Galo pressiona, mas Cruzeiro se segura e avança na Copa do Brasil

Do correspondente Marcellus Madureira - Belo Horizonte , MG
17/07/2019 21:28:49 — 17/07/2019 21:37:49

Em: Atlético-MG, Bastidores, Campeonatos, Copa do Brasil, Cruzeiro

Foi praticamente um jogo de ataque contra a defesa. O Cruzeiro entrou em campo amparado pelo placar positivo de 3 a 0 conquistado no primeiro jogo e o Atlético queria reverter a vantagem. Com isso, no duelo na noite desta quarta-feira, no Independência, para definir quem avança para as semifinais da Copa do Brasil, o Galo se mandou para cima com toda força. No entanto, a Raposa se defendeu com qualidade e, apesar da derrota por 2 a 0, o time celeste se garantiu na próxima fase do torneio nacional.

O Atlético, todavia, teve postura completamente diferente em relação ao primeiro jogo. Na primeira partida, pouco agrediu, nesta quarta-feira o Galo ficou no pé da Raposa, não dava espaços, não deixava o time azul respirar, e atacou praticamente todo o jogo. Mas um time comandado por Mano Menezes sabe se defender bem – alias muito bem. E mesmo assim o Galo do jovem Rodrigo Santana fez um grande jogo.

O Cruzeiro agora espera Palmeiras ou Internacional para saber o adversário da próxima fase. A equipe também volta a se preocupar com sua situação no Campeonato Brasileiro que não é nada boa. O Galo resta ainda o Brasileirão, lutando na parte superior, além da Copa Sul-Americana.

Primeiro tempo

O Atlético entrou em campo com uma formação diferente em relação ao primeiro jogo. Precisando do resultado, o técnico Rodrigo Santana colocou uma formação mais ofensiva, com Jair na vaga de José Welison, dando mais qualidade a saída de bola e Otero no lugar de Luan, já que o venezuelano tem um potente chute que pode contribuir.

E a maneira que o jogo seria desenhado ficou claro pelos primeiros minutos. O Galo em cima, atacando o tempo inteiro, buscando o resultado. O Cruzeiro com 3 a 0 de frente, esperava, com tranquilidade, sem afobar-se.

Os primeiros 16 minutos foram de posse de bola do Galo. Ao Cruzeiro restava tirar de qualquer maneira e se defender novamente porque o Galo atacaria outra vez. Mas, apesar da pressão, a Raposa se defendia com tanta qualidade que nem mesmo tanta posse de bola era capaz de criar oportunidades claras contra a meta do goleiro Fábio.

Alias, pelo contrário: enquanto o Galo atacou sem objetividade, aos 17, em uma ótima jogada de Marquinhos Gabriel a bola chegou em Robinho que chutou para fora. Uma grande chance jogada pelo lado direito de Victor.

O Atlético voltou a atacar, mas novamente sem rumo, e o Cruzeiro, minutos depois daquela grande chance, teve outra. Em cruzamento na área, Rever tentou tirar, mas falhou e deixou o goleiro Victor em situação ruim.

Aos 25 o Galo conseguiu levar muito perigo pela primeira vez. Em ótima jogada de Jair, a bola chegou em Elias que chutou forte e Fábio fez uma grande defesa.

O Galo seguiu intenso. Após essa chance, o torcedor acordou e o Cruzeiro não conseguia sair de maneira alguma. Aos 35 conseguiu o primeiro gol. Em jogada confusa na área, a bola sobrou para Cazares que chutou forte e superou o goleiro Fábio.

A torcida que já estava agitada aumentou a força. “O Galo é o da virada, o Galo é o time do amor”, cantavam.

Aos 37 o Atlético quase ampliou. Em cruzamento na área de Otero, o jovem Alerrandro aproveitou a chance e chutou com a canhota, mas o goleiro Fábio conseguiu a defesa. Aos 43, Patric fez um ótimo cruzamento, da direita, e Dedé precisou se esticar todo para mandar a bola para fora.

A pressão atleticana chegou a tal ponto que o goleiro Fábio precisou cair no gramado para ganhar um tempo. A posse de bola era 70% a 30% para o Galo.

Segundo tempo

As equipes voltaram para a etapa complementar com a mesma ideia de jogo. O Cruzeiro fazia questão de ficar mais tempo com a bola, mas a intensidade atleticana ainda era muita.

Aos 6, o Galo chegou com muito perigo. Em cruzamento da direita, de Luan, a bola chegou em Fábio Santos. Na pequena área, o ala conseguiu errar o chute e Dedé tirou.

VAR e confusão em campo

Aos 18 o Cruzeiro conseguiu colocar a bola dentro da rede alvinegra. Em contra-ataque rápido, Pedro Rocha recebeu a bola e chutou para fazer Victor levar um belo frango. Na comemoração, o jovem tirou a camisa e mostrou para a torcida atleticana. A confusão estava armada.

Os atleticanos chegaram pra tirar satisfação e David e Alerrandro acabaram expulsos. Jair e Pedro Rocha foram amarelados.

No meio da confusão, o árbitro foi alertado pelo árbitro de vídeo que algo de errado aconteceu. Na origem do lance, Fábio Santos sofreu uma falta e o juiz anulou o gol celeste.

O Atlético seguiu pressionando e aos 48 do segundo tempo Patric soltou um forte chute de fora da área e marcou um belo gol. Restava um para a classificação. Mas era pouco tempo, a partida já estava nos acréscimos.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO 2 X 0 CRUZEIRO

Local: Estádio Independência, Belo Horizonte (MG)
Data: 17 de Julho de 2018, Quarta-feira
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza (SP)
Auxiliar: Danilo Ricardo Simon Manis (SP) e Alex Ang Ribeiro (SP)
VAR: Thiago Duarte Peixoto (SP)

Gols: Cazares, aos 35 do primeiro tempo, Patric, aos 48 do segundo tempo (Atlético)
Cartões: Egídio, Robinho, Pedro Rocha (Cruzeiro); Jair (Atlético)
Cartões vermelhos: David (Cruzeiro); Alerrandro (Atlético)

ATLÉTICOMG: Victor; Patric, Rever, Igor Rabello e Fábio Santos; Jair (Ricardo Oliveira), Elias (Luan) e Cazares; Otero (Geuvânio), Chará e Alerrandro
Técnico: Rodrigo Santana

CRUZEIRO: Fábio, Orejuella, Léo, Dedé, Egídio, Henrique, Lucas Romero, Robinho (Jadson), Marquinhos Gabriel, Pedro Rocha, Fred (David).
Técnico: Mano Menezes