Relatório final do caso Neymar fala em incongruências e falta de provas

São Paulo, SP

05-08-2019 11:40:52

 

 

No último dia 30 de julho, a delegada Juliana Lopes Bussacos, da 6ª Delegacia de Defesa da Mulher, concluiu o inquérito de apuração do caso pelo qual Neymar é acusado de estupro e agressão por Najila de Souza e acabou por não indiciar o jogador. Já neste domingo, o programa Fantástico, da TV Globo, exibiu informações do relatório final do caso.

De acordo com o documento de 17 páginas, o jogador não foi indiciado sobretudo por conta de "incongruências" e "falta de provas" na versão oferecida por Najila.

"Não vislumbro elementos para o indiciamento do investigado, uma vez que as versões são conflitantes", declarou Juliana Lopes Bussacos.


Alguns dos eventos ocorridos durante o caso tiveram versões distintas dadas por Najila e Neymar. Em relação ao primeiro encontro entre os dois, por exemplo, no dia 15 de maio, a modelo afirma à polícia que o atleta do PSG chegou aparentemente embriagado. Já na versão de Neymar, ele havia tomado apenas uma dose de gim antes de encontrá-la.

O jogador ainda garante não ter sido violento com Najila, enquanto ela afirma que recebeu puxões de cabelo e tapa nas nádegas. Além disso, a modelo afirma que Neymar tirou uma foto sem seu consentimento, ao passo que o atleta garante que, após ver as marcas no corpo de Najila, pediu para fazer a fotografia.

Em relação às provas, Najila afirmou ter um vídeo gravado no segundo encontro com Neymar, mas, posteriormente, alegou que o tablet que continha a gravação havia sido roubado. A modelo, inclusive, passou por exame de corpo de delito, e a análise feita pelo Instituto Médico Legal (IML) não apontou lesões. Não está descartada a possibilidade de autolesão.

Deixe seu comentário