Chape vence categoria "Momento esportivo do ano" do Prêmio Laureus

São Paulo, SP

27-02-2018 17:23:06

' href='https://static.gazetaesportiva.com/uploads/imagem/2018/02/27/000_11E766-1024x709.jpg' data-thumb='https://static.gazetaesportiva.com/uploads/imagem/2018/02/27/000_11E766-1024x709.jpg'>

A Chapecoense conquistou nesta terça-feira, em Mônaco, o Prêmio Laureus, o Oscar do esporte, na categoria “Momento Esportivo do Ano”. O clube catarinense concorreu com a luta do jovem Bradley Lowery contra o câncer, o retorno de Billy Monger, que teve as pernas amputadas após um acidente durante uma corrida da Fórmula 4, o encontro de Thomas Danel com Kimi Raikkonen, seu ídolo, e o alvoroço criado pela torcida do Iowa Hawkeye, time de futebol americano universitário, que resolveu virar de costas para o campo e se direcionar ao hospital próximo ao estádio para acenar às crianças internadas com graves problemas de saúde.

Todas as inspiradoras histórias concentram valores do esporte que vão além de resultados e desempenho. No caso da Chapecoense, a presença de Jakson Follmann, Alan Ruschel e Neto no amistoso entre o clube catarinense e o Barcelona, no Camp Nou, acabou emocionando o mundo, comovido com o fato de o trio ter sobrevivido após o trágico acidente aéreo que vitimou a maior parte da delegação da Chape em Medellín, na Colômbia.

“Esse prêmio é uma honra e também uma homenagem a quem partiu e a quem ajudou na reconstrução. Foram muitas histórias emocionantes e comoventes, que também mereciam o prêmio com certeza. Obrigado a todos que votaram e um grande abraço a todos os Chapecoenses de Chapecó e do mundo”, disse o presidente da Chapecoense, Plínio David de Nes Filho, radiante com o prêmio.

Alan Ruschel, um dos sobreviventes da tragédia e responsável, em parte, pela presença da Chapecoense na disputa, se mostrou bastante contente e, acima de tudo, grato com a vitória do clube no Oscar do esporte.

"Primeiramente, quero agradecer a todos que fizeram parte e fazem ainda dessa nossa reconstrução, dessa nossa conquista. Muito feliz em poder participar disso tudo, em ter voltado a fazer o que mais amo, em ter voltado a jogar. Só consegui isso com a ajuda dos meus familiares, da minha esposa, dos meus amigos e do pessoal do clube, que sempre me ajudou. O clube também está de parabéns por tudo que fez, pela batalha. Não é fácil se reconstruir depois de uma tragédia. Então, só tenho que agradecer a todos. Feliz em servir de exemplo bom para outras pessoas. Que isso possa motivar muita gente ainda. Só tenho que agradecer", comemorou o lateral-esquerdo.

Nos últimos dias da votação, que foi aberta ao público através do site do Prêmio Laureus, a Chapecoense conseguiu uma retomada impressionante em relação aos seus concorrentes, saindo da última colocação e passando a brigar pelos primeiros lugares da disputa. O engajamento dos fãs do clube foi tamanho, que o time de Chapecó acabou vencendo a categoria no final.

A Chapecoense também concorreu na categoria “Melhor retorno do ano” contra o Barcelona, que superou o Paris Saint-Germain nas oitavas de final da Liga dos Campeões ao vencer o jogo de volta por 6 a 1, Valentino Rossi, que quebrou a perna e após três semanas competiu no GP de Aragão de MotoGP, Roger Federer, o premiado e que chegou à disputa ao faturar o Aberto da Austrália após ficar seis meses longe das quadras por conta de uma lesão no joelho esquerdo, além de Justin Gatlin, campeão mundial dos 100m rasos, batendo Usain Bolt, e Sally Pearson, outra figura do atletismo.

Deixe seu comentário