Após protesto de Del Nero, Romário elencará motivos para quebra de sigilo

São Paulo, SP

27-08-2015 08:55:36

Apesar de o Senado Federal ter sido unânime ao dar um parecer favorável à quebra de sigilo bancário de Marco Polo Del Nero, o presidente da CBF formalizou seu protesto no Supremo Tribunal Federal (STF) na última quarta para tentar evitar as interceptações. Por conta da defensiva, o senador Romário (PSB-RJ), que coordena a CPI do futebol, deverá apresentar nesta quinta uma lista de motivos que justifiquem a ação legal.

Cerca de uma semana depois de ver a CPI do futebol dar seus primeiros passos, com a aprovação unânime do Senado em relação à quebra de sigilo bancário e fiscal, o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, entrou com um requerimento no Supremo Tribunal Federal (STF) para evitar a interceptação de suas contas bancárias e demais ações no mercado.

A partir da resposta de Del Nero, que em junho já tinha admitido recorrer ao advogado criminalista José Roberto Batochio, dono de um dos escritórios mais renomados do País, para trabalhar em sua defesa, o ministro relator do processo, Edson Fachin, determinou ao senador Romário – presidente da CPI e opositor declarado de Del Nero – um prazo de até 24 horas para apresentar justificativas ao processo de quebra de sigilo.

Com a ajuda da Advocacia Geral do Senado, o senador Romário (PSB-RJ) deve redigir nesta quinta um documento elencando as principais motivações para a investigação das contas bancárias de Marco Polo Del Nero ser cumprida. O presidente passa a estar no radar da Justiça em decorrência dos casos de corrupção envolvendo a Fifa, que deteve José Maria Marin na suíça no último mês de maio.

Mesmo sem explicar detalhadamente as razões, Del Nero já deixou claro que não viajará aos Estados Unidos para os amistosos da Seleção Brasileira, contra Costa Rica e Estados Unidos, em 4 e 8 de setembro, respectivamente. O mandatário já tinha se ausentado também do evento realizado em São Petersburgo que definiu o sorteio das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, na Rússia.

Deixe seu comentário