Futebol/Bastidores

Hilton admite inexperiência no esporte, mas garante “entender de gente”

GazetaEsportiva.net - Brasília, DF -
02/01/2015 18:02:00

Em: Bastidores, Futebol, Mais Esportes

Na tarde desta sexta-feira, George Hilton tomou posse como novo ministro do Esporte, em Brasília. Durante a solenidade, o deputado federal filiado ao PRB-MG admitiu que possui inexperiência na área, mas prometeu dialogar com especialistas durante sua gestão. Tratando de justificar sua indicação para a pasta, o teólogo afirmou que usará sua capacidade de diálogo para trilhar um legado amplo, democrático e duradouro.

“Entendo a preocupação daqueles que não me veem ligado o esporte, mas isso se deve à recente institucionalização do Ministério, que precisa consolidar sua estrutura política e administrativa. Gostaria de tranquilizá-los para, muito humildemente, dizer que posso não entender profundamente de esportes, mas entendo de gente. Sei ouvir as pessoas, dialogar e criar convergências entre lados opostos. Assim, usarei esta capacidade de gestão política a favor do esporte brasileiro com toda a minha energia. Disso podem estar certos”, afirmou o novo ministro.

Durante seu discurso, que durou aproximadamente 50 minutos, Hilton lembrou o movimento Bom Senso FC e disse que procurará a Casa Civil para solucionar a questão das dívidas dos clubes de futebol. Além de enfatizar a valorização do futebol feminino, o ministro revelou que pretende fazer do esporte uma política governamental, através de parcerias com o Ministério da Educação.

Hilton prometeu dialogar com especialistas para superar a inexperiência no esporte (Foto: Douglas Gomes/PRB)
Hilton prometeu dialogar com especialistas para superar a inexperiência no esporte (Foto: Douglas Gomes/PRB) – Credito: Divulgação
“Vou manter as ações de incentivo ao futebol feminino e pretendo liderar o processo de debates com o Congresso Nacional, para a renovação da Lei de Incentivo ao Esporte, cujo prazo de validade expira neste ano de 2015. O esporte deve ser mais que uma política de governo, ou seja, deve ser de Estado. Vou dar atenção especial ao esporte social, de inclusão, educacional e comunitário”, completou.

Por fim, Hilton não comentou a atuação da ONG Atletas pelo Brasil, que se mostrou oposta à sua nomeação. Porém, garantiu que os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016, serão os melhores de todos os tempos. “Assumo o compromisso de aperfeiçoar, ampliar e democratizar tudo o que tem sido feito no esporte no Brasil”, encerrou otimista o novo ministro.

Polêmica – Pastor licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), George Hilton garantiu que seu posicionamento religioso não será um empecilho durante sua trajetória no Ministério. Porém, ao deixar a cerimônia sem falar com a imprensa, o teólogo não comentou as denúncias de corrupção que sofreu em 2005.

No respectivo ano, o novo ministro foi expulso de sua legenda, o extinto Partido da Frente Liberal (PFL), após ser flagrado pela Polícia Federal com R$ 600 mil em dinheiro, no Aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte-MG. Hilton, na ocasião, disse que o montante era proveniente de doações dos fiéis, e garantiu o arquivamento do processo junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) por falta de provas.