autoridade de quem já participou de uma Copa, Willian foi diplomático ao falar sobre a convocação do lateral esquerdo Ismaily nesta quarta-feira. O jogador do Chelsea, com presença praticamente garantida em mais um Mundial, revelou ainda que mudou sua dieta para melhorar a preparação.

Após os cortes de Filipe Luís e Alex Sandro, o técnico Tite resolveu chamar o desconhecido Ismaily, lateral esquerdo do Shakhtar Donetsk. Nos amistosos contra Rússia e Alemanha, o jogador de 28 anos terá sua primeira chance de integrar a Seleção Brasileira.

“Sem dúvida, se está aqui, é porque fez por merecer. O Shakhtar vem jogando muito bem. Fez uma boa campanha na Copa dos Campeões e, infelizmente, foi eliminado. Pelos jogos que vi, é um atleta de qualidade. Estamos aqui para ajudá-lo da melhor maneira possível”, declarou Willian, com passagem pelo time ucraniano.

Enquanto Ismaily tem chances remotas de participar da Copa do Mundo da Rússia, Willian já possui um lugar praticamente assegurado na delegação que será formada pelo técnico Tite. Chamado por Luiz Felipe Scolari em 2014, o atleta aproveitou o aprendizado dos últimos anos.

“Vou dar o máximo para chegar em melhores condições do que na última Copa. Você acaba amadurecendo e tenho feito alguns trabalhos específicos. Mudei a alimentação em casa para chegar bem e poder ajudar a Seleção Brasileira”, declarou Willian.

O amistoso entre Brasil e Rússia está marcado para a 13 horas (de Brasília) desta sexta-feira, no Estádio Luzhniki. Na terça-feira, no primeiro encontro com a Alemanha desde a humilhação na Copa do Mundo 2014, a Seleção volta a campo para pegar a equipe germânica, em Berlim.



Manuel Neuer foi a grande surpresa da apresentação da seleção alemã, que iniciou a preparação para os amistosos contra Espanha e Brasil, nesta sexta e na próxima terça-feira, dias 23 e 27, respectivamente. Sem atuar desde setembro do ano passado, quando fraturou o pé pela segunda vez em menos de cinco meses, o goleiro do Bayern de Munique se vestiu com o uniforme de concentração, fez uma visita aos companheiros e acabou sendo fotografado pela Federação Alemã de Futebol.

 

O capitão da Alemanha fraturou o metatarso do pé esquerdo em abril de 2017, se recuperou, voltou aos gramados e, após quatro jogos, já em setembro, sofreu nova fratura no mesmo local. A expectativa da comissão técnica chefiada por Joachim Low é de que o arqueiro esteja apto a atuar no próximo mês de maio, a tempo de estar em campo nos dois últimos testes antes da Copa do Mundo e de estar entre os 23 nomes da lista final para o torneio.

“Manu (Neuer) e eu estamos otimistas. Não há pressão. É uma decisão entre ele e o médico. Esperamos que ele esteja 100% quando convocarmos a equipe”, disse Oliver Bierhoff, ex-jogador e agora diretor esportivo da seleção.

Neuer joga pela Mannschaft desde outubro de 2016. Com sua ausência, Low tem escolhido Marc Ter Stegen, do Barcelona, para defender a meta alemã, chamando Kevin Trapp, do Paris Saint-Germain, e Bernard Leno, do Bayer Leverkusen, como opções para o banco de reservas.

A Alemanha deve aterrizar na Rússia, país sede da Copa do Mundo, no dia 12 de junho. A estreia no evento futebolístico mais prestigiado do mundo será no dia 17, contra o México, pelo Grupo F, que ainda conta com Suécia e Coreia do Sul. Antes disso, a seleção entra em campo nos dias dois e oito de junho, para amistosos contra Áustria e Arábia Saudita, respectivamente. os últimos antes da convocação final.

 



Tite promoveu treinamento fechado à imprensa no CT do Spartak (Foto: Lucas Figueiredo/Divulgação)

Em um treinamento fechado à imprensa, a Seleção Brasileira trabalhou em Moscou nesta quarta-feira. Logo após a atividade, sem qualquer pista sobre a escalação para o amistoso contra a Rússia, Willian e Philippe Coutinho trataram de valorizar o elenco.

Sem o lesionado Neymar, o técnico Tite deve escalar Douglas Costa pelo lado esquerdo do ataque. O treinador ainda pode tirar Renato Augusto para experimentar Willian ou Fernandinho, opções que devem ter sido trabalhadas durante o treino fechado.

“Todo treinamento é importante, até porque nosso período com a Seleção é curto. Temos que aproveitar para escutar e assimilar o que o técnico fala. Hoje, fizemos mais um treino importante. Sobre o time, deixamos para o professor Tite falar”, sorriu Coutinho.

Sentados lado a lado, Coutinho e Willian foram questionados sobre a ausência de Neymar, vitimado por uma fratura no pé direito pelo Paris Saint-Germain. Ambos adotaram discurso semelhante, no sentido de elogiar o potencial dos atletas do grupo.

“Todos sabemos a importância do Neymar para a Seleção. Mas o mais importante é o coletivo. Com o coletivo forte, o individual aparece naturalmente. Queríamos contar com ele e não será possível. Mas temos grandes jogadores, que podem fazer diferença”, afirmou Willian.

O amistoso contra a Rússia está marcado para as 13 horas (de Brasília) desta sexta-feira, no Estádio Luzhniki, em Moscou. Capaz de atuar pelas beiradas do campo, Philippe Coutinho pode jogar centralizado pelo técnico Tite diante do país-sede da Copa do Mundo.

“Na minha cabeça, (a posição) é indiferente. Eu procuro estar sempre preparado para quando tiver uma oportunidade, seja onde for. É claro que sempre respeitando a posição e o que o jogador deve fazer. Deixo para o técnico definir onde ele precisa e prefere”, afirmou.



Depois de divulgar, por meio da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), os uniformes da Seleção Brasileira para a disputa da Copa do Mundo, a Nike divulgou o fardamento da Croácia para o Mundial da Rússia. O modelo continua com o estilo xadrez, tradição desde 1998. A segunda camisa também segue as últimas tendências, variando nos tons de azul. Desta vez, a opção foi pelo mais escuro.

Ao lado de Argentina, Nigéria e Islândia, a seleção da Croácia compõe o Grupo D da Copa do Mundo. A estreia será no dia 16 de junho, em Kalinigrado, contra os africanos. A primeira partida com o novo uniforme está programada para o amistoso do próximo dia 23, diante do Peru.

“Todo jogador da Croácia tem o orgulho de usar uma das mais belas e icônicas camisas do mundo. Adoro os quadrados vermelhos e brancos superdimensionados porque elas refletem nossas ambições e o grande potencial da equipe. Essa será a minha pela primeira vez como capitão da seleção croata numa Copa do Mundo, e essa camisa será sempre especialmente significativa para mim”, disse um dos principais jogadores do país, Luka Modric.