Sérgio Serra renuncia à presidência do Paysandu após agressão

São Paulo, SP

06-07-2017 17:14:44

Sérgio Serra não é mais presidente do Paysandu. Nesta quinta-feira, em entrevista coletiva realizada no estádio da Cruruzu, o clube anunciou a decisão do agora ex-dirigente, que foi motivada por um episódio de agressão sofrido por ele no último domingo. O vice-presidente de gestão, Tony Couceiro, já foi empossado, assumindo a presidência do Papão.

Por conta da fase irregular do time na Série B do Campeonato Brasileiro, Sérgio vinha sendo duramente criticado por parte da torcida. As queixas quanto ao mandato do engenheiro elétrico, no entanto, acabaram passando dos limites no último final de semana, quando ele, junto do filho, foram ameaçados por dois indivíduos que estariam, inclusive, armados.

"O Paysandu está muito triste com essa notícia. Temos uns 20 anos sem uma renúncia. A do Sérgio foi totalmente de foro pessoal, nós não podemos concordar com uma coisa dessa, uma agressão sofrida por uma pessoa que trabalha e doa o seu tempo para o Paysandu. A decisão foi nos repassada na segunda-feira, nós ainda tentamos, de algum jeito, mudar isso, mas ele foi irredutível", apontou Tony, que completou.

Tony Couceiro é o responsável por assumir a vaga de Sérgio (Foto: Fernando Torres/Paysandu)

"A família teve um peso muito grande nisso. Nós temos que agradecer ao Sérgio tudo o que foi feito e continuar o trabalho que está sendo feito com seriedade e austeridade. O nosso papel, enquanto vice, era dar apoio ao presidente. Hoje, colocado nessa função de presidente, é uma tristeza e, ao mesmo tempo, uma alegria poder contribuir com o clube cada vez mais".

Sérgio, que publicou uma carta esclarecimento ao conselho deliberativo do clube, deixa o cargo com pouco mais de seis meses de mandato cumprido. Nas eleições do final do ano passado, ele foi escolhido como o presidente para o biênio 2017/18.

Confira a íntegra da carta redigida pelo ex-presidente e divulgada pelo Conselho do Papão:

Ao presidente do Conselho Deliberativo (Paulo Henrique Porto Maciel),

No último domingo, eu e minha família fomos alvo de agressão que colocou em risco a nossa integridade física e segurança pessoal, e que estão relacionadas à função de presidente do Paysandu Sport Club. Diante desse fato, na última segunda-feira à noite, reuni com alguns membros da Diretoria, tendo ao lado meus familiares, e comuniquei o fato de que não seria mais possível para eu seguir à frente da Presidência do Paysandu Sport Club. Agradeço imensamente a todos os integrantes da atual Diretoria do Clube, Conselho Deliberativo, Beneméritos e Grande Beneméritos, colaboradores e atletas com os quais eu convivi ao longo de 4 anos como Vice-presidente e nestes poucos mais de 6 meses como Presidente.

Desejo todo sucesso na condução do clube ao meu amigo Tony Couceiro.

Deixe seu comentário