CBF explica ao STJD motivos para não desconvocar Rodrygo e Lodi

Lucas Musetti Perazolli - Santos , SP
07/06/2019 12:40:33 — 07/06/2019 12:42:10

Em: Athletico-PR, Brasil, Brasileiro Série A, Escolha do editor, Futebol, Notícias, Santos
Rodrygo não deve jogar mais pelo Santos (Ivan Storti)

A CBF enviou uma manifestação ao STJD com os motivos para não desconvocar Rodrygo e Renan Lodi, do Santos e Athletico, da seleção olímpica para o Torneio de Toulon.

De acordo com nota oficial do Superior Tribunal de Justiça Desportiva, a CBF vê a competição na França como parte da Data FIFA, além de achar injusta a liberação da dupla depois da liberação de outros jogadores da Série A do Campeonato Brasileiro.

“O indeferimento ocorreu após recebimento da manifestação da CBF sobre o caso. De acordo com ofício enviado pela entidade, não compete ao STJD convocar ou desconvocar atletas; que as regras internacionais determinam que os clubes são obrigados a ceder seus atletas para às Seleções nas datas Fifa (artigo 10, parágrafo 2º do RGC) e que um atleta não pode ser desconvocado para não prejudicar e desrespeitar os demais clubes que cederam seus jogadores”, diz trecho do texto do STJD.

Órgão consultivo, o STJD não irá assumir a responsabilidade e autorizar os clube a usarem Rodrygo e Lodi. Dessa forma, é improvável que atuem nas duas próximas rodadas do Campeonato Brasileiro antes da Copa América.

Rodrygo teria se despedida contra o Internacional e não jogaria mais antes de ir para o Real Madrid. Renan Lodi pode ser negociado na janela internacional de transferências, a partir de julho.

“E como se todos os fundamentos previamente expostos não fossem suficientes, na realidade, o requerimento, tal como formulado, acaba por revelar, que a pretensão do Clube requerente, mais parece buscar uma espécie de salvo conduto para uma decisão que pretende ou não adotar, diante da interpretação que está fazendo acerca dos fatos havidos e dos regramentos envolvidos, mas a jurisprudência tradicional deste STJD, é que esta Corte especializada não é um órgão consultivo”, disse Paulo César Salomão, presidente do STJD.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com