Futebol/Bastidores

Episódios de machismo marcam clássico italiano e Gre-Nal

São Paulo , SP
12/03/2018 11:34:02

Em: Bastidores, Internacional, Napoli
“Não te mando a merda porque é mulher e bonita”, disse Sarri em coletiva após empate entre Napoli e Inter (Foto: Marco Bertorello/AFP)

Após empate sem gols no clássico contra a Inter de Milão, a Napoli não só perdeu a liderança para a Juventus, como viu seu técnico perder totalmente a cabeça na coletiva de imprensa após a partida. Perguntado por uma jornalista se, após o resultado, o título ficaria mais difícil, Maurizio Sarri disparou ofensas de caráter sexista.

“É mulher e bonita. Por esses motivos, não te mando a merda”, disse o treinador, segundo o jornal Mundo Deportivo. Três dias após a comemoração do Dia Internacional da Mulher, o episódio não foi comentado pelo clube napolitano até o momento da publicação.

Infelizmente, cena de mesmo caráter foi repetida no Brasil, mas no clássico Gre-Nal do último domingo. A jornalista Renata Medeiros, da Rádio Gaúcha, foi ofendida e agredida por um torcedor do Internacional enquanto trabalhava na arquibancada superior do Beira-Rio.

“Sai daqui, p*, gritou um torcedor do Inter pra mim. Pedi que repetisse enquanto eu filmava. Me agrediu. Nunca achei que fosse passar por isso trabalhando”, publicou em seu perfil no Twitter antes de registrar boletim de ocorrência contra o agressor. O momento foi gravado pela jornalista.

Ao contrário da Napoli, o Inter se pronunciou em seu site oficial. Confira a nota completa:

O Sport Club Internacional lamenta e repudia o ato discriminatório sofrido pela repórter Renata de Medeiros, da Rádio Gaúcha, durante o Gre-Nal deste domingo, no Beira-Rio. O torcedor que proferiu palavras ofensivas e agrediu a profissional foi imediatamente retirado do estádio pelos seguranças do Clube e conduzido ao Juizado Especial Criminal (JECRIM).

Foi uma situação lamentável e totalmente contrária aos princípios do Clube. Portanto, sempre que ocorrer fatos deste tipo no estádio, o Internacional pede que a vítima denuncie o agressor para que as medidas cabíveis possam ser tomadas.