Juventus bate o City, assume a liderança e garante vaga nas oitavas

São Paulo, SP

25-11-2015 19:37:51

Com fome de bola e impulsionada pela festa da torcida em Turim, a Juventus superou o Manchester City por 1 a 0 nesta quarta-feira, pela quinta rodada do agora definido grupo D da Liga dos Campeões.

Além de garantir a Juve nas oitavas de final da Liga dos Campeões com uma rodada de antecedência, o triunfo conquistado em casa alça os bianconeri à liderança da chave, com 11 pontos. Para manter a ponta, Pogba e companhia visitam o Sevilla, no dia 8 de dezembro.

O City, por sua vez, entrou em campo nesta quarta-feira já classificado após vitória sobre o Sevilla na última rodada. Agora, segue com nove pontos ganhos e, se quiser voltar à ponta do grupo, precisa vencer o Borussia Monchengladbach, também no dia 8, e torcer por um tropeço da Velha Senhora.

O jogo - Um bonito mosaico e o apoio das arquibancadas embalaram os donos da casa, que buscaram o campo de ataque desde o início para corresponder às expectativas da torcida. Assim, a Juve criou sua primeira chance de marcar aos dois minutos, quando Dybala recebeu e bateu na entrada da área, mas errou o alvo por muito. Mas a resposta do City não demorou: Fernandinho pegou rebote da zaga italiana e bateu de primeira, mas mandou para fora, rente à trave direita de Buffon.

Com mais iniciativa, a Juventus seguia tocando mais a bola no campo de ataque e procurando a infiltração, mas a defesa do City estava bem postada, e o time inglês mostrava muita paciência para sair jogando e recomeçar com a defesa quando necessário, cadenciando o jogo e apostando em estocadas precisas. Como aos 15 minutos, quando Yaya Touré recebeu na área mandante e tentou bater, mas foi travado e a bola ficou na medida para Fernandinho finalizar com força e mandar poucos centímetros ao lado da trave.

A resposta dos mandantes, por sua vez, foi fatal. Aos 17 minutos, Pogba começou a jogada pelo meio e abriu na ponta esquerda para Alex Sandro, que cruzou na medida para Mandzukic chegar de trás finalizando de chapa e bater Hart para abrir o placar.

Após o gol, os Citizens passaram a adotar postura mais ofensiva com seu toque de bola, enquanto a Juve aproveitou para chegar nos contragolpes, como aos 27 minutos, quando Lichsteiner cruzou e Mandzukic finalizou com força, mas dessa vez Hart fez a defesa. Com dificuldade para superar a defesa adversária, a equipe inglesa só levou perigo aos 43: Aguero aproveitou falha de Marchisio e ficou cara a cara com Buffon, que saiu bem nos pés do goleador argentino para salvar a Velha Senhora.

O duelo em Turim alternou momentos de grande qualidade técnica e períodos "truncados" (foto: Marco Bertorello/AFP)
O duelo em Turim alternou momentos de grande qualidade técnica e períodos "truncados" (foto: Marco Bertorello/AFP)

Ambas as equipes voltaram dos vestiários em ritmo intenso. Especialmente a Juventus que, buscando ampliar o placar, subiu sua marcação para dificultar a saída de bola do City. Os ingleses, por sua vez, quando conseguiam passar pelo meio-campo bianconero, rodavam bem a bola no ataque, deixando apenas sua dupla de zaga atrás do círculo central, buscando envolver a defesa mandante.

Nesse contexto, os visitantes tiveram a primeira grande chance da segunda etapa: após escanteio cobrado por De Bruyne, Fernando cabeceou no canto e parou em bela defesa de Buffon. A resposta italiana foi imediata, com Morata. O atacante recebeu em ótima posição na área e tocou por cima de Hart, mas sem força. Sturaro chegou de trás para completar, mas escorou e acertou a trave do time britânico, perdendo chance incrível de marcar.

O lance animou os donos da casa, que voltaram a impor seu ritmo na partida, cenário ao qual o treinador Manuel Pellegrini tentou reagir substituindo o goleador Sergio Aguero, que retornou recentemente após contusão, pelo rápido e habilidoso Sterling. A qualidade do jogo, entretanto, deu lugar à marcação mais intensa que rendeu cartão amarelo a Sagna, após falta em Dybala, e advertência também a Jesús Navas, por reclamação.

Rápida na saída para o ataque, a Juve voltou a chegar novamente aos 33 minutos, quando Morata fez boa jogada, invadiu a área e bateu, mas parou em Hart, que saiu bem e se agigantou para fazer a defesa. A resposta inglesa foi quase instantânea: Sterling recebeu cruzamento na área e fez o mais difícil, que foi limpar Buffon do lance, mas errou a finalização e perdeu gol incrível. Pouco depois, Hart dividiu com Morata em nova chegada da Velha Senhora e se machucou, precisando ser substituído por Willy Caballero.

A Juventus também teve alterações no terço final da segunda etapa. Muito aplaudido pela torcida, o lateral brasileiro Alex Sandro deu lugar a Evra. Já no ataque, Dybala deixou o campo cansado para a entrada do colombiano Cuadrado. No fim, o City voltou a dominar a posse de bola, mas, assim como em grande parte do duelo, parou na bem postada defesa mandante e caiu para o segundo posto do grupo.

Borussia Monchengladbach dá show no duelo dos eliminados

Em situação oposta, o Borussia Monchengladbach deu adeus às suas chances de classificação nesta quarta-feira, mas deu à sua torcida a chance de se despedir da competição com estilo. Jogando em casa, a equipe alemã fez 4 a 2 no agora lanterna Sevilla, com gols dois gols de Stindl, um de Johnson e um do atacante brasileiro Raffael, enquanto Vitolo e Ever Banega balançaram as redes pelos espanhóis.

Com o resultado, o Monchengladbach foi a cinco pontos e subiu para a terceira colocação, deixando o Sevilla, estacionado nos três pontos, com o amargo último posto da chave.

Deixe seu comentário