Na súmula, árbitro relata xingamento de atacante e dirigente do Vasco

São Paulo, SP

07-09-2015 13:45:54

Durante o jogo contra o Atlético-MG no último sábado, que culminou na 16ª derrota do Vasco em 23 partidas, o árbitro Elmo Resende da Cunha foi alvo de protestos e xingamentos de diversas frentes. Dentro de campo, teve de ouvir insultos do atacante Rafael Silva – que mesmo após ser expulso decidiu continuar reclamando –, citado na súmula, e do dirigente André Araújo nos vestiários.

Expulso ao tomar o segundo amarelo por reclamação já nos acréscimos da etapa final, Rafael Silva continuou proferindo palavras de baixo calão à arbitragem sem se importar com as consequências. Se enquadrado no inciso II do artigo 258, por se dirigir ao corpo de arbitragem em desacordo com as normas éticas do esporte, o atacante pode pegar gancho de uma a seis partidas.

“Expulsei o atleta Rafael da Silva, nº 19 do Vasco, por ter de forma ostensiva e ofensiva me ofendido dizendo as seguintes palavras: ‘Você é um fanfarrão! Tá de sacanagem! Apitando só para eles [...] Seu filho da p..., ladrão tá roubando desde o começo’”, registrou o árbitro da partida, acrescentando que o atacante vascaíno chegou a fazer um gesto para a torcida com o polegar e a palma da mão aberta indicando a ‘roubalheira’.

Além do acontecido com Rafael Silva, em episódio que aconteceu já na reta final do jogo, quando o resultado contrário já estava determinado, Elmo da Cunha citou também o Superintendente de futebol do Vasco, que o ofendeu na volta do intervalo. André Araújo, inclusive, também pode ser enquadrado no mesmo artigo do atacante.

“A equipe de arbitragem, ao passar na zona mista próximo ao vestiário do Vasco, foi interpelada pelo Sr. André G. Araújo, dizendo as seguintes palavras: ‘Olha no telão a merda que vocês fizeram no primeiro tempo, veja que merda, ô Elmo você está cedendo à pressão do Levir, porra! Tá apitando mal pra c...!’, relatou no documento pós-jogo.

Deixe seu comentário